28º GP Jornal de Notícias

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,858
3,476
Porto
A 28.ª edição do Grande Prémio Jornal de Notícias, vai realizar-se entre 28 de maio e 3 de junho, oferecendo sete dias de competição às equipas continentais e de clube.
A prova, uma das mais tradicionais do calendário velocipédico nacional, terá um total de 823,9 quilómetros, distribuídos por sete etapas, uma das quais dividida em dois setores. Um contrarrelógio individual e um coletivo serão determinantes, assim como o percurso rompe-pernas da região Norte.
As jornadas iniciais serão as de menor exigência, tendo em conta os itinerários escolhidos. As duas etapas finais, marcadas para o fim de semana, prometem ser decisivas, dado que apresentam traçados exigentes, propícios à realização de ataques que revolucionem a classificação geral.

O Pelotão será composto por 13 equipas.
Continental: Aviludo-Louletano, Efapel, LA Alumínios, Liberty Seguros-Carglass, Massi-Kuwait Team, Miranda-Mortágua, RP-Boavista, Sporting-Tavira, Vito-Feirense-Blackjack, W52-FC Porto.
Equipas de Clube: ACDC Trofense, Fortunna-Maia, Sicasal-Constantinos-Delta Cafés.


Resumo das Etapas:



Perfis das Etapas:














 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,858
3,476
Porto
A nossa equipa para 28º GP Jornal de Notícias:

Gustavo Veloso
Ricardo Mestre
José Neves
António Carvalho
Rui Vinhas
César Fonte
Angel Rebollido
João Rodrigues
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,858
3,476
Porto
A 1ª etapa encontra-se na fase decisiva.
Faltam cerca de 30km para o fim e está uma fuga com cerca de 2m de avanço sobre o pelotão.
A nossa equipa está no pelotão, onde quem mais tem trabalhado para existir uma chegada ao sprint é o Sporting-Tavira.
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,858
3,476
Porto
Rafael Silva (Efapel) venceu hoje a primeira etapa do Grande Prémio Jornal de Notícias Leilosoc, uma viagem de 129,2 quilómetros, com partida e chegada em Viseu, e é o primeiro camisola amarela da competição, que estará na estrada até domingo.

A tirada, disputada a ritmo moderado – 39,629 km/h de média –, terminou com uma discussão ao sprint. A Efapel comandou o pelotão nos últimos quilómetros, entrando na frente nos derradeiros 200 metros, numa aproximação muito técnica à chegada. Rafael Silva arrancou a 150 metros, teve tempo de olhar para trás e de comemorar antes de passar o risco. O segundo foi o colega de equipa Daniel Mestre, enquanto César Fonte (W52-FC Porto) fechou o pódio do dia.

Rafael Silva estava emocionado com a vitória e fez questão de expressar os sentimentos, perante o diretor desportivo, Américo Silva, momentos após o final da etapa. “Obrigado, chefe, por esta oportunidade”, disse o corredor gaiense, enquanto abraçava o responsável técnico da Efapel.

“Esta foi uma vitória de raiva. Os meus companheiros fizeram um trabalho espectacular e eu consegui uma vitória muito importante”, resumiu o vencedor. Rafael Silva está no topo da geral, com 4 segundos de vantagem sobre Daniel Mestre e 6 segundos à melhor sobre César Fonte. Poderá Rafael Silva discutir a camisola amarela até ao fim, tendo em conta os dotes de sprinter e as bonificações das chegadas? “Vamos etapa a etapa. É uma prova muito longa, com muitas etapas. Tentaremos ganhar etapas. Depois logo se vê como será a geral”, frisa o vencedor da etapa viseense.

A tirada teve três grandes animadores, Guillaume Almeida (Fortunna/Maia), Gonçalo Amado (ACDC Trofa/Trofense) e Filipe Cardoso (Rádio Popular-Boavista). O trio isolou-se com cerca de 30 quilómetros percorridos, chegou a ter 5m30s de vantagem para o pelotão, mas não resistiu à perseguição do grupo principal, impulsionada pelo Sporting-Tavira.

A fuga foi anulada depois da passagem na terceira e última montanha do dia, a pouco menos de 30 quilómetros do fim. Guillaume Almeida foi o mais beneficiado, aproveitando a escapada para colocar-se no topo da geral dos trepadores. Rafael Silva junta a classificação por pontos à geral individual, Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista) é o primeiro nas metas volantes e Daniel Silva (Sicasal/Constantinos/Delta Cafés) é o melhor jovem. A persistência na fuga deu a Filipe Cardoso o Prémio da Combatividade na jornada de hoje. A Aviludo-Louletano-Uli encabeça a tabela coletiva.

O pelotão ruma ao alto Minho para disputar, nesta terça-feira, a segunda etapa. Será uma ligação de 127,5 quilómetros, entre Viana do Castelo e Monção. A partida será dada na Alameda 5 de Outubro, às 14h20, estando a chegada prevista para as 17h30, na Avenida Deu-la-Deu.

Classificações
1.ª Etapa: Viseu – Viseu, 129,2 km
1.º Rafael Silva (Efapel), 3h15m37s (Média: 39,629 km/h)
2.º Daniel Mestre (Efapel), mt
3.º César Fonte (W52-FC Porto), mt
4.º João Matias (Vito-Feirense-BlackJack), mt
5.º Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano-Uli), mt
6.º César Martingil (Liberty Seguros-Carglass), mt
7.º Nicola Toffali (Sporting-Tavira), mt
8.º Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista), mt
9.º Luís Mendonça (Aviludo-Louletano-Uli), mt
10.º Francisco Campos (Miranda-Mortágua), mt

Geral Individual
1.º Rafael Silva (Efapel), 3h15m27s
2.º Daniel Mestre (Efapel), a 4s
3.º César Fonte (W52-FC Porto), a 6s
4.º Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista), a 7s
5.º Filipe Cardoso (Rádio Popular-Boavista), a 8s
6.º Joni Brandão (Sporting-Tavira), mt
7.º David de la Fuente (Aviludo-Louletano-Uli), a 9s
8.º João Matias (Vito-Feirense-BlackJack), a 10s
9.º Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano-Uli), mt
10.º César Martingil (Liberty Seguros-Carglass), mt

In Federação Portuguesa de Ciclismo
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,858
3,476
Porto
Classificação Portista:

Etapa:
3º César Fonte mt
16º António Carvalho mt
17º João Rodrigues mt
19º Gustavo Veloso mt
22º José Neves mt
27º Ricardo Mestre mt
31º Ángel Rebollido mt
47º Rui Vinhas mt

Geral Individual:
3º César Fonte a 6s
19º António Carvalho a 10s
20º João Rodrigues mt
22º Gustavo Veloso mt
25º José Neves mt
30º Ricardo Mestre mt
33º Ángel Rebollido mt
47º Rui Vinhas mt

Geral Equipas:
3º W52/FCPorto mt

Geral Pontos:
3º César Fonte 16 pts
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,858
3,476
Porto
A vitória na 2ª etapa foi discutida pela fuga e ganhou o Rafael Lourenço da Liberty Seguros Carglass.

A nossa equipa chegou no pelotão a 51s
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,858
3,476
Porto
Rafael Lourenço (Liberty Seguros-Carglass) venceu hoje a segunda etapa do 28.º Grande Prémio Jornal de Notícias Leilosoc, uma ligação de 127,5 quilómetros, entre Viana do Castelo e Monção, que levou Nuno Meireles (Miranda-Mortágua) ao topo da classificação geral individual.

A história da corrida começou a escrever-se pela iniciativa de oito homens, que partiram do pelotão com apenas 9 quilómetros percorridos. Guillaume Almeida e António Monteiro (Fortunna/Maia), Paulo Silva (LA Alumínios), Rafael Lourenço (Liberty Seguros-Carglass), Óscar Malatsetxebarria (Massi-Kuwait), Nuno Meireles e José Sousa (Miranda-Mortágua) e Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista) aproveitaram a apatia do pelotão para construir uma vantagem superior a 8 minutos.

Uma margem tão larga, ainda que encurtada pela perseguição do Sporting-Tavira e da Efapel, foi suficiente para que os mais fortes dos fugitivos pudessem discutir entre eles a etapa. Na última subida da etapa, a cerca de 20 quilómetros do fim, apenas Guillaume Almeida e Daniel Silva estavam em cabeça de corrida, mas os quilómetros seguintes permitiram juntar seis homens na dianteira.

Foi entre o sexteto que se decidiu a etapa. Rafael Lourenço atacou de longe e entrou sozinho nos derradeiros 200 metros, sinuosos e técnicos. Pedalou com garra no empedrado, a subir, de aproximação à meta e ergueu os braços para comemorar a primeira vitória como profissional. Rafael Lourenço concluiu a etapa com 3h08m05s, menos 2 segundos do que os perseguidores mais diretos. Guillaume Almeida foi o segundo classificado e Daniel Silva o terceiro.

“Sabe muito bem ganhar, ainda que tenha sido uma surpresa para mim, porque não fazia ideia que a fuga poderia chegar. Ainda ontem tive um péssimo dia e cheguei a falar em desistir. Esta vitória vem dar outra confiança para o futuro”, disse Rafael Lourenço, rodeado pelos companheiros de equipa, que festejaram o triunfo em coletivo, depois da linha de meta.

Nuno Meireles cortou a meta na quarta posição, beneficiando dos 5 segundos de bonificação que amealhou nas duas metas volantes para chegar à camisola amarela. Tem 1 segundo de vantagem sobre Daniel Silva e 41 segundos de margem para o anterior comandante, Rafael Silva (Efapel).

“Ainda não estou completamente em mim. É fantástico chegar a esta camisola amarela que nunca pensei que pudesse ser minha. Vem compensar o esforço e o trabalho de todos os dias. Devo esta alegria a toda a equipa, especialmente ao chefe, Pedro Silva, que nunca deixou de acreditar em mim”, afirmou Nuno Meireles, tentando segurar as lágrimas de felicidade.

Além da etapa e da geral individual, a fuga de hoje determinou a liderança da classificação por pontos, em posse de Rafael Lourenço, da montanha, cujo primeiro lugar foi reforçado por Guillaume Almeida, e das metas volantes, comandada por Nuno Meireles. Paulo Silva (LA Alumínios) foi o mais combativo do dia. Daniel Silva (Sicasal/Constantinos/Delta Cafés) é o melhor sub-23 das equipas de clube. A Miranda-Mortágua está no topo da classificação por equipas.

Nesta quarta-feira o pelotão vai acordar cedo e terminar tarde a jornada de trabalho, tudo porque terá pela frente uma etapa em dois setores. Às 8h30 a caravana sai de Monção para cumprir 78 quilómetros até Viana do Castelo, onde deverá chegar cerca das 10h50. A partir das 16h00 corre-se um contrarrelógio individual de 9,5 quilómetros, em Barcelos. As primeiras grandes definições na luta pela camisola amarela devem surgir neste exercício individual.

Classificações
2.ª Etapa: Viana do Castelo – Monção, 127,5 km
1.º Rafael Lourenço (Liberty Seguros-Carglass), 3h08m05s (Média: 40,673 km/h)
2.º Guillaume Almeida (Fortunna/Maia), a 2s
3.º Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista), mt
4.º Nuno Meireles (Miranda-Mortágua), mt
5.º Paulo Silva (LA Alumínios), mt
6.º José Sousa (Miranda-Mortágua), a 6s
7.º Luís Mendonça (Aviludo-Louletano-Uli), a 48s
8.º João Matias (Vito-Feirense-BlackJack), mt
9.º Luís Gomes (Rádio Popular-Boavista), mt
10.º Leonel Coutinho (Vito-Feirense-BlackJack), mt

Geral Individual
1.º Nuno Meireles (Miranda-Mortágua), 6h23m39s
2.º Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista), a 1s
3.º Rafael Silva (Efapel), a 41s
4.º Daniel Mestre (Efapel), a 45s
5.º César Fonte (W52-FC Porto), a 47s
6.º Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista), a 48s
7.º Filipe Cardoso (Rádio Popular-Boavista), a 49s
8.º Joni Brandão (Sporting-Tavira), mt
9.º David de la Fuente (Aviludo-Louletano-Uli), a 50s
10.º João Matias (Vito-Feirense-BlackJack), a 51s

In Federação Portuguesa de Ciclismo
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,858
3,476
Porto
Classificação Portista:

Etapa:
17º João Rodrigues a 48s
21º Gustavo Veloso mt
25º António Carvalho mt
48º José Neves mt
51º Ricardo Mestre mt
62º Rui Vinhas mt
79º Ángel Rebollido a 1:23
87º César Fonte a 48s

Geral Individual:
5º César Fonte a 47s
18º João Rodrigues a 51s
20º Gustavo Veloso mt
23º António Carvalho mt
35º José Neves mt
38º Ricardo Mestre mt
49º Rui Vinhas mt
55º Ángel Rebollido a 1:26

Geral Equipas:
5º W52/FCPorto a 1:28

Geral Pontos:
8º César Fonte 16 pts
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,858
3,476
Porto
Na fase final da etapa tivemos houve uma queda que afectou o César Fonte, o José Neves e O Rui Vinhas. Os três perderam cerca de 6m.

É esperar que não tenham sofrido lesões graves
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,858
3,476
Porto
Rafael Silva (Efapel) venceu hoje o primeiro setor da terceira etapa do GP Jornal de Notícias Leilosoc, uma curta ligação de 78 quilómetros, entre Monção e Viana do Castelo, que guindou Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista) ao topo da classificação geral.

A viagem foi muito rápida, com média de 43,3 km/h, e terminou ao sprint. Rafael Silva, que vencera a primeira etapa, em Viseu, confirmou os pergaminhos de velocista mais rápido deste pelotão e conquistou novo triunfo. O segundo foi António Carvalho (W52-FC Porto) e o terceiro Luís Gomes (Rádio Popular-Boavista).

Apesar de a chegada ser ao sprint, registou-se uma mudança na classificação geral, tudo porque o pelotão chegou “cortado” a Viana do Castelo. Nuno Meireles cedeu seis segundos na chegada e, assim, perdeu a camisola amarela para Daniel Silva. O boavisteiro comanda com 5 segundos de vantagem sobre o corredor da Miranda-Mortágua. O terceiro, a 34 segundos, é Rafael Silva.

Os grandes protagonistas do setor matinal da terceira etapa conheceram-se na meta, mas a viagem foi aninada por uma fuga, iniciada ao quilómetro 10, por sete homens, Gonçalo Amado (ACDC Trofa/Trofense), Rui Rodrigues (Aviludo-Louletano-Uli), António Monteiro (Fortunna/Maia), Júlio Gonçalves e Fábio Mansilhas (LA Alumínios), Rafael Lourenço (Liberty Seguros-Carglass) e Soufiane Haddi (Vito-Feirense-BlackJack). A diferença chegou aos dois minutos, mas foi perdendo gás com a aproximação da meta e com a perseguição da Miranda-Mortágua.

O grupo de escapados também foi perdendo unidades. A fuga acabou a 6 quilómetros do fim, começando a desenhar-se a possibilidade de uma chegada ao sprint. Fábio Mansilhas viu premiada a presença ativa na escapada com o Prémio da Combatividade.

A velocidade e a tensão dos quilómetros finais provocaram quedas. Entre os acidentados estiveram três homens da W52-FC Porto, que deitaram por terra a possibilidade de discutir a classificação geral: César Fonte, José Neves e Rui Vinhas.

A terceira etapa só ficará completa com a realização do segundo setor, a partir das 16h00. Será um contrarrelógio individual de 9,5 quilómetros, a disputar na cidade de Barcelos. Espera-se que os candidatos à conquista do 28.º Grande Prémio Jornal de Notícias Leilosoc estabeleçam aí as primeiras diferenças significativas.

Daniel Silva será o último a partir, por ser dono da camisola amarela. Nas restantes classificações comandam Rafael Silva, nos pontos, Guillaume Almeida (Fortunna/Maia), na montanha, Nuno Meireles, nas metas volantes, e Daniel Silva (SIcasal/Constantinos/Delta Cafés), na juventude.

Classificações
3.ª Etapa - 1.º Setor: Monção - Viana do Castelo, 78 km
1.º Rafael Silva (Efapel), 1h48m05s (Média: 43,300 km/h)
2.º António Carvalho (W52-FC Porto), mt
3.º Luís Gomes (Rádio Popular-Boavista), mt
4.º Mário González (Sporting-Tavira), mt
5.º João Matias (Vito-Feirense-BlackJack), mt
6.º César Martingil (Liberty Seguros-Carglass), mt
7.º Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano-Uli), mt
8.º Leonel Coutinho (Vito-Feirense-BlackJack), mt
9.º Luís Mendonça (Aviludo-Louletano-Uli), mt
10.º Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista), mt

Geral Individual
1.º Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista), 8h11m45s
2.º Nuno Meireles (Miranda-Mortágua), a 5s
3.º Rafael Silva (Efapel), a 34s
4.º Daniel Mestre (Efapel), a 44s
5.º António Carvalho (W52-FC Porto), a 46s
6.º Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista), a 47s
7.º Luís Gomes (Rádio Popular-Boavista), a 48s
8.º Filipe Cardoso (Rádio Popular-Boavista), mt
9.º Joni Brandão (Sporting-Tavira), mt
10.º João Matias (Vito-Feirense-BlackJack), a 50s

In Federação Portuguesa de Ciclismo
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,858
3,476
Porto
Classificação Portista:

Etapa:
2º António Carvalho mt
12º João Rodrigues mt
22º Gustavo Veloso mt
60º Ángel Rebollido a 15s
65º Ricardo Mestre a 38s
96º Rui Vinhas a 6:13
97º César Fonte mt
98º José Neves mt

Geral Individual:
5º António Carvalho a 46s
16º João Rodrigues a 50s
21º Gustavo Veloso mt
49º Ricardo Mestre a 1:28
50º Ángel Rebollido a 1:40
55º César Fonte a 6:59
57º José Neves a 7:03
58º Rui Vinhas mt

Geral Equipas:
6º W52/FCPorto a 1:16

Geral Pontos:
8º César Fonte 16 pts
12º António Carvalho 8 pts
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,858
3,476
Porto
O Contra Relógio começa às 16h. Os cislistas partem de 1 em 1 minuto. O top10 parte com 2m de diferença.

Horário de Partida dos ciclistas da nossa equipa:

16h40: Rui Vinhas
16h42: José Neves
16h44: César Fonte
16h48: Angél Rebollido
16h50: Ricardo Mestre
17h18: Gustavo Veloso
17h23: João Rodrigues
17h42: António Carvalho 
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,858
3,476
Porto
Neste momento temos o melhor tempo com o José Neves. Fez o CR em 12m23s

Surgiram notícias que teriam uma fractura de clavícula, mas a julgar por este desempenho, não me parece que seja verdade.