#Basquetebol Liga 3ª J.: Barreirense-FC Porto 48-94

zeco

Superior
11 Outubro 2020
21
22
O equipamento estava a funcionar quando o jogo começou. E há um regulamento que prevê estas situações, simplesmente o bom senso tem de imperar. E foi o que aconteceu.

O facto de ser uma liga profissional não a torna imune a estes problemas. Pode ser um problema com o placard eletrónico, pode ser com os 24 segundos, pode ser com uma tabela que se estraga num aquecimento, etc... são coisas que vão sempre acontecer e tenho a certeza que o pessoal do Porto compreendeu isso perfeitamente. É uma questão de bom senso, não deve haver ninguém no basket que não tenha passado por esta situação mais do que uma vez, seja em casa ou fora. E se havia alguém que estava angustiado com esta situação, garanto-te que era o pessoal do Barreirense.
Naturalmente, que tem de haver bom senso, mas também têm de existir regras e regulamentos que prevejam estas situações.

Se algo deste género acontecer em competições FIBA (um jogo ser interrompido cerca de 50 minutos por falha do equipamento técnico), o que dizem os regulamentos?
 

Celta7

Tribuna Presidencial
9 Março 2012
5,257
237
Naturalmente, que tem de haver bom senso, mas também têm de existir regras e regulamentos que prevejam estas situações.

Se algo deste género acontecer em competições FIBA (um jogo ser interrompido cerca de 50 minutos por falha do equipamento técnico), o que dizem os regulamentos?
O clube da casa tem 30 minutos para resolver o problema. Caso não resolva, tem mais uma hora para arranjar um novo pavilhão para concluir o jogo. Se depois dessa hora e meia não tiver arranjado novo pavilhão, o jogo diputa-se na casa do visitante.

Como te disse, é uma questão de bom senso, é preferível dar um pouco mais de tempo para resolver qualquer que seja o problema do que voltar para os balneários, arrumar tudo, deslocarem-se para um novo pavilhão, preparar esse pavilhão para um jogo, fazer novo aquecimento e retomar a partida. Neste caso especifico, obviamente que árbitros (e o Porto) permitiram que o Barreirense tivesse mais tempo para resolver a anomalia porque já sabem que uma mudança de campo é pior do que esperar mais 15 ou 20 minutos do que o que está regulamentado.
 

zeco

Superior
11 Outubro 2020
21
22
O clube da casa tem 30 minutos para resolver o problema. Caso não resolva, tem mais uma hora para arranjar um novo pavilhão para concluir o jogo. Se depois dessa hora e meia não tiver arranjado novo pavilhão, o jogo diputa-se na casa do visitante.

Como te disse, é uma questão de bom senso, é preferível dar um pouco mais de tempo para resolver qualquer que seja o problema do que voltar para os balneários, arrumar tudo, deslocarem-se para um novo pavilhão, preparar esse pavilhão para um jogo, fazer novo aquecimento e retomar a partida. Neste caso especifico, obviamente que árbitros (e o Porto) permitiram que o Barreirense tivesse mais tempo para resolver a anomalia porque já sabem que uma mudança de campo é pior do que esperar mais 15 ou 20 minutos do que o que está regulamentado.
"O clube da casa tem 30 minutos para resolver o problema. Caso não resolva, tem mais uma hora para arranjar um novo pavilhão para concluir o jogo. Se depois dessa hora e meia não tiver arranjado novo pavilhão, o jogo diputa-se na casa do visitante."

Não me parece que uma regra/regulamento nestes termos, seja apropriada para uma competição profissional de uma modalidade com estatuto de alta competição.
Desde logo, porque é uma regra/regulamento que provoca desigualdades, consoante o clube da casa seja de Lisboa ou Porto, ou de um local do país onde não haja pavilhões a uma hora de distância com condições para se disputar um jogo de basquetebol.

No caso das competições FIBA, a regra é igual?
 

Celta7

Tribuna Presidencial
9 Março 2012
5,257
237
"O clube da casa tem 30 minutos para resolver o problema. Caso não resolva, tem mais uma hora para arranjar um novo pavilhão para concluir o jogo. Se depois dessa hora e meia não tiver arranjado novo pavilhão, o jogo diputa-se na casa do visitante."

Não me parece que uma regra/regulamento nestes termos, seja apropriada para uma competição profissional de uma modalidade com estatuto de alta competição.
Desde logo, porque é uma regra/regulamento que provoca desigualdades, consoante o clube da casa seja de Lisboa ou Porto, ou de um local do país onde não haja pavilhões a uma hora de distância com condições para se disputar um jogo de basquetebol.

No caso das competições FIBA, a regra é igual?
Estás a procurar problemas onde eles não existem. Coimbra, Barreiro, Aveiro, Guimarães, Funchal, Angra do Heroísmo, etc... não são propriamente aldeias. O regulamento está bem delineado, nunca houve problemas em fazê-lo cumprir.
 

zeco

Superior
11 Outubro 2020
21
22
Estás a procurar problemas onde eles não existem. Coimbra, Barreiro, Aveiro, Guimarães, Funchal, Angra do Heroísmo, etc... não são propriamente aldeias. O regulamento está bem delineado, nunca houve problemas em fazê-lo cumprir.
O regulamento está bem delineado... na tua opinião. Posso ter uma opinião diferente?

E se o regulamento está assim tão bem delineado, seria interessante sabermos se em competições internacionais a regra é igual.
 

Celta7

Tribuna Presidencial
9 Março 2012
5,257
237
O regulamento está bem delineado... na tua opinião. Posso ter uma opinião diferente?

E se o regulamento está assim tão bem delineado, seria interessante sabermos se em competições internacionais a regra é igual.
Podes, eu não sei é qual é a tua alternativa. De qualquer maneira, não é só a minha opinião, é a de todos os clubes que aprovaram o regulamento.