37ª Volta ao Alentejo (2.2.)

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,941
3,600
Porto
O britânico Gabriel Cullaigh (Team Wiggins LeCol) ganhou hoje a terceira etapa da Volta ao Alentejo, uma viagem de 176,5 quilómetros, entre Santiago do Cacém e Mora, e arrebatou a camisola amarela a Enrique Sanz (Euskadi Basque Country-Murias).

A etapa começou a ser movimentada logo ao quilómetro 2, juntando na frente cinco corredores, Tiago Machado (Sporting-Tavira), Bruno Araújo (BAI-Sicasal-Petro de Luanda), James Fouché (Team Wiggins LeCol), Kirill Sveshnikov (Lokosphinx) e Jokin Aramburu (Equipo Euskadi). A vantagem dos fugitivos chegou a passar os 4 minutos, mas o entendimento nunca foi o forte entre o quinteto, que acabaria por desfazer-se e todos os elementos foram absorvidos aos 113 quilómetros de corrida.

Seguiram-se várias escaramuças, mas a nota mais importante foi a aceleração da W52-FC Porto e da Efapel, partindo o pelotão em dois grandes grupos. Foi o primeiro destes blocos que discutiu a tirada, nas exigentes rampas de Mora.

Gabriel Cullaigh, vencedor da primeira e da última etapas da Volta ao Alentejo em 2018, foi o mais forte, relegando Luís Mendonça (Rádio Popular-Boavista) e Rafael Silva (Efapel) para o segundo e terceiro lugares, respetivamente.

O corredor da Team Wiggins LeCol assumiu o comando da geral individual. Gabriel Cullaigh é o primeiro, com o mesmo tempo e com os mesmos pontos de Luís Mendonça, acontecendo o desempate por Cullaigh ter vencido a etapa de hoje. O terceiro, também com o mesmo tempo, é Vicente García de Mateos (Aviludo-Louletano).

Além da geral individual, a Team Wiggins LeCol assumiu o comando das classificações da montanha, através do combativo James Fouché, e dos pontos, por intermédio do camisola amarela, Gabriel Cullaigh. Rhys Britton (Seleção Sub-23 da Grã-Bretanha). A Euskadi Basque Country-Murias mantém o primeiro lugar por equipas.

O Alto Alentejo promete ser juiz no desfecho da Volta ao Alentejo, graças à jornada dupla de sábado. O primeiro setor da quarta etapa liga Ponte de Sor a Portalegre, numa viagem de 74,3 quilómetros, cujo ponto nevrálgico será a subida de Cabeço de Mouro, cujo ponto mais alto fica a uma descida de 5,4 quilómetros da meta. De tarde corre-se o segundo setor, um contrarrelógio individual de 8,4 quilómetros, em Castelo de Vide, que inclui a subida à Senhora da Penha.

Os corredores notoriamente em melhor forma não foram surpreendidos pela investida da W52-FC Porto e da Efapel, que hoje fizeram “bordures” para partir o pelotão. Adivinha-se, pois, uma luta acesa na etapa dupla de sábado.

In Federação Portuguesa de Ciclismo
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,941
3,600
Porto
Classificação Portista:

Etapa:
12º Raúl Alarcon mt
13º João Rodrigues mt
25º Rafael Reis mt
53º Edgar Pinto + 24s
54º Samuel Caldeira mt
56º Ricardo Mestre + 26s
65º Daniel Mestre + 1m11s

Geral:
8º Raúl Alarcon mt
12º João Rodrigues mt
25º Rafael Reis + 14s
45º Samuel Caldeira + 2m13s
50º Daniel Mestre + 2m57s
82º Edgar Pinto + 13m35s
83º Ricardo Mestre + 13m54s

Geral Equipas:
2º W52 FC Porto mt

Geral Pontos:
5º Raul Alarcon 21 pts
18º João Rodrigues 5 pts
20º Ricardo Mestre 4 pts
28º Edgar Pinto 2 pts
 

Pedro R.

Tribuna Presidencial
26 Julho 2015
5,511
0
27
Porto
Tanto se falou do Machado e o gajo hoje leva 8 minutos. Tal como já referi, do Tavira a ameaça é o Fred Figueiredo
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,941
3,600
Porto
Vitória na 4ª etapa para Sergio Higuita da Fundacion Euskadi.

João Rodrigues 4º

Alarcon 8º

 

tfernandes

Arquibancada
27 Outubro 2017
111
5
A geral irá para o Foss ou para o Marque... A não ser que tanto o Alarcon ou o Rodrigues estejam num dia super e façam um Crono melhor que estes 2 especialistas
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,941
3,600
Porto
tfernandes disse:
A geral irá para o Foss ou para o Marque... A não ser que tanto o Alarcon ou o Rodrigues estejam num dia super e façam um Crono melhor que estes 2 especialistas
O ano passado o Marque e o Mendonça fizeram o mesmo tempo, curiosamente, por isso não descarto o Mendonça para lutar pela vitória.

O Foss também tem boas referências, mas sobretudo em distâncias mais longas.

Os nossos não são maus no CR mas vamos ver como é que se vão safar.
 

joaoalvercafcp

Tribuna Presidencial
13 Março 2012
21,523
0
https://www.fcporto.pt

RAÚL ALARCÓN FOI O MELHOR DRAGÃO NA CHEGADA A MORA

A 3.ª etapa da Volta ao Alentejo foi ganha pelo ciclista britânico Gabriel Cullaigh (Team Wiggins LeCol)
Raúl Alarcón terminou a 3.ª etapa da Volta ao Alentejo na 12.ª posição, ao ultrapassar os 176.5 km que ligam Santiago do Cacém a Mora em 4h21m11s. O ciclista português, juntamente com João Rodirgues (13.º) e Rafael Reis (25.º), terminou com o mesmo tempo que Gabriel Cullaigh (Team Wiggins Lecol), que venceu a etapa e passou a vestir a camisola amarela.

Edgar Pinto (53.º), Samuel Caldeira (54.º), Ricardo Mestre (56.º) e Daniel Mestre (65.º) foram os outros ciclistas da W52-FC Porto na estrada nesta sexta-feira. Em termos coletivos, a formação azul e branca segue na segunda posição, com o mesmo tempo que a Euskadi Basque Country-Murias, primeira classificada.

Na geral individual, Raúl Alarcón (8.º) continua a marcar presença entre os dez primeiros, mantendo o mesmo tempo que o camisola amarela. Estas são as posições dos restantes ciclistas da W52-FC Porto: João Rodrigues (12.º), Rafael Reis (25.º), Samuel Caldeira (45.º), Daniel Mestre (50.º), Edgar Pinto (82.º) e Ricardo Mestre (83.º).

Este sábado é dia de jornada dupla. De manhã corre-se o primeiro setor da quarta etapa, entre Ponte de Sor e Portalegre (74.3 km). A partir das 15h00, o segundo setor dá lugar ao contrarrelógio individual, em Castelo de Vide (8.4 km).
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,941
3,600
Porto
O colombiano Sergio Higuita (Equipo Euskadi) venceu hoje o primeiro setor da quarta etapa da Volta ao Alentejo, uma ligação de 74,3 quilómetros entre Ponte de Sor e Portalegre, aproveitada pelo português Luís Mendonça (Rádio Popular-Boavista) para assumir o comando da geral individual.

Numa tirada curta, o pelotão não deu grande margem para a formação de fugas que pudessem conquistar uma vantagem inalcançável. Ainda assim, seis homens tentaram a sorte e rolaram adiantados grande parte da viagem, embora com a renda máxima a ficar aquém do minuto. O campeão neozelandês, James Fouché (Team Wiggins LeCol), foi o mais beneficiado com a iniciativa, somando os pontos necessários para conquistar o título de rei dos trepadores.

A escapada sucumbiu antes da subida para Cabeço de Mouro, local em que aconteceram as movimentações determinantes, tendo em vista a luta pela camisola amarela. Apesar das mexidas, foi um grupo de novo corredores que discutiu o triunfo na etapa.

Sergio Higuita, em trânsito para o WorldTour, que alcançará a 1 de maio, ao serviço da EF Education First, foi o vencedor da etapa, seguido pelo ex-sportinguista Mário González (Euskadi Basque Country-Murias) e pelo norueguês Tobias Foss (Uno-X Norwegian Development Team).

Quinto na etapa, o vencedor da Volta ao Alentejo em 2018, Luís Mendonça assumiu o comando da geral individual, com o mesmo tempo dos oito perseguidores mais próximos. O segundo é Tobias Foss e o terceiro é Sergio Higuita.

A luta pela geral deverá envolver os três melhores da geral e os restantes corredores com o mesmo tempo: Raúl Alarcón e João Rodrigues (W52-FC Porto), Alexander Vdovin (Lokosphinx), Mário González, Alejandro Marque (Sporting-Tavira) e Txomin Jurasti (Equipo Euskadi).

Vai ser o segundo setor da quarta etapa, um contrarrelógio de 8,4 quilómetros, em Castelo de Vide, a definir a geral. A prova corre-se nesta tarde e, cerca das 18h30, ficaremos a conhecer o resultado.

De entre os homens da geral, o melhor neste mesmo contrarrelógio em 2018 – disputado sob chuva, ao contrário do que sucederá hoje – foi Luís Mendonça. No entanto, Alarcón não estava em forma, João Rodrigues, Sergio Higuita e Tobias Foss não integravam o pelotão. Se o potencial dos corredores das equipas nacionais é conhecido, merecem ser destacados Tobias Foss, com dois top 10 na Volta a França do Futuro no currículo e o sexto lugar no mundial de contrarrelógio sub-23 em 2018, e Sergio Higuita.

In Federação Portuguesa de Ciclismo
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,941
3,600
Porto
Classificação Portista:

Etapa:
4º João Rodrigues mt
8º Raúl Alarcon mt
17º Rafael Reis + 38s
31º Ricardo Mestre + 1m
32º Edgar Pinto mt
72º Samuel Caldeira + 3m15s
73º Daniel Mestre mt

Geral:
4º Raúl Alarcon mt
5º João Rodrigues mt
18º Rafael Reis + 52s
45º Samuel Caldeira + 5m28s
46º Daniel Mestre + 6m12s
70º Edgar Pinto + 14m35s
73º Ricardo Mestre + 14m54s

Geral Equipas:
1º W52 FC Porto

Geral Pontos:
7º Raul Alarcon 25 pts
9º João Rodrigues 18 pts
23º Ricardo Mestre 4 pts
32º Edgar Pinto 2 pts

Geral Montanha:
4º Raúl Alarcon 6 pts
5º João Rodrigues 4 pts
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,941
3,600
Porto
Horário de partida dos nossos ciclistas para o CRI:

17h03m - Ricardo Mestre
17h06m - Edgar Pinto
17h29m - Daniel Mestre
17h31m - Samuel Caldeira 
17h58m - Rafael Reis
18h10m - João Rodrigues
18h12m - Raul Alarcon

O CRI começa às 16h20m. Os ciclistas partem com 1 minuto entre si.
 

Pedrix77

Tribuna Presidencial
6 Outubro 2016
7,941
3,600
Porto
Vitória na etapa para o João Rodrigues que também é o novo camisola amarela!

Alarcon 3º no CRI e na Geral.