Costa

H

hast

Guest
Nasceu na invicta cidade do Porto no dia 21 de Outubro de 1953 o extremo esquerdo português Costa, conceituado futebolista da nossa praça entre meados da década de 70 e meados da década de 80 onde percorreu uma longa carreira de jogador de futebol na 1ª Divisão Nacional. Costa destacou-se essencialmente na Académica de Coimbra, na altura denominado de Académico, e no FC Porto, tornando-se mesmo por mais de uma vintena de vezes internacional pela principal selecção de Portugal. Jogou ainda pelo Marítimo, e durante uma época em Guimarães no Vitoria Sport Clube.
José Alberto Costa - o seu nome completo - tem como sua primeira inscrição oficial a época de 1969/70 pelo Vila Real, aparecendo mais tarde na época de 1971/72 na Académica de Coimbra, clube onde se destacou e despertou o interesse dos maiores clubes em Portugal.
Costa era um avançado de baixa estatura que actuava preferencialmente pelo lado esquerdo do ataque. Apesar de actuar na linha mais avançada, não era muito goleador, pois são poucos os golos que contabilizou ao longo da sua carreira, mas por outro lado era perito nas assistências. Tinha um pé esquerdo de inegável qualidade técnica e em velocidade empreendia sempre muito perigo às defesas contrárias.
É ao serviço da Académica de Coimbra que definitivamente se afirma no futebol português, sobretudo na época de 1977/78 onde as suas exibições levam a representar a Selecção Nacional e despertar o interesse de Pinto da Costa, naquela época o Chefe do Departamento de Futebol profissional do FC Porto.
Assina contrato com o FC Porto na temporada de 1978/79 e sob as ordens do Mestre José Maria Pedroto, conquista logo na primeira época de azul e branco o título de Campeão Nacional da 1ª Divisão. José Maria Pedroto não teve pejo em lhe entregar a titularidade na formação portista que revalidava assim o título nacional. Costa apontou 3 golos ao longo de toda a temporada alinhando em 24 partidas oficiais no Campeonato Nacional da 1ª Divisão.
Costa permaneceu ao serviço dos azuis e brancos durante 7 temporadas consecutivas onde conquistou alem do Campeonato Nacional de 1978/79, o título de Campeão Nacional na época de 1984/85, a sua ultima temporada ao serviço do FC Porto, já com Artur Jorge como treinador. Venceu ainda a Taça de Portugal da temporada de 1983/84 numa final disputada no Estádio do Jamor entre o FC Porto e o Rio Ave FC.
Supertaças Cândido de Oliveira conquistou por 3 vezes ocasiões. A primeira na época de 1980/81 com treinador austríaco Herman Stessl, outra em 1982/83, com o seu mestre José Maria Pedroto, e por fim, na época de 1983/84, já com o técnico Artur Jorge.
Ao nível internacional destaca-se logicamente a presença na final da edição de 1983/84 da Taça das Taças frente aos italianos da Juventus. Em jogo disputado no 16 de Maio de 1984, no Estádio St. Jakob, em Basileia na Suiça e arbitrado pelo juiz Adolf Prokop da antiga RDA, o FC Porto foi injustamente derrotado pela Juventus por 1-2 naquela que seria a primeira final europeia da equipa portista.
O FC Porto era já treinado por António Morais que deixou no banco de suplentes o extremo Costa, que entrou apenas aos 82 minutos de jogo para o lugar do defesa Eduardo Luís.
O nome de Costa fica ainda ligado ao verão quente de 1980 quando 14 jogadores do FC Porto, onde Costa estava incluído, juntamente com Oliveira, Octávio, Sousa, Frasco, Gomes, entre outros, fizeram uma autêntica rebelião não comparecendo aos trabalhos no arranque da temporada de 1980/81.
A verdade é que depois de tantos anos Costa era mesmo um daqueles jogadores que pertencia ao núcleo duro do plantel portista. Enquanto foi perdendo preponderância dentro do terreno de jogo, foi ganhando força enquanto um dos líderes do grupo.
Costa foi perdendo futebolisticamente o seu lugar para Vermelhinho, com quem disputou varias vezes a titularidade, e mais tarde de forma definitiva para o jovem Paulo Futre. De resto, na sua última temporada nas Antas, Costa apenas foi utilizado em 5 encontros oficiais do Nacional da 1ª Divisão de 1984/85.
Na temporada de 1985/86 o Vitoria de Guimarães contratava para treinador principal o português António Morais, fiel adjunto de José Maria Pedroto. No início dessa época rumaram de Guimarães para as Antas o defesa Laureta, o médio Paquito e o ponta de lança brasileiro Paulo Ricardo. No caminho inverso veio Cerqueira e Bobo, a título de empréstimo, e o extremo esquerdo Costa e o avançado Paulinho Cascavel a título definitivo.
Permaneceu apenas uma temporada em Guimarães, porque na seguinte rumou ao arquipélago da Madeira para representar o Marítimo do Funchal juntamente com vários jogadores do Vitória. Faz a sua última época na 1ª Divisão na temporada de 1986/87 ao serviço dos madeirenses que garantiram a permanência a muito custo depois de sucessivas alterações no comando técnico dos verde rubros.
Pela Selecção Nacional de Portugal, Costa contabilizou 24 internacionalizações A. Fez a sua estreia na Selecção, ainda como jogador da Académica de Coimbra, no dia 8 de Março de 1978, no amigável disputado por Portugal no Parque dos Príncipes em Paris frente à selecção francesa. A França venceu o encontro por 2-0. Costa foi titular, sendo mais tarde substituído por Óscar, na equipa então comandada por Júlio Cernadas Pereira, mais conhecido por Juca.
Ao serviço da Selecção Nacional apontou apenas 1 golo. Ocorreu logo na 2ª internacionalização, também num amigável disputado no Estádio do Bonfim em Setúbal, no dia 20 de Setembro de 1978, frente à Selecção dos E.U.A. Era já naquela altura jogador do FC Porto. Portugal treinado por Mário Wilson, venceu o encontro por 1-0, com o golo a ser apontado por Costa, que no decorrer da segunda metade foi substituído por Chalana.
A última internacionalização ocorreu no dia 28 de Outubro de 1983 no jogo de apuramento para o Euro 84, em Wroclaw contra a Polónia. Vitoria de Portugal por 1-0. Costa foi titular e mais tarde substituído por Lito.
Costa nunca participou em nenhuma grande competição internacional de Selecções, jogando todavia os apuramentos para os europeus de 1980 e 1984, e para o Mundial de 1982 disputado em Espanha.

in «Glórias do Passado»
 
H

hast

Guest
O percurso de Costa no FC PORTO

1978/1979
Campeonato: 24 jogos - 3 golos
Taça Portugal: 1 jogo - 0 golos
Competições Europeias: 1 jogo - 0 golos

1979/1980
Campeonato: 17 jogos - 6 golos
Taça Portugal: 4 jogos - 0 golos
Competições Europeias: 3 jogos - 0 golos

1980/1981
Campeonato: 25 jogos - 9 golos
Taça Portugal: 7 jogos - 4 golos
Competições Europeias: 4 jogos - 0 golos

1981/1982
Campeonato: 29 jogos - 1 golo
Taça Portugal: 5 jogos - 0 golos
Competições Europeias: 6 jogos - 1 golo
Supertaça: 2 jogos - 1 golo

1982/1983
Campeonato: 28 jogos - 1 golos
Taça Portugal: 5 jogos - 2 golos
Competições Europeias: 4 jogos - 2 golos

1983/1984
Campeonato: 16 jogos - 2 golos
Taça Portugal: 4 jogos - 0 golos
Competições Europeias: 8 jogos - 0 golos

1984/1985
Campeonato: 5 jogos - 0 golos
Taça Portugal: 1 jogo - 0 golos

Fonte «O Século do Dragão - 1893-2009 - A História Completa do FC PORTO»
 

madjer87

Tribuna Presidencial
18 Julho 2006
11,817
0
51
Porto
Recordo um golo com o Pé direito........para a Supertaça contra o slb. 4-1. Penso que foi o 4 golo
 

Ferjo

Tribuna
18 Julho 2006
4,839
0
Perth Australia
> madjer87 Comentou:

Recordo um golo com o Pé direito........para a Supertaça contra o slb. 4-1. Penso que foi o 4 golo >

Sim os outros 3 foram do Jacques! Mas foi talvez a melhor exibicao do Costa ao servico do FC Porto, ao virar o resultado da Luz, foi muito surpreendente para a \'epoca!
 

jsm

Tribuna
29 Abril 2007
3,318
4
O Costa fez parte da equipa dos bigodes que voltou ás grandes vitórias depois do grande jejum. Rodolfo, Simões, Gabriel, Oliveira, Murça, todos tinham bigode, tal como o Fonseca e o Teixeira. Enfim um rapaz do meu tempo...
 

Ferjo

Tribuna
18 Julho 2006
4,839
0
Perth Australia
> jsm Comentou:

O Costa fez parte da equipa dos bigodes que voltou ás grandes vitórias depois do grande jejum. Rodolfo, Simões, Gabriel, Oliveira, Murça, todos tinham bigode, tal como o Fonseca e o Teixeira. Enfim um rapaz do meu tempo... >

O Costa foi \"s\'o\" campeao em 78/79, em 77/78 ainda nos fez a vida \"negra\" nas ultimas jornadas... empate em coimbra.