Jogadores do FC Porto - Década de 1920

Fil

Tribuna Presidencial
30 Maio 2016
5,370
1,363
Conquistas
5
  • José Maria Pedroto
  • Alfredo Quintana
  • Janeiro/21
Jogadores do FC Porto - Década de 1920


Acácio Mesquita



Acácio Pereira Mesquita nasceu no dia 18 de Julho de 1909 no Porto.
Aos 10 anos de idade o seu pai inscreveu-o como sócio do Futebol Clube do Porto e entrou na escola de infantis do clube portista, onde recebeu os ensinamentos de Abel Aquino, que dirigia a escola de infantis.
Desde cedo revelou habilidade para a prática do futebol, pelo que ascendeu à primeira categoria de infantil onde foi Campeão.
Passou depois para as terceiras categorias que disputavam o Campeonato Regional. Aí ficou uma época, passando as segundas categorias, que correspondiam à equipa B.
Duas épocas mais tarde passaria ao grupo de honra. Mas antes, já tinha sido seleccionado para o Porto – Lisboa. Entretanto o avançado Resberg regressa ao seu país e Acácio Mesquita é chamado a preencher aquela vaga, fixando-se definitivamente no lugar de avançado-centro da categoria de honra do Futebol Clube do Porto.
A estreia na equipa principal dos Dragões aconteceu no dia 27 de Março de 1927 no Campo do Lima onde os portistas defrontaram e empataram com o Sport Progresso, numa partida a contar para a 7ª jornada do Campeonato do Porto.
Aos 17 anos é internacional, suplente, em Milão, Paris e Sevilha. Depois foi Internacional contra a Espanha e França.
Acácio Mesquita fez parte do grande meio-campo portista juntamente com Waldemar Mota e Pinga. Os três foram apelidados de “os três diabos do meio-dia” quando por alturas do natal de 1933 o Futebol Clube do Porto defrontou e venceu as melhores equipas da Europa, jogos que foram disputados ao meio-dia.
Em futebol foi duas vezes Campeão Nacional. Mas foi também um praticante de atletismo ao mais alto nível. Conservou durante oito anos o recorde nacional de triplo salto e foi Campeão Regional de triplo salto, salto em comprimento, 110 metros barreiras e 4 x 100 metros.
Fez ainda parte da equipa de basquetebol, onde demonstrou igualmente valor invulgar.
Um atleta com tão rico palmarés não pode ficar ignorado na história do Futebol Clube do Porto.
Faleceu no dia 30 d Maio de 1945. Encontra-se sepultado no mausoléu do F.C. Porto no cemitério de Agramonte.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
11 Campeonatos do Porto


Álvaro Cardoso Pereira


Álvaro Cardoso Pereira nasceu no dia 7 de Novembro de 1904 na cidade do Porto.
Foi um médio-centro que durante 10 anos, entre 1926/27 – 1935/36, vestiu a camisola do Futebol Clube do Porto.
A estreia com a camisola azul e branca aconteceu no dia 10 de Outubro de 1926 no Campo da Constituição quando os Dragões receberam e venceram o S.C. Salgueiros por 2-1, numa partida a contar para a 1ª jornada do Campeonato do Porto da temporada de 1926/27.
Alinhou na equipa que derrotou o S.L. Benfica por 8-0 no campeonato de Portugal de 1932/33 e também contra o First Viena, um dos gigantes da Europa na época que caíram aos pés dos Dragões no Estádio do Lima.
Álvaro Pereira com a camisola do F.C. Porto venceu por uma vez o Campeonato de Portugal na temporada de 1931/32, ao vencer o C.F. Belenenses na Final disputada no Campo do Arnado em Coimbra. E o Campeonato Nacional da 1ª Divisão de 1934/35. Pelo meio conquistou por dez vezes o Campeonato do Porto.
Foi internacional por Portugal por 7 vezes. Teve a sua estreia no dia 30 de Novembro de 1930 contra a Espanha e a ultima vez que vestiu a camisola da Selecção Nacional foi a 18 de Março de 1934 também contra a selecção espanhola.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
10 Campeonatos do Porto


Álvaro Coelho


Álvaro Coelho foi um futebolista que representou o Futebol Clube do Porto na década de 20 do século passado.
Jogando como defesa, esteve ao serviço dos portistas na época de 1923/24.
O primeiro jogo em que vestiu a camisola dos Dragões aconteceu no Campo da Constituição, no dia 11 de Novembro de 1923, numa partida em que os azuis e brancos jogaram como equipa visitante contra o Boavista F.C.. Os Dragões venceram por 1-0 na jornada inaugural do Campeonato do Porto.
Álvaro Coelho participou nos seis jogos do Campeonato Regional do Porto e ainda foi utilizado pelo treinador Akos Teszler no jogo da final do Campeonato de Portugal. Este disputado em Lisboa contra os algarvios do S.C. Olhanense que venceram por 4-2.
Apesar de ter disputado apenas sete jogos oficiais, Álvaro Coelho tem o seu nome na história do clube por dar o seu contributo para que o F.C. Porto se sagra-se Campeão Regional do Porto pela nona vez.

Palmarés
1 Campeonato do Porto


Álvaro Neto



Álvaro Lopes Neto foi um futebolista que jogou no Futebol Clube do Porto da última parte da década de 20 e nos primeiros anos da década de 30 do século passado. Ingressou no F.C. Porto na época de 1928/29 e representou os Dragões durante quatro temporadas, até ao final da época de 1931/32.
A sua estreia na equipa principal dos Dragões aconteceu no dia 30 de Dezembro de 1928, num jogo a contar para a 2ª jornada do Campeonato do Porto em que os portistas venceram o Sport Progresso por 11-0.
Em todas as temporadas que vestiu a camisola azul e branca, ajudou os portistas a conquistar o Campeonato do Porto.
Apesar de fazer parte do plantel portista, Álvaro Neto não participou em nenhum jogo do Campeonato de Portugal da temporada de 1931/32 e dessa forma o seu nome não consta na lista dos vencedores que o F.C. Porto conquistou.
Viveu ainda grandes momentos em jogos particulares quando os portistas defrontaram equipas estrangeiras. Em Janeiro de 1930 os espanhóis do R.C. Celta de Vigo foram esmagados por 6-2, no Campo da Constituição. No ano seguinte, igualmente em Janeiro, foi o R.C. Deportivo Coruña a regressar a casa com uma pesada derrota por 6-0 e em Julho de 1931 o F.C. Porto venceu o C.R. Vasco da Gama por 2-1 no Estádio do Lima, obtendo a primeira vitória de uma equipa portuguesa sobre um clube brasileiro.
No final da época de 1931/32, Álvaro Neto deixou o F.C. Porto.

Palmarés
4 Campeonatos do Porto


Álvaro Sequeira


Álvaro José Sequeira Júnior, foi um dos mais valiosos atletas que representaram o Futebol Clube do Porto.
Começou por se distinguir tanto na natação como no pólo aquático e foi através dessas duas modalidades que foi um dos dois primeiros nadadores do F.C. Porto a representarem a Selecção Nacional de Natação e Polo Aquático, o outro atleta foi Canto Moniz.
Em 1928/29, Álvaro Sequeira sagra-se Campeão Nacional de pólo aquático, o primeiro da modalidade para o clube.
Ao mesmo tempo que se destacava nestas modalidades, jogava também futebol. Começou pelas equipas inferiores mas já fazia parte do plantel portista que venceu o segundo Campeonato de Portugal da história dos Dragões, em Viana do Castelo na temporada de 1924/25.
A sua estreia na equipa principal portista teve lugar no Campo da Constituição no dia 28 de Dezembro de 1924, numa partida a contar para a 3ª jornada do Campeonato do Porto da temporada de 1924/25, em que os Dragões venceram por 6-3.
Mais activa foi a sua participação na conquista do Campeonato de Portugal de 1931/32, desta vez com a consagração a ter lugar em Coimbra, no Campo do Arnado.
Para além dos dois Campeonatos de Portugal que conquistou, Álvaro Sequeira venceu também o Campeonato do Porto por dez vezes, nas dez temporadas em que vestiu a camisola do F.C. Porto.
Álvaro Sequeira foi assim mais um, verdadeiro atleta que honrou a camisola do F.C. Porto em varias modalidades.

Palmarés
2 Campeonatos de Portugal
10 Campeonatos do Porto


Ambrósio Gama


Ambrósio Gama foi um futebolista brasileiro que actuava a médio e passou pelo Futebol Clube do Porto durante a década de 20 do século passado.
Corria o ano de 1925 quando Ambrósio Gama, imigrante brasileiro que residia à pouco tempo na cidade do Porto, foi ao Campo da Constituição para continuar a sua pratica desportiva e dar uns pontapés na bola, os portistas logo agradados com o que viram logo o convidaram a fazer parte da equipa, tendo o brasileiro aceitado o convite.
A estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 7 de Março de 1926, numa partida a contar para a 5ª jornada do Campeonato do Porto em que os portistas mediram forças com o Boavista F.C.
Ambrósio Gama ajudou a conquistar o Campeonato do Porto da temporada de 1925/26. Marcou também presença no jogo particular que os portistas fizeram contra os alemães, campeões da Baviera, do Verein Razenspiele Furth e que o F.C. Porto venceu por 3-2.
No final dessa temporada de 1925/26, Ambrósio Gama regressou ao Brasil onde foi representar o Santos F.C.
Apesar do pouco tempo em que esteve ao serviço do F.C. Porto, Ambrósio Gama entrou para a história do clube por ter sido o primeiro futebolista brasileiro a vestir a camisola azul e branca.

Palmarés
1 Campeonato do Porto


António Lino Moreira


António Lino Moreira nasceu no dia 12 de Setembro de 1896 em Leça da Palmeira.
Foi o primeiro guarda-redes da história do Futebol Clube do Porto a vencer um campeonato.
Lino Moreira, quando ingressou no F.C. Porto, vindo do Leça F.C. foi logo considerado o melhor ou um dos melhores jogadores portugueses no seu lugar e, numa altura em que existiam excelentes valores, como Carlos Guimarães e Ernesto Viegas, falou-se muito na sua “internazionalização”.
A estreia na equipa principal do F.C. Porto aconteceu no dia 4 de Junho de 1922 no Campo da Constituição, numa partida a contar para a 1ª mão da final do Campeonato de Portugal da temporada de 1921/22. Um jogo que o F.C. Porto venceu por 2-1 e que permitiu conquistar o título de Campeão depois de nova vitória sobre os leoninos na finalissima por 3-2.
No primeiro e segundo Portugal – Espanha, em futebol, esteve Lino para ser utilizado.
Na época de 1921/22, António Lino Moreira contribuiu largamente para a vitória do F.C. Porto no primeiro campeonato nacional de futebol, mas dois anos mais tarde, ainda em boa forma, cedeu o lugar aos novos, depois de muitas exibições admiráveis.
Conquistou ainda por duas vezes o Campeonato do Porto.
Faleceu no dia 10 de Março de 1971 e encontra-se sepultado no cemitério nº1 de Leça da Palmeira.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
2 Campeonatos do Porto


António Lopes Carneiro


Nasceu a 14 de Junho de 1916, era médio e jogou no FC Porto na época 1922/23


António Soares


Jogou no FC Porto entre as épocas de 1927/1928 e 1932/1933. era avançado.



Artur Augusto


Artur Augusto nasceu no dia 15 de março de 1904 em Lisboa.
Ingressou no Futebol Clube do Porto no início da época de 1921/22, vindo do S.L. Benfica.
A estreia com a camisola azul e branca aconteceu no dia 4 de Junho de 1922, numa partida contra o Sporting C.P. a contar para a Final do Campeonato de Portugal, em que os Dragões venceram por 2-1 e sagraram-se Campeões de Portugal, no que foi o primeiro campeonato do género organizado no país. Venceu ainda nessa temporada o Campeonato do Porto.
Jogador considerado polivalente, já que podia ocupar lugares diferentes em campo e sempre com a mesma qualidade.
E foi essa mesma qualidade que fez dele o primeiro jogador internacional do F.C. Porto, no dia 18 de dezembro de 1921. Precisamente na estreia da Seleção Nacional em partidas entre nações, contra a Espanha em Madrid.
Na temporada de 1922/23 continuou a vestir a camisola dos Dragões e voltou a conquistar o Campeonato do Porto.
Regressou depois a Lisboa para ingressar no Carcavelinhos F.C., mas uma doença nos olhos e mais tarde outra de maior gravidade, acabaram por lhe ser fatal.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
2 Campeonatos do Porto


Artur Freire


Artur Freire foi um dos principais jogadores que vestiram a camisola do Futebol Clube do Porto durante a década de 1920.
Jogador feito nas escolas do clube, Artur Freire estreou-se na equipa principal dos Dragões no dia 17 de Junho de 1923, num jogo a contar para o Campeonato de Portugal da temporada de 1922/23 em que o F.C. Porto defrontou o Sporting C.P. em Coimbra, tendo os lisboetas vencida a partida das meias-finais por 3-0.
Mais fundamental foi a sua contribuição para a conquista do Campeonato da temporada de 1924/25, conquistado em Viana do Castelo, no campo de Monserrate e depois de uma vitória por 2-1 sobre o Sporting C.P.
esteve durante cinco temporadas ao serviço do F.C. Porto e também conquistou por cinco vezes o Campeonato do Porto.
Depois de deixar o futebol dedicou-se à carreira de Professor primário. Mais tarde foi ainda jornalista e chegou mesmo a redactor do Jornal de Noticias.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
5 Campeonatos do Porto


Artur Mota


Artur Mota, irmão de José Mota e Valdemar Mota, tal como os seus irmãos também vestiu a camisola do Futebol Clube do Porto.
Começou por praticar futebol nas escolas do F.C. Porto até chegar à equipa principal onde disputou algumas partidas.
O lugar que ocupava era o de defesa e sempre honrou o nome da sua família já que quando entrava em campo era um jogador dedicado e honesto.
Ajudou a vencer o Campeonato do Porto da temporada de 1923/24, onde em seis partidas disputadas pelo F.C. Porto no campeonato, Artur Mota participou como titular em apenas uma.
Acabou por falecer ainda jovem.

Palmarés
1 Campeonato do Porto


Avelino Martins


Avelino da Silva Martins nasceu no dia 11 de Maio de 1904 em São Mamede de Infesta, Matosinhos.
Estreou-se na equipa principal do Futebol Clube do Porto no dia 18 de Dezembro de 1927, numa partida a contar para a 4ª jornada o Campeonato do Porto que se realizou no Campo da Constituição e onde os portistas venceram por 1-0. Vestiu a camisola dos Dragões durante onze temporadas.
Jogando a defesa, esteve presente no campeonato de Portugal de 1931/32, onde o F.C. Porto derrotou o C.F. Belenenses por 2-1, na finalíssima disputada em Coimbra, depois de duas semanas antes terem empatado 4-4.
Na época de 1934/35, Avelino Martins sagrou-se Campeão Nacional.
Venceu ainda o Campeonato do Porto por nove vezes.
Marcou também presença nas duas maiores goleadas que o F.C. Porto aplicou aos seus dois maiores rivais. No dia 28 de Maio de 1933, no Campo da Constituição, os portistas despacharam o S.L. Benfica com um contundente 8-0. Já em 1936, a 22 de Março e também no Campo da Constituição, o Sporting C.P. saiu vergado perante uns 10-1.
Esteve ainda em jogos particulares que ficaram para a história do clube, como a vitória sobre o R.C. Celta de Vigo por 6-2 no Campo da Constituição no dia 26 de Janeiro de 1930. Ainda a vitória defronte do R.C. Deportivo de La Coruña por 6-0 no Campo da Constituição no primeiro dia do ano de 1931. Esteve na equipa portista que venceu a formação do C.R. Vasco da Gama por 2-1 no Estádio do Lima no dia 26 de Julho de 1931, tendo sido a primeira vez que uma equipa portuguesa triunfava sobre uma brasileira. Já no dia 12 de Maio de 1935 festejou a vitória sobre o campeão espanhol, Real Betis de Sevilha por 4-2 no Campo do Ameal.
Avelino Martins representou também a Selecção de Portugal por oito vezes.
Faleceu no dia 30 de Deze,bro de 1982.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
9 Campeonatos do Porto


Borges Avelar

Foi guarda-redes e jogou na época de 1923/24


Balbino da Silva


José Balbino da Silva nasceu no dia 23 de Março de 1896 em Alcoentre.
Jogador que atuava a interior-direito mas que também chegou a jogar na esquerda e no centro do ataque portista, Balbino tinha um excelente toque de bola e foi um dos melhores que na década de 1920 passou pelo Futebol Clube do Porto, tendo se sagrado Campeão de Portugal nas temporadas de 1921/22 e 1924/25 ao serviço dos Dragões.
Com a camisola azul e branca ainda venceu por doze vezes o Campeonato do Porto.
Depois de deixar o F.C. Porto ainda passou pelo Casa Pia A.C.
Apesar de ser natural de Lisboa, Balbino, quando abandonou o futebol, regressou à cidade do Porto onde viveu até ao final da sua vida.
Foi ainda o segundo jogador internacional portista, já que marcou presença no dia 16 de Dezembro de 1922 numa partida realizada em Espanha contra a Seleção local e em que Portugal saiu derrotado por 3-0.

Palmarés
2 Campeonatos de Portugal
12 Campeonatos do Porto


Cândido de Oliveira


Cândido Fernandes Plácido de Oliveira nasceu no dia 24 de Setembro de 1896 em Fronteira.
Órfão desde bastante criança, entrou para a Casa Pia no ano de 1905 onde começou a mostrar os seus dotes na prática do futebol. Em 1914 e com 18 anos, ingressou no S.L. Benfica onde jogou durante seis temporadas, tendo vencido por uma vez o Campeonato de Lisboa. Em 1920 deixou os encarnados e fundou o Casa Pia Atlético Clube.
Logo no ano da sua fundação em 1920/21, Cândido de Oliveira ajudou o seu novo clube a conquistar o Campeonato de Lisboa e a Taça Associação de Futebol de Lisboa, ambos sem conhecer a derrota, Um feito único e que nunca foi igualado pelos maiores emblemas da capital.
O Casa Pia A.C. foi o primeiro clube nacional a jogar em Paris, o jogo foi no Estádio Pershing contra o campeão francês, o Cercle Athletic Paris que venceu por 2-1, com o golo dos casapianos a ser marcado por Cândido de Oliveira.
Em Dezembro de 1922 o Futebol Clube do Porto solicitou junto dos dirigentes do Casa Pia A.C. o empréstimo de Cândido dos Reis, Augusto Gomes e José Maria Gralha.
Os três jogadores integraram a comitiva portista que partiu rumo a Sevilha e Gibraltar para efetuar quatro partidas amigáveis. O primeiro jogo aconteceu no último dia do ano contra o Sevilha F.C. e os campeões espanhóis venceram por 7-2, no dia seguinte os dois clubes voltaram a defrontar-se e os andaluzes repetiram a vitória, desta vez por 5-2. No dia 7 de Janeiro de 1923 e já em Gibraltar a selecção local derrotou os Dragões por 2-0, dois dias mais tarde a equipa Prince of Wales, campeão territorial e que era formada na totalidade por ingleses venceu o F.C. Porto por 6-3. Todos os golos nesses jogos apontados pelos Dragões foram marcados por Cândido de Oliveira e logo os dirigentes portistas o tentaram convencer a vestir em definitivo de azul e branco, mas Cândido de Oliveira preferiu continuar no clube que criou até terminar a sua carreira de futebolista em 1926.
Ainda nessa ano de 1926 abraça a carreira de treinador e assume o cargo de Selecionador Nacional, lugar que ocupou durante 15 anos, tendo pelo meio passado pelo C.F. Belenenses. Em 1945/46 passa a treinar o Sporting C.P., orienta os leoninos durante três temporadas e conquista por duas vezes o Campeonato Nacional e vence duas Taças de Portugal. Em 1950 ruma ao Brasil para comandar o C.R. Flamengo. No ano seguinte volta a Portugal e à Selecção Nacional.
Em Janeiro de 1953 regressa ao F.C. Porto. Treina os Dragões até ao final da época seguinte e embora não tenha conseguido nenhum título deixa boas indicações, como aconteceu em Abril de 1954 quando no dia 17 o F.C. Porto recebeu no Estádio das Antas o Real Madrid C.F. e goleou os espanhóis por 5-2.
Em 1955/56 assume o comando técnico da Académica de Coimbra, lugar que ocupou até 1958.
Cândido de Oliveira foi internacional por Portugal, vestiu a camisola das Quinas no primeiro jogo que a Selecção Nacional disputou em 1921.
Foi jornalista desportivo e em 1945 fundou o jornal “A Bola”, junto com António Ribeiro dos Reis e Vicente de Melo. E foi como jornalista e enviado-especial do jornal “A Bola” ao Campeonato do Mundo de 1958 na Suécia que sofreu uma pneumonia que originou à sua morte no dia 23 de Junho desse ano.
Em homenagem ao seu trabalho no futebol nacional, a Federação Portuguesa de Futebol deu o seu nome à Supertaça que foi criada em 1979.

Palmarés como jogador
2 Campeonatos de Lisboa

Palmarés como treinador
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
2 Taças de Portugal


Cesário de Moura Bonito

Nasceu a 1 de Agosto de 1908. Foi avançado e jogou no FC Porto em 1929/30. Mais tarde tornar-se-ia Presidente do nosso Clube


Coelho da Costa


Coelho da Costa foi mais um dos grandes jogadores que passaram pelo Futebol Clube do Porto nos primeiros anos de vida do clube.
Durante seis temporadas vestiu a camisola azul e branca (desde 1923/24 a 1928/29).
A estreia na equipa principal dos Dragões teve lugar no Campo Grande em Lisboa no dia 8 de Junho de 1924, numa partida a contar para a final do Campeonato de Portugal que os algarvios do S.C. Olhanense venceram.
Na segunda época ao serviço dos Dragões conquistou o Campeonato de Portugal, tendo apontado o segundo golo na final em que os portistas derrotaram o Sporting C.P. por 2-1, numa partida realizada em Viana do Castelo, no Campo de Monserrate.
Conquistou também o Campeonato do Porto em todas as temporadas que vestiu a camisola azul e branca.
No dia 5 de Abril de 1926, Coelho da Costa voltou a viver um dia glorioso. O F.C. Porto recebeu e venceu por 3-2 os germânicos do Verein Razenspiele Furth, campeão da Baviera, que em Lisboa venceu todos os jogos que por lá disputou.
Depois de deixar o F.C. Porto, no final da temporada de 1928/29, Coelho da Costa ingressou no S.L. Benfica, onde jogou mais seis épocas tendo conquistado o Campeonato de Portugal de 1929/30, o Campeonato de Lisboa e a Taça Associação de Futebol de Lisboa, ambas em 1932/33.

Palmarés
2 Campeonatos de Portugal
6 Campeonatos do Porto
1 Campeonato de Lisboa
1 Taça Associação de Futebol de Lisboa


Euclides Anaura


Euclides Anaura nasceu no ano de 1914 em Cabo Verde.
Chegou a Portugal ainda criança e entrou pouco depois para as escolinhas do F.C. Porto, passando pelos vários escalões de formação do clube azul e branco até integrar o plantel principal na época de 1928/29.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 18 de Novembro de 1928 no Estádio do Lima, quando os portistas, a jogar como equipa visitante, perderam com o Leixões S.C. por 3-1 na 1ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1928/29. Apesar dessa derrota, o F.C. Porto vence o Campeonato Regional do Porto com 7 vitórias e apenas 1 derrota.
Permaneceu nos Dragões até ao final da temporada de 1934/35, tendo regressado em 1939/40.
Nas oito épocas em que esteve ao serviço do F.C. Porto, ajudou a conquistar o Campeonato de Portugal de 1931/32, o Campeonato Nacional de 1934/35 e 1939/40, os Campeonatos do Porto de 1928/29, 1929/30, 1930/31, 1931/32, 1932/33, 1933/34 e 1934/35.
Para além de todas as conquistas em competições oficiais, viveu também grandes momentos em jogos de carácter, como aconteceu em Janeiro de 1930 quando os espanhóis do R.C. Celta de Vigo saíram derrotados por 6-2 do Campo da constituição, também em Janeiro mas de 1931 foi a vez do R.C. Deportivo Coruña regressar à Galiza com uma pesada derrota por 6-0, ainda em 1931 mas no mês de Julho foram os brasileiros do C.R. Vasco da Gama a perder por 2-1 no Estádio do Lima, uma partida que entrou para a história do futebol português já que foi o primeiro triunfo de um clube nacional contra uma equipa brasileira. No dia 9 de Julho de 1933 os galegos do R.C. Deportivo Coruña voltaram a visitar a cidade do Porto, jogaram no Campo do Ameal mas foram de novo derrotados com o resultado de 3-2. O ano de 1934 trouxe várias vitórias sobre clubes estrangeiros que na época estavam na ribalta do futebol europeu, começou em Janeiro com o First Viena a perder por 3-0 no Campo do Ameal, depois de os austríacos terem vencido todos os jogos que tinham efectuado em Lisboa contra Sporting C.P., S.L. Benfica e C.F. Belenenses. Ainda em Janeiro foi o Club Atlético Madrid a perder por 4-1 e em Dezembro foi a vez do Upjest regressar a casa depois de ser derrotado no Estádio do Lima por 2-1.
Em 1935/36 Euclides Anaura transferiu-se para o Sport Progresso onde esteve durante três temporadas para na época de 1938/39 se transferir para o Boavista F.C.
Na temporada de 1939/40 regressou ao F.C. Porto para ser de novo Campeão Nacional.
Em 1940/41 ingressou no F.C. Barreirense onde terminou a sua carreira de futebolista.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
7 Campeonatos do Porto


Flávio Laranjeira


Flávio Laranjeira foi um dos jogadores que fizeram parte do plantel do Futebol Clube do Porto que venceu o segundo título do clube, o Campeonato de Portugal de 1924/25.
Estreou-se com a camisola dos Dragões no dia 7 de Junho de 1925 na partida dos quartos-de-final do Campeonato de Portugal contra o S.C. Vianense, tendo apontado dois golos na vitória dos portistas por 4-1.
No jogo da meia-final a 21 de Junho de 1925 contra o S.C. Espinho, o resultado repetiu-se e de novo com Flávio Laranjeira a ser o autor de dois golos.
Na final, disputada no Campo de Monserrate em Viana do Castelo, contra o Sporting C.P. a 28 de Junho de 1925, não marcou nenhum dos dois golos com que os portistas venceram os leões, mas foi um dos jogadores mais importantes da equipa.
Continuou a servir o F.C. Porto durante mais três temporadas, até ao final da época de 1927/28.
Além do Campeonato de Portugal, Flávio Laranjeira conquistou por quatro vezes o Campeonato do Porto.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
4 Campeonatos do Porto


Francisco Castro


Francisco Pinto de Castro nasceu no dia 1 de Abril de 1910.
Na temporada de 1927/28 representou o S.C. Salgueiros.
Em 1928/29 ingressou no Futebol Clube do Porto para só deixar o clube em 1935/36, quando pendurou as chuteiras.
Em 1931/32 conquistou o Campeonato de Portugal quando o F.C. Porto derrotou o C.F. Belenenses por 2-1 na final disputada em Coimbra no Campo do Arnado, numa equipa que era orientada por Josef Szabo.
Na temporada de 1934/35 sagrou-se Campeão Nacional.
Conquistou por sete vezes o Campeonato do Porto, tantas quantas as temporadas em que esteve ao serviço dos Dragões.
Foi ainda internacional por duas vezes. Estreou-se no dia 30 de Novembro de 1930, na derrota por 0-1 contra a Espanha e depois no Portugal-Hungria a 29 de Janeiro de 1933, com vitória nacional por 1-0.
Depois de Francisco Castro, os seus descendentes sempre estiveram ligados ao desporto e mais concretamente ao F.C. Porto. Os filhos André, que foi supervisor fiscal do clube e Miguel Ângelo que chegou a ser capitão da equipa juvenil, tendo falecido ainda muito jovem. O neto, Rui Pereira, jogou no S.C. Rio Tinto até sofrer uma grave lesão. O bisneto, André Castro, também ele representou o F.C. Porto, onde foi Campeão Nacional.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
7 Campeonatos do Porto


Fridolf Resberg



Fridolf Resberg foi um jogador de nacionalidade norueguesa que na década de vinte representou o Futebol Clube do Porto.
Chegou à cidade do Porto para exercer a sua profissão diplomática no consulado da Noruega. Para se exercitar e manter a boa forma física, passou a frequentar o campo da Constituição, onde não escondia as suas habilidades que lhe valeram o convite para fazer parte do plantel dos Dragões que conquistou o Campeonato de Portugal da temporada de 1924/25.
A estreia ao serviço do F.C. Porto aconteceu no Estádio do Bessa, no dia 23 de Novembro de 1924, onde os Dragões defrontaram e venceram por 6-1 o Sport Progresso, numa partida a contar para a 1ª jornada do Campeonato do Porto de 1924/25. Fridolf Resberg teve uma estreia em grande já que foi o autor de três golos.
Vestiu a camisola azul e branca durante duas temporadas: 1924/25 e 1926/27. Nessas duas épocas conquistou o Campeonato do Porto por duas vezes, participou em 9 partidas e marcou 14 golos.
No entanto, da mesma forma que a sua profissão o trouxe ao Porto, também o obrigou a regressar à Noruega.

Palmarés
2 Campeonatos do Porto


Gomes de Sousa


Gomes de Sousa foi um futebolista que representou o Futebol Clube do Porto nos finais da década de vinte e inícios da década de trinta do século passado.
Jogando a médio, Gomes de Sousa ingressou nos Dragões em 1928/29.
Estreou-se com a camisola azul e branca no dia 20 de Janeiro de 1929 quando no Campo do Ameal os portistas receberam e venceram o Boavista F.C. por 7-0, numa partida a contar para a 3ª jornada do Campeonato do Porto de 1928/29.
Gomes de Sousa vestiu a camisola azul e branca durante cinco temporadas e em todas elas conquistou o Campeonato do Porto e em 1931/32 ajudou os portistas a vencerem o Campeonato de Portugal, quando no Campo do Arnado, em Coimbra o F.C. Porto venceu o C.F. Belenenses por 2-1, depois de no primeiro encontro ter-se registado um empate de 4-4 após prolongamento.
Mas não foram só as conquistas em jogos oficiais a marcar a carreira de Gomes de Sousa no F.C. Porto, já que também teve partidas de carácter particular que foram marcantes, como em Janeiro de 1930, quando os espanhóis do R.C. Celta de Vigo saíram do Campo da Constituição vergados por uns 6-2, já no ano seguinte e também em Janeiro, foi o R.C. Deportivo Coruña a regressar a Espanha depois de uma pesada derrota por 6-0. Em Julho de 1931, no Estádio do Lima, o F.C. Porto vence o C.R. Vasco da Gama por 2-1, no que foi a primeira vitória de um clube português sobre uma equipa brasileira.
No final da temporada de 1932/33, Gomes de Sousa deixou o F.C. Porto.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
5 Campeonatos do Porto


Humberto Bragança


Humberto Bragança de Sousa, futebolista que jogava a médio, passou pelo Futebol Clube do Porto durante a década de vinte do século passado.
Chegou aos Dragões na época de 1924/25.
Estreou-se na equipa portista no dia 28 de Dezembro de 1924 no Campo da Constituição, onde o F.C. Porto recebeu e venceu o Boavista F.C. por 6-3, numa partida a contar para a 3ª jornada do Campeonato do Porto.
Humberto Bragança esteve duas temporadas ao serviço dos azuis e brancos, tendo participado em 8 partidas oficiais.
Conquistou por duas vezes o Campeonato do Porto e ainda ajudou a vencer o Campeonato de Portugal de 1924/25, tendo sido titular na equipa que disputou a final no Campo de Monserrate em Viana do Castelo, onde os portistas venceram o Sporting C.P. por 2-1.
No final da época de 1925/26 deixou o F.C. Porto.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
2 Campeonatos do Porto


Jerónimo Faria


Jerónimo de Sousa Faria, primo de Acácio Mesquita e também de Carlos Mesquita, foi um dos mais importantes jogadores do Futebol Clube do Porto na década de 30.
Ingressou nos Dragões na temporada de 1927/28 e estreou-se no dia 22 de Abril de 1928, quando os portistas visitaram o Sport Progresso num jogo a contar para a 7ª jornada do Campeonato do Porto que terminou com a vitória do F.C. Porto por 6-2.
Em 1931/32 Conquistou o Campeonato de Portugal ao derrotar o C.F. Belenenses por 2-1 no segundo jogo da final realizada no campo do Arnado em Coimbra. No primeiro encontro as duas equipas terminaram empatadas 4-4.
Defesa de excelente qualidade, foi um dos pilares na formação portista que conquistou na temporada de 1934/35 o Campeonato Nacional sob o comando técnico de Joseph Zsabo.
Na época de 1936/37 e de novo em Coimbra, voltou a ganhar o Campeonato de Portugal depois dos portistas vencerem o Sporting C.P. por 3-2.
Em 1938/39 e 1939/40 sagrou-se Bi-Campeão Nacional.
Conquistou ainda o Campeonato do Porto por doze vezes.
Durante os treze anos em que esteve ao serviço dos Dragões como jogador, Jeronimo Faria viveu grandes momentos e grandes jogos de futebol. Em Janeiro de 1930 os espanhóis do R.C. Celta de Vigo sairam derrotados do Campo da constituição por 6-2. Um ano mais tarde foi o R.C. Deportivo de La Coruña que saiu vergado também do Campo da Constituição por um resultado de 6-0. Em Julho de 1931 os brasileiros do C.R. Vasco da Gama perderam por 2-1 no Estádio do Lima, essa foi a primeira vitória de um clube português sobre uma equipa brasileira. Já em Maio de 1933 foi a vez do S.L. Benfica regressar a casa com uma pessada derrota por 8-0, um jogo a contar para os quartos-de-final do Campeonato de Portugal de 1932/33. Em Julho de 1935, no Campo do Ameal o campeão espanhol Real Betis foi derrotado por 4-2. No dia 22 de Março de 1936 o Sporting C.P. levou na bagagem 10 golos com que os portistas os despacharam para a Capital.
Depois de deixar o futebol, foi dirigente do F.C. Porto.

Palmarés
3 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
2 Campeonato de Portugal
13 Campeonatos do Porto



Jerónimo Pereira

Defesa que defendeu as cores do FC Porto entre 1927 e 1929 e mais tarde em 1932/1933 e 1934/1935


João de Brito


João de Brito foi mais um grande jogador que vestiu a camisola do Futebol Clube do Porto na década de 20.
Esteve ao serviço dos Dragões durante quatro temporadas (1921/22 a 1924/25).
Fez parte do plantel que se sagrou nos primeiros campeões de Portugal de futebol, ao vencer na finalíssima disputada no Estádio do Bessa, o Sporting C.P. por 3-1, após prolongamento com João de Brito a apontar o terceiro golo dos portistas.
João de Brito conquistou novamente o Campeonato de Portugal na temporada de 1924/25. Os portistas voltaram a encontrar na final, desta vez disputada na cidade de Viana do Castelo, o Sporting C.P. que venceram por 2-1.
Conquistou também o Campeonato do Porto por quatro vezes.
No final da temporada de 1924/25 deixou o F.C. Porto, desconhecendo-se posteriormente o seu destino.

Palmarés
2 Campeonato de Portugal
4 Campeonato do Porto


João Nunes


João César Nunes, foi um médio/extremo esquerdo que vestiu a camisola do Futebol Clube do Porto na década de 1920.
Segundo as crónicas antigas, era um jogador de elevado nível técnico como tático. Essas suas qualidades valeram-lhe a titularidade na equipa portista que conquistou o Campeonato de Portugal por duas vezes.
A primeira aconteceu na temporada de 1921/22. No primeiro campeonato organizado pela F.P.F. os Dragões defrontaram o Sporting C.P. na final.
O primeiro jogo disputou-se no Campo da Constituição, no dia 4 de junho de 1922, tendo a vitória sorrido ao F.C. Porto por 2-1. Uma partida que teve o apito inicial 15 minutos depois da hora marcada, o atraso deveu-se à falta de João Nunes, que segundo disseram na época, tinha ido à romaria do Senhor de Matosinhos.
O segundo jogo da final já teve lugar em Lisboa e teve como vencedor a formação leonina, assim foi preciso disputar-se a finalíssima.
No dia 18 de junho as duas equipas voltaram a medir forças, desta vez no Estádio do Bessa. O F.C. Porto venceu por 3-1 e assim João Nunes foi um dos primeiros Campeões de Portugal.
Na época de 1924/25 a história foi quase a mesma. O Sporting C.P. de novo como adversário na final do Campeonato de Portugal que se disputou em Viana do Castelo, no campo de Monserrate. De novo o F.C. Porto venceu, desta vez por 2-1. E de novo João Nunes a sagrar-se Campeão.
João Nunes foi um dos poucos jogadores do Futebol Clube do Porto que venceram os dois primeiros campeonatos da história do clube.
Conquistou ainda o Campeonato do Porto por quatro vezes.
Mais tarde foi ainda dirigente do F.C. Porto e também da Associação de Futebol do Porto.

Palmarés
2 Campeonato de Portugal
4 Campeonato do Porto


José Mota


José Mota, foi o primeiro futebolista da família Mota a representar o Futebol Clube do Porto.
Irmão de Artur Mota e de Valdemar Mota, também eles futebolistas que vestiram a camisola dos Dragões.
A passagem de João Mota pelo F.C. Porto foi breve mas gloriosa e recheada de títulos.
Fez parte do plantel que conquistou o primeiro Campeonato de Portugal, prova organizada pela União Portuguesa de Futebol, antecessora da Federação Portuguesa de Futebol.
Venceu o Campeonato do Porto por duas vezes.
José Mota vestiu a camisola azul e branca nas temporadas de 1921/22 e 1923/24.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
1 Campeonato do Porto


José Tavares Bastos


José Tavares Bastos. Natural da Madalena, Vila Nova de Gaia.
Começou a jogar futebol no S.C. Espinho antes de ingressar no Futebol Clube do Porto onde conquistou o título na primeira edição do Campeonato de Portugal de 1921/22, com os Dragões a vencer
o Sporting C.P. por 3-1 na finalíssima disputada no Estádio do Bessa. Tavares Bastos por essa altura era já um dos mais velhos jogadores do F.C. Porto mas segundo rezam as crónicas, era também um verdadeiro génio com a bola nos pés e era de uma total entrega ao jogo, com sacrifício e dedicação sem limites. De feitio alegre, muito comunicativo, granjeou a simpatia de todos.
Representou o Futebol Clube do Porto durante quatro temporadas e em todas conquistou o Campeonato do Porto.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
4 Campeonato do Porto


Júlio Cardoso


Júlio Cardoso foi um defesa que fez parte dos planteis do Futebol Clube do Porto que conquistaram os primeiros campeonatos de futebol organizados em Portugal.
Vestiu a camisola dos Dragões durante os anos vinte e assim dessa forma ajudou a conquistar o primeiro Campeonato de Portugal de 1921/22, ao vencer o Sporting C.P. por 3-1 na final disputada no Estádio do Bessa. Título que Júlio Cardoso voltou a repetir na temporada de 1924/25, ao derrotar novamente o Sporting C.P. na final por 2-1 em jogo realizado no Campo de Monserrate em Viana do Castelo.
Pelo meio venceu por várias vezes o Campeonato do Porto.
Outra vitória histórica foi conseguida no dia 5 de Abril de 1926, quando os portistas receberam e venceram os alemães do Verein Razenspiele Furth por 3-2, depois dos campeões da Baviera terem vencido todos os jogos disputados em Lisboa.

Palmarés
2 Campeonato de Portugal
8 Campeonatos do Porto


Júlio Dias
Médio de posição, jogou no FC Porto entre 1928 e 1933.


Luís Peixoto


Luís Peixoto foi um guarda-redes que representou o Futebol Clube do Porto na década de 20 do passado século.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 11 de Novembro de 1923 no Campo da Constituição, onde os portistas jogaram como equipa visitante e venceram o Boavista F.C. por 1-0, numa partida que contou para a 1ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1923/24.
Luís Peixoto actuou em todas as partidas desse campeonato e dessa forma esteve directamente ligado à conquista do Campeonato Regional do Porto.
Ainda jogou na partida inaugural do Campeonato de Portugal em que o F.C. Porto venceu a Associação Académica de Coimbra por 3-2 no Campo da Constituição.
Na temporada seguinte voltou a sagrar-se Campeão Regional do Porto, mas apenas disputou o ultimo jogo do campeonato que foi disputado no Estádio do Bessa onde os portistas venceram o Boavista F.C. por 1-0.
Luís Peixoto esteve duas temporadas ao serviço do F.C. Porto. Disputou 8 jogos oficiais e conquistou 2 Títulos.

Palmarés
2 Campeonatos do Porto


Lopes Martins
Jogou no FC Porto na época 1928/29 e era médio.


Noise


António Oliveira, conhecido como “Noise”, foi um futebolista que representou o Futebol Clube do Porto na década de 1920.
Noise, que jogava a avançado, esteve ao serviço dos Dragões durante três temporadas, entre 1925/26 a 1927/28. Disputou 13 partidas e apontou 7 golos.
Estreou-se com a camisola portista no dia 11 de Outubro de 1925, no jogo da 1ª jornada do Campeonato do Porto quando o F.C. Porto recebeu e venceu o S.C. Salgueiros por 4-2.
Venceu por três vezes o Campeonato do Porto.
Também viveu grandes momentos em jogos de carácter particular, tal como aconteceu no dia 5 de Abril de 1926 quando o F.C. Porto recebeu e venceu os campeões da Baviera do Verein Razenspiele Furth, por 3-2. Outro jogo em que esteve presente foi em Janeiro de 1927 na vitória dos azuis e brancos por 4-0 contra os franceses do Bordeaux University Club.

Palmarés
3 Campeonatos do Porto


Norman Hall


O inglês Norman Hall era uma estrela na equipa do Futebol Clube do Porto.
A residir em Portugal desde os 8 anos de idade, pouco depois deu os primeiros pontapés na bola no seio do clube que seria o "do seu coração".
Mais tarde, em 1919, iniciaria um percurso desportivo que fez dele uma enorme glória do F.C. Porto.
Hall foi um avançado que se destacou pela extrema cortesia e "fair-play". Era uma figura viva, apaixonante, sempre de sorriso posto, um verdadeiro "gentleman". Numa altura em que os atletas eram inscritos por categorias (o F.C. Porto chegou a disputar os campeonatos de quartas categorias), Norman Hall, embora inscrito a meio da época (20-12-1919), passou desde logo a integrar o plantel de elite de que faziam parte, entre outros, Lino Moreira, José Magalhães Bastos, José Ferreira da Silva, Floreano Pereira, Hamilton, Joaquim Reis, Edward Bull, Lopes Carneiro, Velez Carneiro e Alexandre Cal, vindo a revelar-se um grande jogador e um excepcional desportista.

Representou o Futebol Clube do Porto a partir de 1920 e foi um futebolista marcante na história do clube.
Estreou-se, com uma grande exibição, em 4 de Abril de 1920 na vitória (3-2) frente ao S.L. Benfica, em Lisboa, a primeira de muitas que o F.C. Porto, ao longo da sua gloriosa história, iria arrebatar a sul e na capital.
Era um jogador que, com raro espírito de solidariedade, se subordinava aos interesses da equipa. O denodo e qualidade técnica fizeram-no temido pelos adversários e, goleador nato, marcou inúmeros e decisivos golos.
Numa eliminatória do Campeonato de 1925/26, só à sua conta converteu 8 tentos (!) nos 10-0 do F.C. Porto.
A mais-valia que representava para a equipa fica comprovada pelo episódio que se conta dum jogo com o S.L. Benfica na época 1930/31 (28-06-1931 – Campo do Arnado, Coimbra). Aníbal José, jogador dos encarnados, algum tempo depois do encontro, confidenciou em entrevista à "Stadium":
"Deixei o Benfica quase por imposição de Vítor Silva a pretexto de ser incorrecto e de não querer obedecer-lhe, mas, aquando do desafio entre o S.L. Benfica e o F.C. Porto, em Coimbra, na final do Campeonato de Portugal, era o Norman Hall o melhor jogador portista, podendo estorvar o Benfica. Vítor Silva, o capitão de equipa, veio ter comigo e disse-me: Ó Aníbal, dá uma grande pancada no Hall, inutiliza-o, quando não estamos perdidos! Eu imediatamente fui ao encontro do Norman Hall e desanquei-o de tal maneira que os rapazes no campo disseram: lá mataram o Hall! O certo é que logo a seguir o Benfica fez dois golos, de nada valendo vir o desgraçado do Hall para ponta esquerda, visto que nada podia fazer... E na outra parte metemos outro golo, ficando o resultado em 3-0."
Norman Hall jogou durante toda a década de 1920/30 e em 1931 ainda tinha um papel transcendente na equipa. Foi capitão do F.C. Porto durante vários anos. Além dos que, com ele, se sagraram em 1921/22 os Primeiros Campeões de Portugal, teve, mais tarde, como companheiros outras velhas glórias do Clube entre as quais Waldemar Mota, Acácio Mesquita, Pedro Temudo, Flávio Laranjeira, Álvaro Pereira, Avelino Martins, Francisco Castro e os míticos Miguel Siska e Artur de Sousa "Pinga", sendo que este iniciava uma carreira fulgurante no futebol português. Com alguns deles reconquistou o Campeonato de Portugal em 1924/25.
Hall, um grande atleta e um homem, com um coração enorme, que em todo o lado dignificou a imagem do Clube que amava. O facto de, juntamente com Abel D'Aquino Júnior, ser o único jogador de antanho a figurar na galeria dos sócios honorários do F.C. Porto, revela bem o destaque que alcançou no clube da Invicta.
A festa de despedida, em 1 de Julho de 1931, foi um tributo das gentes portistas ao homem e ao atleta.

Pelas capacidades que demonstrava em campo e por grandes qualidades humanas, foi homenageado em 1930 numa festa que incluiu um jogo de futebol entre o F.C. Porto e o C.D. Candal, de Vila Nova de Gaia. A Taça Norman Hall foi disputada nessa partida de caracter particular e terminou com a vitória do F.C. Porto por 5-2.
Em 1920, com 24 anos de idade, desempenhava funções de empregado comercial quando teve a oportunidade de jogar pelo F.C. Porto. Hall inscreveu-se como sócio dos Dragões em Setembro de 1920, com o número 2337, após vários meses a jogar com a camisola azul e branca onde mostrou o seu talento natural para o futebol. Sob a orientação do treinador francês Adolphe Cassaigne, o inglês ganhou um papel de ponta-de-lança no plantel do F.C. Porto.
Em 1922, o F.C. Porto venceu a primeira competição oficial de sempre do futebol português, mas Norman Hall não foi utilizado nesse momento histórico. No entanto, seria ele o autor de um “hat-trick” frente ao S.C. Espinho que colocou o F.C. Porto na final do Campeonato de Portugal de 1924/25. O jogo decisivo teve lugar em Viana do Castelo, onde Hall, capitão de equipa, inaugurou o marcador numa vitória por 2-1 frente ao Sporting C.P., resultado que permitiu ao F.C. Porto conquistar o seu segundo título nacional.
A carreira de Norman Hall no F.C. Porto teria terminado em Junho de 1930 se o inglês não fosse seduzido a jogar mais um ano, participando na campanha do clube na época de 1930/31. Quando finalmente se despediu dos campos de futebol, o avançado somava 71 utilizações e 58 golos marcados ao longo dos anos em jogos do Campeonato de Portugal e do Campeonato Regional, números bastante elevados naquele período da história.
Hall foi elevado a Sócio Honorário do F.C. Porto e, depois de terminar a carreira de futebolista, viveu em Lisboa, por razões profissionais, onde chegou a exercer a funções no gabinete de comunicação na Embaixada dos Estados Unidos da América. Em 1952, ajudou à importação, de Inglaterra, das sementes que deram origem ao primeiro relvado do Estádio das Antas, inaugurado nesse ano

Palmarés
2 Campeonatos de Portugal
12 Campeonatos do Porto


Pedro Themudo


Pedro Themudo nasceu no dia nasceu no dia 21 de outubro de 1907.
Filho de um tenente-coronel da Cavalaria (Afonso da Silveira Brandão Freire Themudo), Pedro Themudo também seguiu a carreira militar onde chegou a oficial do exército.
A sua carreira de futebolista, ao serviço do Futebol Clube do Porto, durou dez temporadas, entre 1924/25 até 1933/34.
A estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 4 de Janeiro de 1925, numa partida a contar para a 4ª jornada do Campeonato do Porto onde os portistas defrontaram e venceram o Sport Progresso por 3-2.
Pedro Themudo conquistou os Campeonatos de Portugal de 1924/25 e 1931/32 e também dez Campeonatos do Porto.
Themudo que era um defesa esquerdo, representou ainda a Selecção Nacional. Foi apenas numa partida, contra a Itália num jogo particular no dia 1 de Dezembro de 1929 em Milão, tendo os italianos vencido por 6-1.

Palmarés
2 Campeonatos de Portugal
10 Campeonatos do Porto


Simplício


Augusto Baptista Ferreira, mais conhecido por Simplício, foi um jogador do Futebol Clube do Porto que jogou na década de vinte.
Ingressou nos Dragões em 1923/24 e vestiu a camisola azul e branca até à época de 1929/30. Nessas sete temporadas, Simplício venceu o Campeonato do Porto em todas elas. Disputou 26 partidas oficiais e marcou 23 golos.
A sua estreia com a camisola do F.C. Porto aconteceu no dia 18 de Maio de 1924 no Campo da Constituição, quando os portistas receberam e venceram a Académica de Coimbra por 3-2, numa partida a contar para a 1ª eliminatória do Campeonato de Portugal da época de 1923/24. Uma estreia coroada com o golo da vitória que Simplício apontou aos noventa minutos.
Simplício ficou também conhecido e mesmo na história do F.C. Porto por ter desenhado o emblema como o conhecemos nos dias de hoje.
O emblema original do F.C. Porto era uma bola de futebol antiga de cor azul, com as inicias F.C.P. em banco.
Na Assembleia Geral realizada no dia 26 de Outubro de 1922, foi decidido alterar o emblema e a bandeira. O símbolo do clube passou a ter as armas que D. Maria II atribuiu ao Porto por Carta Régia em Janeiro de 1837. Estas são compostas por um escudo esquartejado que possui as armas reais (sete castelos e cinco quinas, tendo cada uma cinco besantes no interior) no primeiro e quarto quartéis e as antigas armas da cidade do Porto (a Virgem segurando o Menino, ladeados por duas torres) no segundo e terceiro quartéis, tendo no centro, sobre o ponto onde se unem os quatro quartéis, um coração, que representa o precioso legado que D. Pedro IV (pai de D. Maria II) deixou à cidade - segundo a sua vontade, o seu coração encontra-se guardado numa urna de prata na Igreja da Lapa. A orlar o escudo encontra-se o Colar e Grã-Cruz da Antiga e Muito Nobre Ordem da Torre e Espada de Valor Lealdade e Mérito, do qual pende a respectiva medalha (na qual estão escritas essas mesmas palavras: valor, lealdade e mérito). Sobre o escudo está a Coroa Ducal e o Dragão negro do poder, pertencente às antigas armas dos Senhores Reis destes Reinos, em cujo pescoço está uma fita com a palavra Invicta, título que D. Maria II atribuiu ao Porto, acrescentando-o aos que a cidade já possuía - Antiga, Mui Nobre e Sempre Leal.

Palmarés
7 Campeonatos do Porto


Siska


Mihaly Siska nasceu no dia 4 de Janeiro de 1906 em Budapeste na Hungria.
Depois de ter passado na Hungria pelo Vasas S.C. Mihaly Siska, com apenas 18 anos, chega a Portugal para ingressar no Futebol, Clube do Porto.
A estreia com a camisola dos Dragões teve lugar Campo do Bessa, no dia 23 de Novembro de 1924, onde os portistas defrontaram e venceram o Sport Progresso por 6-1, num jogo a contar para a 1ª jornada do Campeonato do Porto da temporada de 1924/25.
Siska embalou o Futebol Clube do Porto para a conquista do segundo campeonato de Portugal em 1924/25. O “testemunho” passado por Lino Moreira veio a vencer três anos depois, numa das extraordinárias exibições de Siska em Viana do Castelo.
Na dura prova dos “Nacionais”, não há dúvida de que Siska teve uma capacidade extraordinária e excedeu de maneira indiscutível todos os valores dos primeiros anos do futebol de competição em Portugal. Mihaly Siska, que desapareceu, infelizmente, muito novo do mundo dos vivos, foi dentro do Futebol Clube do Porto um elemento de curiosa aptidão profissional: bom funcionário da secretaria, treinador e atleta pundonoroso. Muito inteligente e correcto, Siska deu exemplos de esmerada educação e amor clubista.
Quem jogasse como Siska jogou, considerado por toda a crítica da época “o mais extraordinário guarda-redes visto em clubes portugueses”, seria dono e senhor em qualquer país. O grande Siska nunca se aproveitou dessa classe, embora tenho sido muito assediado para tal. Era modesto e muito sensato.
Depois de Lino Moreira ter sido o guarda-redes Campeão com o F.C. Porto, Mihaly Siska era o dono da baliza no segundo campeonato conquistado pelos Dragões e teve muita influência pessoal em tão magníficos triunfos.
Mihaly Siska disputou 98 partidas oficias e conquistou 9 títulos.
Mais tarde chegou a ser treinador dos Dragões. Teve uma breve passagem pelo comando técnico na temporada de 1935/36, mas na época de 1937/38 iniciou a temporada como novo líder da equipa principal, lugar que ocupou até ao final da época de 1941/42. No tempo em que orientou o F.C. Porto, Siska levou os Dragões à conquista de 5 Títulos, 3 Campeonatos do Porto e 2 Campeonatos Nacionais.

Palmarés como jogador
1 Campeonato de Portugal
9 Campeonatos do Porto

Palmarés como treinador
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão
3 Campeonatos do Porto


Velez Carneiro


Velez Carneiro nasceu em 1898.
Na temporada de 1914/15, inscreveu-se oficialmente no S.C. Espinho onde disputou o campeonato de 3ªs categorias. O seu jogo de estreia foi precisamente contra o Futebol Clube do Porto e saiu derrotado por 1-0.
Em 1920 Ingressou no F.C. Porto e fez parte da equipa que venceu pela primeira vez o S.L. Benfica em Lisboa por 3-2. O primeiro Campeonato de Portugal emerge na época de 1921/22 e Velez Carneiro, que jogava a meio-campo e conforme as crónicas da altura, era um jogador de elevada qualidade, é um dos loureados pela conquista do F.C. Porto.
Ao título de Campeão de Portugal juntou ainda quatro títulos de Campeão do Porto.
No dia 18 de Maio de 1925 foi morto a tiro por Carmindo Ferreira Duarte na Travessa dos Congregados, depois de uma discussão entre os dois. Era na altura um dos ídolos dos Dragões, e isso espelhou-se no seu funeral que foi imponente. Desde a Constituição até ao cemitério de Paranhos, foram muitas as pessoas que se acotovelaram para o ultimo adeus.
No dia 22 de Maio, o “Jornal de Noticias” escrevia: “Muito antes da hora marcada para a saída do féretro já o Campo de Jogos da Constituição regurgitava de pessoas. Depois de dar a volta ao campo, o féretro, conduzido pelos jogadores do team de que o finado fazia parte, foi colocado ao centro do campo, mantendo-se o público em silêncio durante cinco minutos, que foram observados religiosamente. Findo este recolhimento que impressionou, a Direcção do F. C. Porto procedeu à colocação da bandeira do seu clube sobre o féretro. O capitão da equipa, Hall, conduzia sobre uma almofada de cetim preto as medalhas oferecidas ao falecido jogador.”

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
4 Campeonatos do Porto


Waldemar Mota


Waldemar Mota da Fonseca nasceu no dia 18 de Março de 1906.
Foi médio/extremo direito de elevada qualidade que representou o Futebol Clube do Porto nas décadas de 20 e 30.
Foi o primeiro atleta do F.C. Porto a participar nos Jogos Olímpicos, nomeadamente os Jogo Olímpicos de Amesterdão de 1928, em representação de Portugal e marcou o primeiro golo da Selecção Nacional contra o Chile nessa competição.
Vestiu a camisola da Selecção Nacional por 21 vezes e em uma dessas vezes marcou 3 golos contra a Selecção de Itália, um jogo que Portugal venceu por 4-1.
No Futebol Clube do Porto desde os iniciados, Waldemar Mota já como sénior, fez parte da equipa treinada por Joseph Szabo que durante as épocas de: 1927/28 e 1937/38, venceu um Campeonato Nacional, dois Campeonato de Portugal e onze Campeonatos do Porto.
Formou juntamente com Pinga e Acácio Mesquita o célebre meio-campo da equipa portista que ficou apelidado de “os três diabos do meio-dia” depois do F.C. Porto ter vencido em alturas do natal de 1933 o First de Viena e uma Selecção da Budapeste, jogos que foram realizados por volta do meio-dia.
Depois de abandonar o futebol, Waldemar Mota ficou ligado ao comércio. Possuía uma mercearia fina que tinha clientela seleccionada, o estabelecimento ficava próxima da entrada do Mercado do Bolhão e era frequentada pela burguesia da cidade do Porto.
Faleceu em Abril de 1966. Encontra-se sepultado no cemitério do Bonfim no Porto.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
2 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
11 Campeonatos do Porto
 
Última edição:

jorgcastro

Bancada lateral
19 Agosto 2016
724
824
Creio que faltam os seguintes (todos com 1 jogo, na época assinalada, excepto Lopes Martins que tem 2):

António Lopes CarneiroAntónio Lopes Carneiro
14/06/1913​
1922/23
Borges AvelarJosé Borges de Avelar1923/24
CesárioCesário Moura Bonito
01/08/1909​
Peso Régua1929/30
Júlio DiasAntónio Júlio Dias1928/29
Lopes MartinsJoão Lopes Martins1928/29

Há um outro Lopes Carneiro, mas na década de 30: Armando de Lopes Carneiro.
Borges de Avelar, guarda-redes que defendeu a final de 1923/24, terá algum parentesco com o anterior presidente.
Cesário foi, mais tarde, um dos maiores presidentes da história do FCP.
Sobre Lopes Martins há algumas confusões: João e David, filhos de Alexandre Lopes Martins, jogaram ambos no FCP.

Sobre o Bastinhos e Tavares Bastos, há alguma confusão. Sugiro:

Eu tenho:
BastinhosJosé Maria Tavares Bastos1922/23
Tavares BastosJosé A. Magalhães Tavares BastosVila Nova Gaia1921/221922/231923/24
 
  • Like
Reações: paul93 e Fil

jorgcastro

Bancada lateral
19 Agosto 2016
724
824
Aproveito e deixo a minha lista da década de 30:
António Baptista da Costa
01/01/1913​
Vale CambraPOR
António da Costa BarrigasPOR
Vojtech Béla Andrášik
06/08/1913​
Rimavská SobotaHUN
Acácio Pereira de Mesquita
18/07/1909​
PortoPOR
Álvaro Cardoso Pereira
07/11/1904​
PortoPOR
Ângelo Pinto da Silva
05/05/1919​
BelémBRA
António da Costa Santos
22/02/1915​
PortoPOR
Arnaldo José Vieira da Silva Carneiro
22/03/1917​
PenafielPOR
Artur AlvesFunchalPOR
Augusto Manuel da Silveira AssisPOR
Avelino da Silva Martins
05/11/1904​
MatosinhosPOR
Carlos Alves Júnior
10/10/1903​
LisboaPOR
Carlos Pereira de MesquitaPOR
Carlos Ferreira da Silva Nunes
20/12/1914​
PortoPOR
Carlos de Jesus Pereira
03/09/1910​
FunchalPOR
José Castro FerreiraPOR
Constantino de SousaPOR
José Monteiro
23/10/1913​
SesimbraPOR
Ernesto dos Santos
20/03/1905​
ViseuPOR
Euclides Manuel de Sousa Pereira Anaura
28/03/1905​
Cabo VerdePOR
Felipe dos Santos Silva Júnior
20/12/1908​
Cabo VerdePOR
Fernando Vítor de Sousa Sacadura
11/11/1916​
LubangoPOR
Fernando TrindadePOR
Francisco Pinto de Castro
01/04/1910​
POR
Francisco Ferreira
23/08/1919​
GuimarãesPOR
José Gomes Baptista
01/04/1918​
Vila Nova GaiaPOR
Francisco Gomes da Costa
25/02/1919​
Vila Pouca AguiarPOR
António Gomes de SousaPOR
Vítor Augusto da Veiga Guilhar
12/10/1913​
São ToméPOR
Hernâni ?POR
José Francisco MagalhãesPOR
Jerónimo de Sousa FariaPOR
Slavko Kodrnja
12/04/1911​
ZagrebJUG
David Lopes MartinsPOR
Armando de Lopes Carneiro
14/06/1913​
Santa Maria FeiraPOR
Ferenc Magyar
02/04/1910​
HUN
Norman Hall12/10/1897ING
João Vicente da Nova
01/04/1907​
Póvoa VarzimPOR
Adélio Guilherme Pacheco
17/06/1920​
FafePOR
Pedro Henrique Themudo
21/10/1907​
POR
Joaquim Pereira da Silva
06/06/1918​
Oliveira AzeméisPOR
Franjo Petrak
19/11/1911​
ZagrebJUG
Artur de Sousa
30/09/1909​
FunchalPOR
Manuel dos Anjos
18/03/1914​
ChavesPOR
Raúl Augusto de Castro
20/05/1908​
POR
Francisco Reboredo Mosquera
03/09/1914​
Buenos AiresARG
José Lóio RomãoPOR
Manuel Pereira da SilvaPOR
Guilhermino de Melo Sárria
28/03/1905​
Viana CasteloPOR
Miguel Siska
04/01/1906​
BudapestePOR
Manuel Soares dos Reis
11/03/1910​
PenafielPOR
József Szabó11/05/1896GonyoHUN
Marins Alves de Araújo Viana
10/05/1909​
Rio de JaneiroBRA
Waldemar Mota da Fonseca
18/03/1906​
PortoPOR
José Dias Ferreira - ZecaPOR
Zeferino António Duarte
16/12/1913​
PortoPOR
 

jorgcastro

Bancada lateral
19 Agosto 2016
724
824
@jorgcastro Toda a informação e contributo são preciosos.

Obrigado.
Sempre que conseguir contribuir...
Já agora, tenho os jogadores todos até à década de 60! Uma ou outra dúvida sobre golos e poucas sobre jogos!
Falta-me o 11 do jogo de 06-03-1927, no Campo da Raia, em Braga, contra o Estrela de Braga. E não incluo jogos do Campeonato do Porto!
 
  • Like
Reações: paul93

Fil

Tribuna Presidencial
30 Maio 2016
5,370
1,363
Conquistas
5
  • José Maria Pedroto
  • Alfredo Quintana
  • Janeiro/21
Sempre que conseguir contribuir...
Já agora, tenho os jogadores todos até à década de 60! Uma ou outra dúvida sobre golos e poucas sobre jogos!
Falta-me o 11 do jogo de 06-03-1927, no Campo da Raia, em Braga, contra o Estrela de Braga. E não incluo jogos do Campeonato do Porto!
Isso vai ser muito útil. (y)
Tenho ido buscar a info a blogs e há alguma discrepância no conteúdo.
 
Última edição: