Autor Tópico: Violência doméstica e familiar  (Lida 1934 vezes)

Noventa e Nove

  • Visitante
Re: Violência doméstica e familiar
10/Mar/19, 02:29 • #35071
Como conseguiram resolver?

Não diria resolver. Foi viver para outro país por questões profissionais. Não estamos a falar de um "coitadinho", mas alguém com bom emprego, poder económico, por fora uma pessoa culta, boa conversadora, cativante. "Ninguém" imagina o que ele realmente é.

Já há cerca de dois anos e meio que não dá qualquer sinal, mas sei que a minha namorada continua com aquele receio, lá no fundo, que um dia pode voltar. Uma das ameaças que ele fez foi prometer-lhe que um dia, por detrás de algum arbusto, ia voar ácido à cara dela, para que mais ninguém a quisesse. E ainda teve a... não sei como adjetivar... de dizer que contrataria alguém para o fazer pois ainda a amava e não tinha coragem de o fazer pelas próprias mãos.

A sério ainda me dá náuseas só de falar disto.
« Última modificação: 10/Mar/19, 02:33 por Noventa e Nove »

Online jaco250

  • Bancada central
  • ***
  • Mensagens: 1.687
  • Desde: Dez 2015
Re: Violência doméstica e familiar
10/Mar/19, 02:29 • #81036
Acredito que não.

 Deve ser demasiado violento emocionalmente.

Mas ninguém merece viver assim o facto de ter a vida c8nciliada não merece ser infeliz. Em bom rigor os filhos também são infelizes

Tens filhos?

Se tens, imaginas que é de um momento para o outro só poderes estar com ele um ou dois dias por semana? Saberes que anda outro gajo a fazer o papel de pai?

Se calhar são estas coisas que fazem com que certas situações acabem da pior maneira.

Ninguém é obrigado a nada, por isso deve-se é aconselhar bem as pessoas a fazerem as coisas ponderadamente, não é casar ou juntar, fazer filhos é depois com uma crise deeia idade qualquer colocar tudo em causa, é isto tanto serve para homem como para mulher. È que quando isto acontece há sempre uma parte que fica pior que a outra, e depois acaba tudo em tragédia l.

Online jaco250

  • Bancada central
  • ***
  • Mensagens: 1.687
  • Desde: Dez 2015
Re: Violência doméstica e familiar
10/Mar/19, 02:31 • #95049
Mas isso não faz sentido. Na separação devia ter acautelado esse encargo. O banco não é para aqui chamado.

Ele que deixe de pagar que o banco depressa entra com penhora sobre o imóvel.

Pois... Foi isso que eu lhe disse, encosta a á parede e ela que assuma se não ele que meta a casa á venda, mas ela mete logo a filha no assunto...


Offline WaywardPines

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 3.451
  • Desde: Jul 2016
Re: Violência doméstica e familiar
10/Mar/19, 02:34 • #50042
Tens filhos?

Se tens, imaginas que é de um momento para o outro só poderes estar com ele um ou dois dias por semana? Saberes que anda outro gajo a fazer o papel de pai?

Se calhar são estas coisas que fazem com que certas situações acabem da pior maneira.

Ninguém é obrigado a nada, por isso deve-se é aconselhar bem as pessoas a fazerem as coisas ponderadamente, não é casar ou juntar, fazer filhos é depois com uma crise deeia idade qualquer colocar tudo em causa, é isto tanto serve para homem como para mulher. È que quando isto acontece há sempre uma parte que fica pior que a outra, e depois acaba tudo em tragédia l.

No meio disto tudo os filhos são sempre os que mais sofrem, não tenho dúvidas.

Mas por vezes também temos de pensar em nós, também temos o direito de ser felizes.

Que deixe de pagar que peça custódia partilhada. Que lute pela filha.

Eu compreendo que não é fácil mas ele merece viver sem estar debaixo da para dela.

Online jaco250

  • Bancada central
  • ***
  • Mensagens: 1.687
  • Desde: Dez 2015
Re: Violência doméstica e familiar
10/Mar/19, 02:36 • #24039
Pois... Foi isso que eu lhe disse, encosta a á parede e ela que assuma se não ele que meta a casa á venda, mas ela mete logo a filha no assunto... A menina ia viver para a rua?

Sim, eu sei que ele podia pedir a custódia da filha, mas ele é tão nabo que não lhe quer tirar a mãe....

È que existem 3 tipos de pessoas nestes casos, os correctos que fariam o que dizes, os mansos que fazem o que ele está a fazer é os passados que pegam numa arma e dão um tiro nela outro na própria cabeça e fica tudo resolvido de uma vez.

Offline WaywardPines

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 3.451
  • Desde: Jul 2016
Re: Violência doméstica e familiar
10/Mar/19, 02:36 • #52096
Não diria resolver. Foi viver para outro país por questões profissionais. Não estamos a falar de um "coitadinho", mas alguém com bom emprego, poder económico, por fora uma pessoa culta, boa conversadora, cativante. "Ninguém" imagina o que ele realmente é.

Já há cerca de dois anos e meio que não dá qualquer sinal, mas sei que a minha namorada continua com aquele receio, lá no fundo, que um dia pode voltar. Uma das ameaças que ele fez foi prometer-lhe que um dia, por detrás de algum arbusto, ia voar ácido à cara dela, para que mais ninguém a quisesse. E ainda teve a... não sei como adjetivar... de dizer que contrataria alguém para o fazer pois ainda a amava e não tinha coragem de o fazer pelas próprias mãos.

A sério ainda me dá náuseas só de falar disto.

Vejo esses tipo de indivíduos como ratos. Já pensaste em lhe dar dois bananos bem assente? Provavelmente perdia logo o tesão...

Online jaco250

  • Bancada central
  • ***
  • Mensagens: 1.687
  • Desde: Dez 2015
Re: Violência doméstica e familiar
10/Mar/19, 02:38 • #19031
No meio disto tudo os filhos são sempre os que mais sofrem, não tenho dúvidas.

Mas por vezes também temos de pensar em nós, também temos o direito de ser felizes.

Que deixe de pagar que peça custódia partilhada. Que lute pela filha.

Eu compreendo que não é fácil mas ele merece viver sem estar debaixo da para dela.

Mas por isso mesmo ele não quer que a filha passe por esse processo judicial... Para não sofrer mais do que já sofreu...

Offline Mary Antas

  • Bancada lateral
  • **
  • Mensagens: 994
  • Desde: Abr 2018
Re: Violência doméstica e familiar
10/Mar/19, 02:38 • #57084
@WaywardPines a escalada da violência pode parecer complicado de entender, especialmente para quem está de fora, mas lá "dentro" é diferente.

Imagina - Deus te livre - que a tua mulher começa essa escala contra ti. Tu gostas dela. A tua primeira reação vai ser a de perdoar. Porque ela não é como as outras, ela não é assim. Tu vais fazer um esforço para tentar levar as coisas pelo melhor, se for preciso até metes na cabeça que tens culpa, só para não teres de admitir o pior cenário. Quando se gosta de alguém há a tendência natural de fechar os olhos ou desvalorizar os defeitos.

E a cada pequena cedência/perdão/compreensão o monstro vai crescendo até ao ponto em que os berros já são bofetadas. Tentas reagir e aí as bofetadas transformam-se em sovas.

Queria também esclarecer que não faço da violência doméstica um flagelo que afeta exclusivamente as mulheres. Qualquer exemplo que dei no primeiro post pode ter o sexo trocado que eu concordo na mesma. Se as mulheres são ou não mais ciumentas e controladoras nas idades mais jovens é-me indiferente, não é isso que importa debater. Infelizmente já vi de tudo.

No caso concreto dos homens, acresce o problema da vergonha, que também existe nas mulheres, mas aqui num patamar diferente.

Vivemos numa sociedade em que "sensibilidade" e "homem" são conceitos que, juntos, ainda fazem confusão a muita gente. Há muit@s que são capazes de se rir de um homem que se diga vítima de violência doméstica, em vez de compreender e ajudar, provavelmente @s mesm@s que dizem que um homem não chora - 'tão mas és homem ou quê?
Fica logo com o rótulo de fraco e maricas.

Offline WaywardPines

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 3.451
  • Desde: Jul 2016
Re: Violência doméstica e familiar
10/Mar/19, 02:40 • #13035
@WaywardPines a escalada da violência pode parecer complicado de entender, especialmente para quem está de fora, mas lá "dentro" é diferente.

Imagina - Deus te livre - que a tua mulher começa essa escala contra ti. Tu gostas dela. A tua primeira reação vai ser a de perdoar. Porque ela não é como as outras, ela não é assim. Tu vais fazer um esforço para tentar levar as coisas pelo melhor, se for preciso até metes na cabeça que tens culpa, só para não teres de admitir o pior cenário. Quando se gosta de alguém há a tendência natural de fechar os olhos ou desvalorizar os defeitos.

E a cada pequena cedência/perdão/compreensão o monstro vai crescendo até ao ponto em que os berros já são bofetadas. Tentas reagir e aí as bofetadas transformam-se em sovas.

Queria também esclarecer que não faço da violência doméstica um flagelo que afeta exclusivamente as mulheres. Qualquer exemplo que dei no primeiro post pode ter o sexo trocado que eu concordo na mesma. Se as mulheres são ou não mais ciumentas e controladoras nas idades mais jovens é-me indiferente, não é isso que importa debater. Infelizmente já vi de tudo.

No caso concreto dos homens, acresce o problema da vergonha, que também existe nas mulheres, mas aqui num patamar diferente.

Vivemos numa sociedade em que "sensibilidade" e "homem" são conceitos que, juntos, ainda fazem confusão a muita gente. Há muit@s que são capazes de se rir de um homem que se diga vítima de violência doméstica, em vez de compreender e ajudar, provavelmente @s mesm@s que dizem que um homem não chora - 'tão mas és homem ou quê?
Fica logo com o rótulo de fraco e maricas.

É complicado ☹

Noventa e Nove

  • Visitante
Re: Violência doméstica e familiar
10/Mar/19, 02:45 • #60038
Vejo esses tipo de indivíduos como ratos. Já pensaste em lhe dar dois bananos bem assente? Provavelmente perdia logo o tesão...

Pensei nisso e em muitas coisas, mas isso era uma escalada de violência que podia levar das ameaças aos atos. E ele já tinha demonstrado antes, quando estavam juntos, que passava mesmo aos atos.

Chegas a um ponto que não sabes o que fazer. Sabes o que tens vontade de fazer, que é diferente.

Mas pronto não é uma situação corrente neste momento. É uma má experiência, terrível, especialmente para a minha namorada, que fica para sempre.
« Última modificação: 10/Mar/19, 02:46 por Noventa e Nove »

Offline WaywardPines

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 3.451
  • Desde: Jul 2016
Re: Violência doméstica e familiar
10/Mar/19, 02:48 • #74044
@WaywardPines a escalada da violência pode parecer complicado de entender, especialmente para quem está de fora, mas lá "dentro" é diferente.

Imagina - Deus te livre - que a tua mulher começa essa escala contra ti. Tu gostas dela. A tua primeira reação vai ser a de perdoar. Porque ela não é como as outras, ela não é assim. Tu vais fazer um esforço para tentar levar as coisas pelo melhor, se for preciso até metes na cabeça que tens culpa, só para não teres de admitir o pior cenário. Quando se gosta de alguém há a tendência natural de fechar os olhos ou desvalorizar os defeitos.

E a cada pequena cedência/perdão/compreensão o monstro vai crescendo até ao ponto em que os berros já são bofetadas. Tentas reagir e aí as bofetadas transformam-se em sovas.

Queria também esclarecer que não faço da violência doméstica um flagelo que afeta exclusivamente as mulheres. Qualquer exemplo que dei no primeiro post pode ter o sexo trocado que eu concordo na mesma. Se as mulheres são ou não mais ciumentas e controladoras nas idades mais jovens é-me indiferente, não é isso que importa debater. Infelizmente já vi de tudo.

No caso concreto dos homens, acresce o problema da vergonha, que também existe nas mulheres, mas aqui num patamar diferente.

Vivemos numa sociedade em que "sensibilidade" e "homem" são conceitos que, juntos, ainda fazem confusão a muita gente. Há muit@s que são capazes de se rir de um homem que se diga vítima de violência doméstica, em vez de compreender e ajudar, provavelmente @s mesm@s que dizem que um homem não chora - 'tão mas és homem ou quê?
Fica logo com o rótulo de fraco e maricas.

Eu infelizmente já vivi esse problema bem por dentro; por isso essas notícias me deixam triste

Não consigo compreender o chegar ao extremo de matar... 

Offline Mary Antas

  • Bancada lateral
  • **
  • Mensagens: 994
  • Desde: Abr 2018
Re: Violência doméstica e familiar
10/Mar/19, 03:00 • #91067
Eu infelizmente já vivi esse problema bem por dentro; por isso essas notícias me deixam triste

Não consigo compreender o chegar ao extremo de matar...
Eu também não consigo entender o que pode levar alguém a violentar uma pessoa, ainda para mais alguém de que supostamente gosta. Tantos e tantos e tantos... incrível mesmo.

Problemas como alcoolismo e outro tipo de vícios ajudam a explicar parte do problema, mas não chega.
Há assim tantos loucos no meio de nós? Ou será que, lá está, os indícios já lá estavam no tempo do namoro e tu não viste ou não quiseste ver?

Ainda há muitos jovens que aceitam como normais comportamentos inaceitáveis.

Offline andre_silva

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 3.629
  • Desde: Abr 2015
Re: Violência doméstica e familiar
10/Mar/19, 04:35 • #22078
Para evitar parte destas merdas é os tribunais começarem ou continuarem de forma mais veemente a considerar que tanto as mães como os pais são capazes de cuidar doa filhos... a violência é um absurdo e injustificável mas ainda tem muito homem chantageado com os filhos... vão aguentando e depois rebentam.. não é de todo justificativo de violência mas a sociedade portuguesa e os seus tribunais devem sempre considerar que tanto a mãe como o pai têm direito aos filhos.... se não houver filhos... penso ser mais fácil... de qualquer modo... violência é sempre desnecessária

Offline slowboy

  • Tribuna Presidencial
  • *****
  • Mensagens: 11.832
  • Desde: Jul 2006
Re: Violência doméstica e familiar
10/Mar/19, 11:16 • #65066
Violência doméstica deve ser tratada com dureza.

Mas a violência doméstica e familiar não é exclusiva dos homens.

Existe muito homen divorciado que não consegue ver os filhos mesmo pagando a pensão todos os meses e as mulheres viram os filhos contra os pais. Também é uma forma de violência psicológica que não se fala. Tenho 2 casos desses na minha família e eles nunca bateram em ninguém, por muitos defeitos que podem ter.

Offline Mr.Ribeiro 46

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 2.884
  • Desde: Jul 2016
Re: Violência doméstica e familiar
10/Mar/19, 12:14 • #16044
Não acho que a violência doméstica esteja muito mais grave agora do que já esteve.
O véu está é mais levantado que é diferente. Pode é haver alguma influência do imenso destaque que a imprensa dá para o eventual aumento que tenha havido nos últimos anos.
Quanto a soluções, para mim é mais importante definir alguns conceitos antes de mudar o que quer que seja.
Quando começa a haver violência doméstica? É no abuso verbal? É quando há uma chapada? É quando há sova?
Que tipo de atenuantes pode haver para tal crime e quanto atenuarão?
Como prevenir abusos da lei para falsas acusações?

A partir do momento em que isto estivesse definido, a pena ficaria mais severa (pena suspensa para gente que o faz pela primeira vez é piada) e haveria um maior apoio à vitima (se necessário um agente destacado para vigiar a vítima).