Fernando Vasconcelos

Kelvin87

Tribuna Presidencial
7 Maio 2007
21,873
246
Fernando Vasconcelos para sempre na memória do F.C. Porto
Falecido aos 75 anos, Fernando Vasconcelos ficará para sempre na memória do F.C. Porto, não só pelo seu contributo para o desenvolvimento do clube, mas também por ter sido um dos dirigentes que acompanhou Jorge Nuno Pinto da Costa na sua primeira presidência de Direcção.

Exerceu o cargo de director do Departamento de Futebol dos Dragões no biénio de 1982/83 e permanecerá eternamente ligado à história do clube também por ter participado no percurso que levou o F.C. Porto à sua primeira final europeia (Taça das Taças), realizada em 1984.

Um OBRIGADO por tudo e paz à sua alma, mais um DRAGÃO a morar no céu.
 
H

hast

Guest
Fernando Vansconcelos - Morreu um Homem Bom

Poucos se lembrarão de Fernando Vasconcelos.

Dirigiu, com sobriedade, o departamento de futebol do FCPorto num tempo em que o clube ensaiava os primeiros passos rumo à triunfal caminhada europeia, que viria a projectá-lo à escala internacional.
Homem simples, de relação fácil e sempre muito amistosa, cedo percebeu que o seu futuro não passaria pelo futebol.
Abril de 84: estávamos em Donetz, onde Pedroto viria a orientar a equipa pela última vez, levando-a à final de Taça das Taças dessa época, onde perdeu para a Juventus.
A um canto de um hotel medonho, Fernando Vasconcelos olha fixamente o Mestre, puxa-me de lado e segreda-me: “Este homem não anda cá muito tempo. O futebol deu-lhe cabo da saúde!...”
Poucos meses volvidos, e Vasconcelos surgia-me ao telefone para se despedir, confirmando ter chegado o tempo de passar o testemunho.
Ao longo dos vários anos que levo de profissão, não encontrei no futebol muitas pessoas como ele: defensor do seu emblema, mas sem nunca macular uma amizade.
Depois disso, foram poucas as vezes que voltámos a encontrar-nos.
Mas nem por isso esqueci o cavalheiro respeitador por quem igualmente tive sempre muito respeito.
Hoje, curvo-me perante a sua memória, com a certeza de que com a morte de Fernando Vasconcelos desapareceu um Homem Bom.
Ribeiro Cristóvão «RR»