#HóqueiEmPatins Competições Europeias 2021/2022

eljoni

Bancada central
7 Julho 2019
2,303
2,647
Conquistas
5
  • Alfredo Quintana
  • Reinaldo Teles
  • Sérgio Conceição
  • Lucho González
Devem chegar a um entendimento. Caso contrário, deverá arrancar uma espécie de EuroLeague no hóquei.
 
  • Like
Reações: otilious

Tails

Tribuna
6 Janeiro 2013
3,057
2,923
SuperLiga no hoquei ?

Ei.. então os ricos do hóquei só pensam no dinheiro, etc etc.

Quem é Florentino aqui ? :unsure:
 

BM

Bancada lateral
30 Junho 2017
657
828
Conquistas
4
  • Alfredo Quintana
  • Reinaldo Teles
  • Campeão Nacional 19/20
  • Taça de Portugal 19/20
Mas no hóquei tem lógica, são meia dúzia de países que têm a modalidade.
 

Ivganovich

Tribuna
29 Junho 2017
3,359
1,208
Conquistas
1
  • Alfredo Quintana
O amadorismo do hóquei só não surpreende, porque é assim há anos. Apesar, que ao contrário do que é normal acontecer, acho que tem piorado de ano para ano. Parece que todos os anos crava mais um prego no seu próprio caixão.
 
  • Like
Reações: otilious e eljoni

eljoni

Bancada central
7 Julho 2019
2,303
2,647
Conquistas
5
  • Alfredo Quintana
  • Reinaldo Teles
  • Sérgio Conceição
  • Lucho González
O amadorismo do hóquei só não surpreende, porque é assim há anos. Apesar, que ao contrário do que é normal acontecer, acho que tem piorado de ano para ano. Parece que todos os anos crava mais um prego no seu próprio caixão.
É uma pena porque é uma modalidade fantástica.

Falta vontade...
 

onurB

Bancada central
8 Agosto 2015
1,993
1,906
40
Porto
Infelizmente, é o que temos. Sempre achei o hóquei uma modalidade espectacular (para isso muito contribuíram os meus tempos de miúdo no velhinho pavilhão Américo de Sá) mas cada vez mais nos aproximamos do ponto em que se tornará uma modalidade ibérica, com Itália a espreitar e, claro, a Argentina lá do outro lado do Atlântico...isolada no que toca a hóquei.
Não vejo como isto possa melhorar nos próximos anos, aliás, vejo precisamente o contrário. Nem quero imaginar como será quando alguns dos actuais craques deixarem a modalidade.
 
  • Triste
Reações: Flamma

Pombal

Tribuna Presidencial
3 Abril 2010
17,463
6,396
Conquistas
3
  • Setembro/16
  • Alfredo Quintana
  • Outubro/21
A modalidade sempre foi assim, não é novidade.

Em relação à organização do evento, não ha muitos anos e não havia ninguem para organizar uma taça em basket. Não foi por isso que passou a ser melhor ou pior.
 

bluevertigo

Tribuna Presidencial
26 Maio 2014
8,180
2,382
Conquistas
1
Lisboa
  • Fevereiro/20
Se este desporto quiser continuar a sobreviver com alguma qualidade e receita minimamente decente, à boleia deste conflito entre organizações da Liga Europeia, acho que está na hora de inevitavelmente se criar uma nova Liga Europeia ao estilo da EuroLeague do basquetebol, mas sem a parte dos lugares fixos. Parece-me o melhor para este desporto.

Uma liga de 10 clubes portugueses (4 primeiros), espanhóis (4 primeiros) e italianos (2 primeiros) a duas voltas casa e fora (18 jogos) realizada ao mesmo tempo que os campeonatos nacionais. Esta época seria entre estes clubes por exemplo: Porto, sporting, benfica, Barcelos, Barcelona, Liceo, Reus, Caldes, Amatore Lodi e Forte dei Marmi. Atualmente estes 10 clubes estão no top 11 do ranking mundial.
Gostava de uma Superliga Europeia (SE) pelo lado desportivamente atrativo.
A diferença de qualidade é muita e em formato de liga a duas voltas seria ainda mais castigador ter pelo menos uma vaga para o de melhor ranking dos menores (França, Alemanha, Suiça). 18 jornadas já parece tão longo.

Ainda assim, duas voltas e depois Final Eight talvez num só local, num fim de semana. Organizando um dos participantes. Final eight/four é o formato referência utilitário, agregador de espectáculo final de decisões. Mas até gostaria mais de meias a duas mãos, permitindo jogar mais um jogo em casa com pavilhão vibrante. Mas confesso que depois é estranho ter a final a um jogo "isolada". Organizando um dos finalistas, jogaria sempre um em casa. Motivação de quem não está para organizar?! Cidade-pavilhão neutro? Tem que respirar hóquei.

Por outro lado lembrar que a época tem Elite Cup, Campeonato nacional (regular + POs), Taça 1947, Taça de Portugal (?) e este ano, ainda e também Campeonato da Europa de selecções, incomumente "dentro" do calendário de clubes em Novembro. SE aos fins de semana e nacional a meio da semana?!
Para o espectador e adepto, seria um deleite. Mas a carga, viagens, desgaste, gastos é enorme. Isto é hóquei.
Mas nem que se estendesse o calendário, começando mais cedo.
Hóquei pára "demasiado" tempo.
 

bluevertigo

Tribuna Presidencial
26 Maio 2014
8,180
2,382
Conquistas
1
Lisboa
  • Fevereiro/20
Pessoalmente, acabava com a Elite Cup e com a Taça 1947 porque acho taças a mais. Bastava Campeonato Nacional, Taça de Portugal, Supertaça António Livramento num formato Final Four (2 finalistas do campeonato + 2 finalistas da Taça de Portugal) e a Liga Europeia (mais a competição europeia de nível menor para outros clubes).

Se ainda assim 18 jogos fosse um problema e se tivesse mesmo de incluir clubes de campeonatos abaixo dos 3 primeiros no ranking em vez de os mandar para a competição europeia do seu nível, que é a abaixo da Liga Europeia, então optaria por este formato que é parecido com o do torneio olímpico de andebol: reduzia-se o número de participantes de 16 para 12 clubes (4 do português, 4 do espanhol, 2 do italiano e 2 dos 2 campeonatos mais bem classificados a seguir a estes 3) e seriam divididos em 2 grupos de 6 (2 portugueses, 2 espanhóis, 1 italiano e 1 de um país periférico em cada grupo) a duas voltas casa e fora (10 jogos), depois os 2 últimos de cada grupo eram eliminados e os 4 primeiros avançavam para a ronda a eliminar de acordo com a sua classificação no grupo (A1-B4, B1-A4, A2-B3 e B2-A3) a duas mãos (12 jogos) e os vencedores disputavam a Final Four (total de 14 jogos e a competição teria bastante mais jogos: 71).
1-2 vagas para França/Suiça/Alemanha seria só para mais "latitude" e não exclusividade.
Desafio para eles enfrentarem os maiores. Mas quanto mais longa a Liga talvez mais contra-producente (desgaste, carga, desnível, jogar a quê?!).
Seria preciso sustentar projeto com base nacional, 2-3 estrangeiros + treinador, todos mesmo de 2ª linha, mas com experiência, para passar experiência, e trabalhar muito a formação em continuação.
Por outro lado cresceriam sempre e também se contra portugueses, espanhóis e italianos na WSE.

2 grupos de 6, nesse formato que dizes parece interessante.
Mas não chego é aos números que referes (12, 14, 71 jogos?!).
De qualquer forma, sim, ajuste, enquadramento/desbaste olhando ao massivo das outras competições.