Jogadores do FC Porto - Década de 1930

Fil

Fil

Tribuna Presidencial
30 Maio 2016
5,165
1,086
Conquistas
4
  • José Maria Pedroto
  • Alfredo Quintana
  • Fernando "Bibota" Gomes
  • Madjer
Jogadores do FC Porto - Década de 1930


Acácio Mesquita


Acácio Pereira Mesquita nasceu no dia 18 de Julho de 1909 no Porto.
Aos 10 anos de idade o seu pai inscreveu-o como sócio do Futebol Clube do Porto e entrou na escola de infantis do clube portista, onde recebeu os ensinamentos de Abel Aquino, que dirigia a escola de infantis.
Desde cedo revelou habilidade para a prática do futebol, pelo que ascendeu à primeira categoria de infantil onde foi Campeão.
Passou depois para as terceiras categorias que disputavam o Campeonato Regional. Aí ficou uma época, passando as segundas categorias, que correspondiam à equipa B.
Duas épocas mais tarde passaria ao grupo de honra. Mas antes, já tinha sido seleccionado para o Porto – Lisboa. Entretanto o avançado Resberg regressa ao seu país e Acácio Mesquita é chamado a preencher aquela vaga, fixando-se definitivamente no lugar de avançado-centro da categoria de honra do Futebol Clube do Porto.
A estreia na equipa principal dos Dragões aconteceu no dia 27 de Março de 1927 no Campo do Lima onde os portistas defrontaram e empataram com o Sport Progresso, numa partida a contar para a 7ª jornada do Campeonato do Porto.
Aos 17 anos é internacional, suplente, em Milão, Paris e Sevilha. Depois foi Internacional contra a Espanha e França.
Acácio Mesquita fez parte do grande meio-campo portista juntamente com Waldemar Mota e Pinga. Os três foram apelidados de “os três diabos do meio-dia” quando por alturas do natal de 1933 o Futebol Clube do Porto defrontou e venceu as melhores equipas da Europa, jogos que foram disputados ao meio-dia.
Em futebol foi duas vezes Campeão Nacional. Mas foi também um praticante de atletismo ao mais alto nível. Conservou durante oito anos o recorde nacional de triplo salto e foi Campeão Regional de triplo salto, salto em comprimento, 110 metros barreiras e 4 x 100 metros.
Fez ainda parte da equipa de basquetebol, onde demonstrou igualmente valor invulgar.
Um atleta com tão rico palmarés não pode ficar ignorado na história do Futebol Clube do Porto.
Faleceu no dia 30 d Maio de 1945. Encontra-se sepultado no mausoléu do F.C. Porto no cemitério de Agramonte.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
11 Campeonatos do Porto


Álvaro Cardoso Pereira


Álvaro Cardoso Pereira nasceu no dia 7 de Novembro de 1904 na cidade do Porto.
Foi um médio-centro que durante 10 anos, entre 1926/27 – 1935/36, vestiu a camisola do Futebol Clube do Porto.
A estreia com a camisola azul e branca aconteceu no dia 10 de Outubro de 1926 no Campo da Constituição quando os Dragões receberam e venceram o S.C. Salgueiros por 2-1, numa partida a contar para a 1ª jornada do Campeonato do Porto da temporada de 1926/27.
Alinhou na equipa que derrotou o S.L. Benfica por 8-0 no campeonato de Portugal de 1932/33 e também contra o First Viena, um dos gigantes da Europa na época que caíram aos pés dos Dragões no Estádio do Lima.
Álvaro Pereira com a camisola do F.C. Porto venceu por uma vez o Campeonato de Portugal na temporada de 1931/32, ao vencer o C.F. Belenenses na Final disputada no Campo do Arnado em Coimbra. E o Campeonato Nacional da 1ª Divisão de 1934/35. Pelo meio conquistou por dez vezes o Campeonato do Porto.
Foi internacional por Portugal por 7 vezes. Teve a sua estreia no dia 30 de Novembro de 1930 contra a Espanha e a ultima vez que vestiu a camisola da Selecção Nacional foi a 18 de Março de 1934 também contra a selecção espanhola.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
10 Campeonatos do Porto


Alvaro Neto


Álvaro Lopes Neto foi um futebolista que jogou no Futebol Clube do Porto da última parte da década de 20 e nos primeiros anos da década de 30 do século passado.
Ingressou no F.C. Porto na época de 1928/29 e representou os Dragões durante quatro temporadas, até ao final da época de 1931/32.
A sua estreia na equipa principal dos Dragões aconteceu no dia 30 de Dezembro de 1928, num jogo a contar para a 2ª jornada do Campeonato do Porto em que os portistas venceram o Sport Progresso por 11-0.
Em todas as temporadas que vestiu a camisola azul e branca, ajudou os portistas a conquistar o Campeonato do Porto.
Apesar de fazer parte do plantel portista, Álvaro Neto não participou em nenhum jogo do Campeonato de Portugal da temporada de 1931/32 e dessa forma o seu nome não consta na lista dos vencedores que o F.C. Porto conquistou.
Viveu ainda grandes momentos em jogos particulares quando os portistas defrontaram equipas estrangeiras. Em Janeiro de 1930 os espanhóis do R.C. Celta de Vigo foram esmagados por 6-2, no Campo da Constituição. No ano seguinte, igualmente em Janeiro, foi o R.C. Deportivo Coruña a regressar a casa com uma pesada derrota por 6-0 e em Julho de 1931 o F.C. Porto venceu o C.R. Vasco da Gama por 2-1 no Estádio do Lima, obtendo a primeira vitória de uma equipa portuguesa sobre um clube brasileiro.
No final da época de 1931/32, Álvaro Neto deixou o F.C. Porto.

Palmarés
4 Campeonatos do Porto


Ângelo Silva


Ângelo Pinto da Silva nasceu no dia 5 de Maio de 1919 em Belém no estado de Pará no Brasil.
Jogando a avançado, ingressou no Futebol Clube do Porto no início da época de 1936/37.
Estreou-se com a camisola azul e branca no dia 11 de Outubro de 1936 no jogo da 1ª jornada do Campeonato do Porto em que os Dragões receberam no Campo da Constituição o Boavista F.C., com Ângelo Silva a marcar um dos dois golos da vitória por 2-1.
Ao serviço do F.C. Porto esteve duas temporadas em que participou em 20 jogos, tendo apontado 31 golos.
Apesar de fazer parte do plantel portista que venceu o Campeonato de Portugal da época de 1936/37, não foi utilizado em nenhum dos jogos dessa competição. Mas teve participação activa nas conquistas dos Campeonatos do Porto de 1936/37 e 1937/38.
Ângelo Silva deixou o F.C. Porto no final da temporada de 1937/38.

Palmarés
2 Campeonatos do Porto


Álvaro Sequeira


Álvaro José Sequeira Júnior, foi um dos mais valiosos atletas que representaram o Futebol Clube do Porto.
Começou por se distinguir tanto na natação como no pólo aquático e foi através dessas duas modalidades que foi um dos dois primeiros nadadores do F.C. Porto a representarem a Selecção Nacional de Natação e Polo Aquático, o outro atleta foi Canto Moniz.
Em 1928/29, Álvaro Sequeira sagra-se Campeão Nacional de pólo aquático, o primeiro da modalidade para o clube.
Ao mesmo tempo que se destacava nestas modalidades, jogava também futebol. Começou pelas equipas inferiores mas já fazia parte do plantel portista que venceu o segundo Campeonato de Portugal da história dos Dragões, em Viana do Castelo na temporada de 1924/25.
A sua estreia na equipa principal portista teve lugar no Campo da Constituição no dia 28 de Dezembro de 1924, numa partida a contar para a 3ª jornada do Campeonato do Porto da temporada de 1924/25, em que os Dragões venceram por 6-3.
Mais activa foi a sua participação na conquista do Campeonato de Portugal de 1931/32, desta vez com a consagração a ter lugar em Coimbra, no Campo do Arnado.
Para além dos dois Campeonatos de Portugal que conquistou, Álvaro Sequeira venceu também o Campeonato do Porto por dez vezes, nas dez temporadas em que vestiu a camisola do F.C. Porto.
Álvaro Sequeira foi assim mais um, verdadeiro atleta que honrou a camisola do F.C. Porto em varias modalidades.

Palmarés
2 Campeonatos de Portugal
10 Campeonatos do Porto


António Baptista da Costa


Jogava como médio e representou o FC Porto entre 1937 e 1945 e depois em 1951/52.


António da Costa Barrigas


António Santos



António da Costa Santos nasceu no dia 22 de Fevereiro de 1915 no Porto.
Depois de ter feito toda a formação no Futebol Clube do Porto, integrou a equipa principal na temporada de 1932/33.
A estreia com a camisola azul e branca aconteceu no dia 23 de Outubro de 1932 no Campo da Constituição, onde o F.C. Porto defrontou e venceu o Leça F.C. por 6-1, numa partida a contar para a 2ª jornada do Campeonato do Porto.
Vestiu a Camisola dos Dragões durante dez épocas, com a qual conquistou os campeonatos nacionais de 1934/35, 1938/39 e 1939/40 e também o campeonato de Portugal de 1936/37, conquistado em Coimbra, no Campo do Arnado, com uma vitória por 3-2 defronte do Sporting C.P.
António Santos viveu também momentos altos em jogos particulares ao serviço do F.C. Porto, como no dia 28 de Maio de 1933 em que os portistas venceram o S.L. Benfica no Campo da Constituição por 8-0, uma partida a contar para os quartos-de-final do Campeonato de Portugal de 1932/33. Ainda em 1933, no dia 9 de Julho o R.C. Deportivo de La Coruña foi derrotado por 3-2 no Campo do Ameal. No dia 4 de Janeiro de 1934 foram os austriacos do First Viena que saíram derrotados por 3-0 do Campo do Ameal, isto depois de terem vencidos todos os jogos que tinham disputado em Lisboa contra o C.F. Belenenses, Sporting C.P. e S.L. Benfica. Já em 17 de Janeiro de 1934 foi a vez do Atlético de Madrid sair vergado do Campo do Ameal pelo resultado de 4-1 a favor dos Dragões. Em Dezembro de 1934, no torneio de natal os hungaros do Upjest F.C. perdem por 2-1. No dia 27 de Abril de 1935 foi o Wacker de Viena a sentir o poder da equipa portista que venceu por 5-2. Em Julho de 1935 o campeão espanhol Real Betis de Sevilha sai do Campo do Ameal com uma pessada derrota por 4-2.
Outra vitória que ficou no seu currículo, aconteceu em Março de 1936, numa partida a contar para campeonato nacional, o resultado foi uns expressivos 10-1 e a equipa derrotada foi o Sporting C.P.
A temporada de 1941/42 foi a ultima em que representou o F.C. Porto.
António Santos disputou 166 partidas oficiais, marcou 133 golos e conquistou 12 Títulos.

Palmarés
3 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
8 Campeonatos do Porto


António Soares



Jogou no FC Porto entre as épocas de 1927/1928 e 1932/1933. era avançado.


Arnaldo Carneiro


Arnaldo José Vieira da Silva Carneiro nasceu no dia 22 de Março de 1917 em Penafiel.
Na época de 1936/37 representou o Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola azul e branca aconteceu no dia 11 de Outubro de 1936 no Campo da Constituição, onde os portistas receberam e venceram o Boavista F.C. por 2-1, numa partida que valeu para a 1ª jornada do Campeonato do Porto.
Nessa temporada Arnaldo Carneiro marcou 3 golos. O primeiro foi contra Académico F.C. no jogo da 3ª jornada do Campeonato do Porto, com os azuis e brancos a derrotarem os seus vizinhos por 7-0. Arnaldo Carneiro apontou o quinto golo da partida.
Apesar de ter servido o F.C. Porto apenas durante uma época, Arnaldo Carneiro conquistou dois títulos, pois ao Campeonato do Porto juntou o Campeonato de Portugal.
Nessa temporada de 1936/37, disputou 7 jogos oficiais e marcou 3 golos.
Na temporada seguinte ingressou na Académica de Coimbra onde jogou durante duas épocas, tendo vencido a Taça de Portugal na temporada de 1938/39. Em 1939/40 rumou a Setúbal para representar o Vitória F.C.

Palmarés
1 Taça de Portugal
1 Campeonato de Portugal
1 Campeonato do Porto


Artur Alves


Artur Alves foi um futebolista que representou o Futebol Clube do Porto na década de trinta.
Natural do Funchal, ingressou nos portistas na temporada de 1934/35.
A sua estreia com a camisola azul e branca aconteceu no dia 27 de Dezembro de 1934 no Campo da Constituição, onde o F.C. Porto a jogar como equipa visitante, derrotou o Leixões S.C. por 8-0, numa partida que valeu para a 10ª jornada do Campeonato do Porto de 1934/35.
Quanto aos golos, estreou-se com um hat-trick, no jogo da 2ª jornada do Campeonato Nacional de 1934/35, quando no dia 27 de Janeiro os Dragões venceram a Académica de Coimbra por 7-1 no Campo da Constituição. Artur Alves apontou o terceiro golo do F.C. Porto aos 25 minutos, depois marcou o sexto aos 75 minutos e fechou a contagem aos 88 minutos de jogo.
Artur Alves representou o F.C. Porto apenas na temporada de 1934/35. Disputou 4 jogos oficiais e marcou 3 golos. Sagrou-se Campeão Nacional e Campeão Regional do Porto.
Artur Alves esteve ainda presente em jogos particulares contra clubes poderosos na época.
No dia 23 de Dezembro de 1934 o Ujpest F.C. (campeão da Hungria nesse ano), foi derrotado pelos portistas por 2-1, em jogo disputado no Campo do Ameal. No ano seguinte, no dia 27 de Abril, foram os austríacos do S.C. Wacken Wien a serem vergados perante os Dragões com uma derrota por 5-2.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato do Porto


Augusto Assis

Era defesa e jogou no FC Porto na temporada de 1935/36.


Avelino Martins


Avelino da Silva Martins nasceu no dia 11 de Maio de 1904 em São Mamede de Infesta, Matosinhos.
Estreou-se na equipa principal do Futebol Clube do Porto no dia 18 de Dezembro de 1927, numa partida a contar para a 4ª jornada o Campeonato do Porto que se realizou no Campo da Constituição e onde os portistas venceram por 1-0. Vestiu a camisola dos Dragões durante onze temporadas.
Jogando a defesa, esteve presente no campeonato de Portugal de 1931/32, onde o F.C. Porto derrotou o C.F. Belenenses por 2-1, na finalíssima disputada em Coimbra, depois de duas semanas antes terem empatado 4-4.
Na época de 1934/35, Avelino Martins sagrou-se Campeão Nacional.
Venceu ainda o Campeonato do Porto por nove vezes.
Marcou também presença nas duas maiores goleadas que o F.C. Porto aplicou aos seus dois maiores rivais. No dia 28 de Maio de 1933, no Campo da Constituição, os portistas despacharam o S.L. Benfica com um contundente 8-0. Já em 1936, a 22 de Março e também no Campo da Constituição, o Sporting C.P. saiu vergado perante uns 10-1.
Esteve ainda em jogos particulares que ficaram para a história do clube, como a vitória sobre o R.C. Celta de Vigo por 6-2 no Campo da Constituição no dia 26 de Janeiro de 1930. Ainda a vitória defronte do R.C. Deportivo de La Coruña por 6-0 no Campo da Constituição no primeiro dia do ano de 1931. Esteve na equipa portista que venceu a formação do C.R. Vasco da Gama por 2-1 no Estádio do Lima no dia 26 de Julho de 1931, tendo sido a primeira vez que uma equipa portuguesa triunfava sobre uma brasileira. Já no dia 12 de Maio de 1935 festejou a vitória sobre o campeão espanhol, Real Betis de Sevilha por 4-2 no Campo do Ameal.
Avelino Martins representou também a Selecção de Portugal por oito vezes.
Faleceu no dia 30 de Deze,bro de 1982.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
9 Campeonatos do Port


Camilo Leal


Camilo Correia Carvalho Leal foi um futebolista que jogou na década de trinta no Futebol Clube do Porto.
A primeira vez que vestiu a camisola dos Dragões em jogos oficiais aconteceu no dia 22 de Fevereiro de 1931 na partida da 6ª jornada do Campeonato do Porto de 1930/31, em que os azuis e brancos venceram o S.C. Progresso por 1-0.
Camilo Leal representou o F.C. Porto durante três temporadas (1930/31, 1931/32 e 1934/35), em todas elas conquistou o Campeonato do Porto, tendo disputado um total de cinco jogos oficiais.
Apesar de ter sido utilizado em poucas partidas, Camilo Leal deu o seu contributo para a conquista de três títulos para os portistas e assim teve o direito de deixar o seu nome no livro de honra do F.C. Porto.

Palmarés
3 Campeonatos do Porto


Carlos Alves


Carlos Alves nasceu no dia 10 de Outubro de 1903 em Lisboa.
Começou a jogar futebol no Carcavelinhos F.C. e foi no clube lisboeta que nasceu a história das luvas pretas que Carlos Alves viria a usar.
Antes de uma partida contra o S.L. Benfica, uma pequena admiradora chegou perto dele e pediu-lhe que usasse as suas luvas pretas para dar sorte. Carlos Alves disse então à pequena rapariga que não podia usar as luvas porque o futebol era um jogo bastante sério para estar com brincadeiras.
Chegando o jogo ao intervalo, a equipa de Carlos Alves estava em desvantagem no marcador. É quando o defesa descobre no bolso dos calções as luvas pretas. Calçou as luvas e regressou ao campo para disputar a segunda-parte. No fim do jogo o Carcavelinhos deu a volta ao resultado e venceu o S.L. Benfica, a partir desse dia Carlos Alves nunca mais deixou de jogar com as luvas pretas calçadas.
Na temporada de 1927/28, quando ainda representava o Carcavelinhos F.C. venceu o Campeonato de Portugal.
Em 1933/34 rumou ao Académico F.C. onde jogou durante duas épocas.
Na temporada de 1935/36 ingressou no Futebol Clube do Porto.
A estreia com a camisola azul e branca dos Dragões aconteceu no dia 13 de Outubro de 1935 quando os portistas visitaram e venceram o Boavista F.C. por 7-1, numa partida a contar para a 1ª jornada do Campeonato Regional do Porto, competição que Carlos Alves ajudou a conquistar para o F.C. Porto nessa época de 1935/36.
Ao serviço dos Dragões Carlos Alves disputou 24 partidas oficiais, distribuídas por 14 para o Campeonato Nacional, 1 a contar para o Campeonato de Portugal e 11 no Campeonato do Porto.
Na época seguinte voltou ao Académico F.C. onde jogou mais uma temporada.
Carlos Alves foi internacional por 18 vezes e participou ainda nos Jogos Olímpicos de Amesterdão de 1928.
Depois de terminar a carreira de futebolista foi treinador e passou por diversos clubes.
Faleceu no dia 12 de Novembro de 1970. Dias depois, o seu neto João Alves, também futebolista, passou a usar luvas pretas como forma de homenagem para com o seu avô.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
1 Campeonato do Porto


Carlos Mesquita


Carlos Pereira Mesquita, o “Carlitos” que participou nos grupos infantis do Futebol Clube do Porto e neste se fez atleta dos mais notáveis, no futebol, no hóquei em campo e no atletismo, contribuiu também para a conquista de Campeonatos Regionais e Nacionais.
Membro de uma família inteiramente portista, desde o seu pai, velho dirigente do clube, da Associação e da Federação, até ao seu irmão, o inesquecível Acácio Mesquita, passando pelo seu primo, Jerónimo Faria, Campeão Nacional, pôde o correto Carlos Mesquita salientar-se como praticante habilidoso e considerado pela critica e pelos adeptos.
A estreia com a camisola azul e branca foi no dia 26 de Outubro de 1930, no Campo do Ameal onde os portistas venceram o S.C. Salgueiros por 3-2, num jogo a contar para a 1ª jornada do Campeonato Regional do Porto da época de 1930/31.
Jogando a avançado do centro, interior, ou extremo da equipa de honra de futebol, Carlos Mesquita honrou o F.C. Porto na final do Campeonato Nacional de 1931/32 em Coimbra, pelo grande golo que proporcionou ao seu irmão Acácio, e também nos vários desafios contra valorosas equipas estrangeiras. Como a vitória sobre o R.C. Deportivo Coruña por 6-0 no Campo da constituição no primeiro dia do ano de 1931, e a primeira vitória de uma equipa portuguesa sobre um clube brasileiro, no caso o C.R. Vasco da Gama que saiu derrotado por 2-1 do Estádio do Lima no dia 26 de Julho de 1931. Já em 1935 foi a vez do campeão espanhol, o Real Betis de Sevilha sair vergado do Campo do Ameal por um resultado de 4-2.
Carlos Mesquita conquistou ainda por 6 vezes o Campeonato do Porto (entre 1930/31 a 1935/36).
Quando estudante, Carlos Mesquita fez parte de equipas escolares. Ao abandonar a pratica do desporto foi dirigente do clube e contribuiu também para a propaganda da construção do Estádio das Antas.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
6 Campeonatos do Porto


Carlos Nunes



Carlos Ferreira da Silva Nunes nasceu no dia 20 de Dezembro de 1914 no Porto.
Jogava como extremo-esquerdo e a única camisola que vestiu foi a do Futebol Clube do Porto, entre a temporada de 1932/33 e 1941/42.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 16 de Outubro de 1932 quando o F.C. Porto recebeu e venceu o Leixões S.C. por 4-0, numa partida a contar para a 1ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1932/33 e que se disputou no campo do Ameal.
Assim fez parte do plantel portista que venceu o Campeonato da I Liga em 1934/35, o que foi o primeiro campeonato nacional de futebol.
Na época de 1936/37, Carlos Nunes ajudou o F.C. Porto a vencer o Campeonato de Portugal.
Em 1937/38 e num jogo contra o Sporting C.P., Carlos Nunes entrou para a história, não só do clube como do futebol português, ao apontar 4 golos num clássico, o que nunca tinha acontecido antes. O resultado final acabou por ser uma vitória dos portistas por 10-1.
Para a época de 1938/39 a Federação extinguiu a Liga e o Campeonato de Portugal e decidiu organizar o Campeonato Nacional. F.C. Porto, Académico do Porto, Académica de Coimbra, F.C. Barreirense, Casa Pia A.C., C.F. Belenenses, S.L. Benfica e Sporting C.P., foram as equipas participantes nesse campeonato. No final os Dragões obtiveram 23 pontos, 10 vitórias, 3 empates, 1 derrota e 57 golos marcados, com 15 deles de autoria de Carlos Nunes.
Na temporada seguinte o campeonato foi alargado para dez equipas e em 18 partidas o F.C. Porto venceu por 17 vezes e sagraram-se Bi-Campeões Nacionais. Nessa temporada Carlos Nunes já poucas vezes jogou e terminou a sua carreira pouco depois.
Venceu também o Campeonato do Porto por 7 vezes.
Nas dez épocas em que representou os Dragões, Carlos Nunes disputou 178 partidas oficiais, apontou 129 golos e conquistou 11 títulos.
Carlos Nunes representou ainda a Selecção Nacional por três vezes.
Nos anos cinquenta, foi director do departamento de futebol.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisãp (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
1 Campeonato da I Liga
7 Campeonatos do Porto


Carlos Pereira



Carlos de Jesus Pereira nasceu no dia 3 de Setembro de 1910 na Madeira.
Chegou ao Futebol Clube do Porto (proveniente do vizinho Boavista F.C.), na temporada de 1933/34.
A estreia com a camisola portista teve lugar no Campo da Constituição no dia 19 de Novembro de 1933 quando os Dragões receberam o Leixões S.C. num jogo que terminou empatado 2-2 e que contou para a 2ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1933/34.
Permaneceu oito temporadas, ininterruptas, ao serviço do F.C. Porto. Nesse período de tempo ajudou a conquistar três Campeonatos Nacionais (1934/35, 1938/39 e 1939/40), o Campeonato de Portugal na época de 1936/37, onde os Dragões defrontaram e venceram o Sporting C.P. por 3-2 na final disputada em Coimbra a 4 de Julho de 1937. E ainda seis Campeonatos do Porto (1933/34, 1934/35, 1935/36, 1936/37, 1937/38 e 1938/39).
A todos esses Títulos Nacionais, Carlos Pereira juntou várias vitórias importantes, tais como a vitória sobre o S.L. Benfica por 8-0 numa partida a contar para os Quartos-de-Final do Campeonato de Portugal de 1932/33. Ainda os 3-0 com que os austriacos do First Viena sairam derrotados do Campo do Ameal em Janeiro de 1934. A vitória sobre o Atlético de Madrid por 4-1 no dia 17 de Janeiro de 1934. Já em Abril de 1935 foi o Wacker de Viena que saiu vergado do Campo do Ameal por uns 5-2. Em Setembro de 1935 foi o campeão espanhol Real Betis de Sevilha que regressou a Espanha depois de uma goleada sofrida no Campo do Ameal por 5-2. Em Março de 1936, vitória histórica sobre o Sporting C.P. por 10-1, jogo disputado no Campo do Ameal.
Na temporada de 1940/41 rumou a Lisboa para ingressar no C.F. Unidos tendo terminado a carreira no final dessa mesma temporada.
Carlos Pereira representou também a Seleção Nacional por 13 vezes.

Palmarés
3 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão
1 Campeonato de Portugal
6 Campeonato do Porto


Constantino

Era avançado e jogou no FC Porto na temporada de 1935/36.


Correia Dias


Manuel Belo Correia Dias nasceu no dia 24 de Março de 1919 em Ovar.
Fez toda a formação nas camadas jovens ao serviço do Futebol Clube do Porto e na temporada de 1939/40 estreou-se na equipa principal dos Dragões numa partida contra o Leça F.C. no dia 22 de Outubro de 1939 no Campo da Constituição, um jogo a contar para a 3ª jornada do Campeonato do Porto da temporada de 1939/40 que os Dragões venceram por 3-1 e onde Correia Dias se estreou a marcar ao apontar o terceiro golo dos portistas.
Esteve ao serviço do F.C. Porto durante 8 temporadas tendo conquistado o Campeonato do Porto por 5 ocasiões (1942/43, 1943/44, 1944/45, 1945/46 e 1946/47).
Foi o melhor marcador do Campeonato Nacional da época de 1941/42 ao apontar 36 golos em 21 partidas.
Apesar de ser um avançado forte fisicamente, alto e bastante corpulento, Correia Dias esteve mesmo para abandonar a competição no final da temporada de 1946/47, mas o novo treinador, Eládio Vascheto, conseguiu demover o jogador dessa ideia e assim Correia Dias continuou a vestir a camisola azul e branca. Mas para isso, foi como que obrigado a receber salário, ele que nunca tinha sido remunerado e sempre tinha jogado por amor à camisola. Aceitou a condição e explicou-a numa entrevista que deu em 1948 à revista Stadium: “Eu acho o profissionalismo perfeitamente aceitável. É mesmo honroso ser profissional. Se eu precisasse do futebol acredito que receberia desde há muito. Mas, como isso não se tem dado, nunca pensei nas remunerações do clube. Agora posto o problema da disciplina e das obrigações, considerada necessária a minha inclusão na equipa do clube, nestas condições, acedi e ganho. Pronto.”
Correia Dias quando aceitou continuar a sua carreira de certeza que nunca pensou que viria a fazer parte de um dos maiores feitos da história do futebol português. A vitória do F.C. Porto contra o Arsenal F.C. no dia 7 de Janeiro de 1948 por 3-2, com dois golos de sua autoria.
Já em 1949, mais precisamente no dia 16 de Janeiro, realizou o seu último jogo como futebolista. Foi contra o S.C. Olhanense no estádio da Constituição. Nesse dia ainda marcou um golo, que foi o seu último, o 110º em 114 jogos.

Palmarés
5 Campeonatos do Porto


Costuras


José Monteiro (Costuras), nasceu no dia 27 de Fevereiro de 1912 no Porto.
Desconhece-se onde terá começado a jogar futebol e em que clube, o que se sabe é que na temporada de 1933/34, ingressou no Boavista F.C. tendo representado o clube do Bessa durante quatro épocas onde se sagrou Campeão Nacional da II Divisão na época de 1936/37.
Em 1937/38 chegou ao Futebol Clube do Porto e logo passou a ser um dos principais jogadores da equipa orientada por Mihaly Siska.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 16 de Janeiro de 1938 no Campo da Tapadinha onde os portistas defrontaram o Carcavelinhos F.C. tendo derrotado os lisboetas por 1-0, num jogo a contar para a 1ª jornada do Campeonato Nacional da I Liga.
Na temporada seguinte, Costuras confirmou o que tinha mostrado na temporada anterior e ainda foi ele o melhor marcador do campeonato, com 18 golos marcados, ajudando o F.C. Porto a conquistar o Campeonato Nacional.
Venceu também o Campeonato do Porto nas duas temporadas em que esteve ao serviço dos Dragões.
No final de 1939, viajou para Moçambique onde ainda jogou futebol no Clube Ferroviário de Lourenço Marques, pois era funcionário dos Caminhos de Ferro de Moçambique. Em 1976 regressou a Portugal e passou a viver em Valença do Minho. Mais tarde adoeceu e seguiu o tratamento em Lisboa, onde acabou por falecer no dia 21 de Novembro de 1976.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato Nacional da 2ª Divisão (Portugal)
2 Campeonatos do Porto


Ernesto Santos


Ernesto Santos foi um defesa que jogou no Futebol Clube do Porto nas temporadas de 1935/36 e 1936/37.
A estreia ao serviço dos portistas aconteceu no dia 31 de Maio de 1936, quando o F.C. Porto recebeu e venceu o S.C. Braga por 11-0 numa partida a contar para a 2ª mão da 1ª eliminatória do Campeonato de Portugal da época de 1935/36.
Sagrou-se Campeão de Portugal na época de 1936/37, depois dos Dragões vencerem na final, disputada em Coimbra no Campo do Arnado no dia 4 de Julho de 1937, o Sporting C.P. por 3-2.
Conquistou ainda o Campeonato do Porto nas duas épocas em que vestiu a camisola dos Dragões.
Para além do título de Campeão de Portugal, Ernesto Santos viveu grandes vitórias com a camisola azul e branca do F.C. Porto. Tal como aconteceu no dia 15 de Dezembro de 1935, quando os portistas defrontaram e venceram por 10-0 o Leixões S.C. numa partida a contar para o Campeonato do Porto. Outro resultado de destaque foi no dia 22 de Março de 1936 em que o Sporting C.P. foi copiosamente derrotado por 10-1 no campo do Ameal.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
2 Campeonatos do Porto


Euclides Anaura


Euclides Anaura nasceu no ano de 1914 em Cabo Verde.
Chegou a Portugal ainda criança e entrou pouco depois para as escolinhas do F.C. Porto, passando pelos vários escalões de formação do clube azul e branco até integrar o plantel principal na época de 1928/29.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 18 de Novembro de 1928 no Estádio do Lima, quando os portistas, a jogar como equipa visitante, perderam com o Leixões S.C. por 3-1 na 1ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1928/29. Apesar dessa derrota, o F.C. Porto vence o Campeonato Regional do Porto com 7 vitórias e apenas 1 derrota.
Permaneceu nos Dragões até ao final da temporada de 1934/35, tendo regressado em 1939/40.
Nas oito épocas em que esteve ao serviço do F.C. Porto, ajudou a conquistar o Campeonato de Portugal de 1931/32, o Campeonato Nacional de 1934/35 e 1939/40, os Campeonatos do Porto de 1928/29, 1929/30, 1930/31, 1931/32, 1932/33, 1933/34 e 1934/35.
Para além de todas as conquistas em competições oficiais, viveu também grandes momentos em jogos de carácter, como aconteceu em Janeiro de 1930 quando os espanhóis do R.C. Celta de Vigo saíram derrotados por 6-2 do Campo da constituição, também em Janeiro mas de 1931 foi a vez do R.C. Deportivo Coruña regressar à Galiza com uma pesada derrota por 6-0, ainda em 1931 mas no mês de Julho foram os brasileiros do C.R. Vasco da Gama a perder por 2-1 no Estádio do Lima, uma partida que entrou para a história do futebol português já que foi o primeiro triunfo de um clube nacional contra uma equipa brasileira. No dia 9 de Julho de 1933 os galegos do R.C. Deportivo Coruña voltaram a visitar a cidade do Porto, jogaram no Campo do Ameal mas foram de novo derrotados com o resultado de 3-2. O ano de 1934 trouxe várias vitórias sobre clubes estrangeiros que na época estavam na ribalta do futebol europeu, começou em Janeiro com o First Viena a perder por 3-0 no Campo do Ameal, depois de os austríacos terem vencido todos os jogos que tinham efectuado em Lisboa contra Sporting C.P., S.L. Benfica e C.F. Belenenses. Ainda em Janeiro foi o Club Atlético Madrid a perder por 4-1 e em Dezembro foi a vez do Upjest regressar a casa depois de ser derrotado no Estádio do Lima por 2-1.
Em 1935/36 Euclides Anaura transferiu-se para o Sport Progresso onde esteve durante três temporadas para na época de 1938/39 se transferir para o Boavista F.C.
Na temporada de 1939/40 regressou ao F.C. Porto para ser de novo Campeão Nacional.
Em 1940/41 ingressou no F.C. Barreirense onde terminou a sua carreira de futebolista.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
7 Campeonatos do Porto


Filipe dos Santos

Jogou no FC Porto entre as temporadas 1930/1931 e1932/1933, e também em 1934/1935. Era médio.


Ferreira da Silva


Ferreira da Silva foi um futebolista que representou o Futebol Clube do Porto na década de trinta do século passado.
Foi no dia 20 de Outubro de 1935 que vestiu pela primeira vez a camisola dos Dragões, quando no Campo do Leça o F.C. Porto visitou e empatou 3-3 com o Leça F.C., numa partida que contou para a 2ª jornada do Campeonato Regional do Porto da temporada de 1935/36.
Treze dias mais tarde marcou o seu primeiro golo de azul e branco, foi na vitória dos Dragões contra o S.C. Salgueiros por 4-0, Ferreira da Silva inaugurou o marcador aos 2 minutos de jogo, numa partida que valeu também para o Campeonato do Porto de 1935/36.
Ferreira da Silva teve influência directa na conquista desse campeonato, em que o F.C. Porto venceu nove dos dez jogos realizados, consentindo apenas um empate, precisamente no jogo de estreia de Ferreira da Silva. Nessa prova os portistas marcaram 57 golos e sofreram 10.
Ferreira da Silva esteve ao serviço do F.C. Porto apenas na temporada de 1935/36. Disputou 4 jogos oficiais, marcou 2 golos e conquistou 1 Título, o que bastou para ter o seu nome no livro de Campeões da história do F.C. Porto.

Palmarés
1 Campeonato do Porto


Francisco Castro


Francisco Pinto de Castro nasceu no dia 1 de Abril de 1910.
Na temporada de 1927/28 representou o S.C. Salgueiros.
Em 1928/29 ingressou no Futebol Clube do Porto para só deixar o clube em 1935/36, quando pendurou as chuteiras.
Em 1931/32 conquistou o Campeonato de Portugal quando o F.C. Porto derrotou o C.F. Belenenses por 2-1 na final disputada em Coimbra no Campo do Arnado, numa equipa que era orientada por Josef Szabo.
Na temporada de 1934/35 sagrou-se Campeão Nacional.
Conquistou por sete vezes o Campeonato do Porto, tantas quantas as temporadas em que esteve ao serviço dos Dragões.
Foi ainda internacional por duas vezes. Estreou-se no dia 30 de Novembro de 1930, na derrota por 0-1 contra a Espanha e depois no Portugal-Hungria a 29 de Janeiro de 1933, com vitória nacional por 1-0.
Depois de Francisco Castro, os seus descendentes sempre estiveram ligados ao desporto e mais concretamente ao F.C. Porto. Os filhos André, que foi supervisor fiscal do clube e Miguel Ângelo que chegou a ser capitão da equipa juvenil, tendo falecido ainda muito jovem. O neto, Rui Pereira, jogou no S.C. Rio Tinto até sofrer uma grave lesão. O bisneto, André Castro, também ele representou o F.C. Porto, onde foi Campeão Nacional.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
7 Campeonatos do Porto


Francisco Ferreira


Francisco Ferreira nasceu no dia 23 de Agosto de 1919 na cidade de Guimarães.
Foi no Campo da Constituição, onde o seu pai era o guarda do campo, que começou a jogar futebol. Começou como uma brincadeira de criança, mas depressa passou a ser algo mais sério e ingressou nas escolas do clube azul e branco onde percorreu todos os escalões de formação até ascender a sénior no final da temporada de 1935/36.
A sua estreia com a camisola principal do F.C. Porto aconteceu no dia 11 de Outubro de 1936, precisamente no Campo da Constituição, onde os portistas receberam e venceram o Boavista F.C. por 2-1, numa partida que contou para a 1ª jornada do Campeonato do Porto.
Na época em que vestiu pela primeira vez a camisola principal do F.C. Porto, Francisco Ferreira começou por ajudar a conquistar o Campeonato do Porto, onde disputou quatro jogos, e terminou a temporada com a vitória no Campeonato de Portugal, tendo sido utilizado sete vezes pelo treinador François Gutkas.
Na época seguinte voltou a sagrar-se Campeão do Porto, o que foi o seu último título com a camisola azul e branca.
Francisco Ferreira, como sénior, esteve duas temporadas ao serviço dos Dragões, conquistou 3 títulos e formou com Carlos Pereira e Pocas um trio de meio-campo de grande qualidade que ficou conhecido como: “Linha Maginot”.
No final da temporada de 1937/38, Francisco Ferreira desentendeu-se com os dirigentes portistas. Queria 300 escudos de ordenado, o que lhe foi prontamente negado. Dias depois encontrou-se com um responsável do S.L. Benfica que aceitou pagar o que ele tinha pedido ao F.C. Porto e assim rumou a Lisboa onde jogou pelos encarnados durante 14 temporadas, tendo conquistado 4 Campeonatos Nacionais, 6 Taças de Portugal e 1 Campeonato de Lisboa.
Francisco Ferreira foi internacional por Portugal. Vestiu a camisola das Quinas por 25 vezes.
Francisco Ferreira esteve presente no jogo de homenagem e despedida ao portista Artur de Sousa Pinga, seu antigo companheiro no F.C. Porto. A partida teve lugar no Estádio do Lima no dia 7 de Julho de 1946.
Faleceu no dia 14 de Fevereiro de 1986.

Palmarés
4 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
6 Taças de Portugal
1 Campeonato de Portugal
1 Campeonato do Porto
1 Campeonato de Lisboa


Franjo Petrak


Franjo Petrak nasceu na Croácia (antiga Jugoslávia) no dia 19 de Novembro de 1911.
No seu país alinhou pelo FK Hajduk Rodic MB Kula, clube que representou durante dez temporadas, entre 1929/30 a 1938/39.
Na época de 1939/40 chegou ao Futebol Clube do Porto.
A estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 24 de Dezembro de 1939 no Campo do Bessa onde o F.C. Porto e o Boavista F.C. empataram 1-1, numa partida a contar para a 10ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1939/40.
Esteve duas temporadas ao serviço dos Dragões e formou com o seu compatriota Slavko Kordnya, uma dupla atacante de enorme sucesso, como mostram os 44 golos apontados pelos dois jogadores (Kordnya 29, Petrak 15), num total de 76 golos marcados pelo F.C. Porto no campeonato de 1939/40 em que se sagrou Campeão Nacional.
Na temporada seguinte Petrak apontou mais 13 golos, com os portistas a terminarem o campeonato nacional no segundo lugar. Acabou no entanto por conquistar o Campeonato do Porto. No final dessa época deixou o F.C. Porto para ingressar no G.D. Estoril Praia.
No clube canarinho, Petrak jogou durante quatro temporadas, tendo vencido o Campeonato Nacional da II Divisão em 1941/42 e em 1943/44.
No final da temporada de 1944/45 colocou um ponto final da sua carreira de futebolista.
Faleceu em 1978.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
2 Campeonatos Nacionais 2ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato do Porto


Gomes da Costa


Francisco Gomes da Costa nasceu no dia 25 de Fevereiro de 1919 em Vila Pouca de Aguiar.
Na temporada de 1936/37 ingressou na equipa principal do Futebol Clube do Porto, quando contava com 17 anos de idade. Por essa altura conciliava o futebol com os estudos, já com a intenção de vir a ser médico dentista. Foi essa a razão para ter deixado o futebol para segundo plano e não ter participado em nenhum jogo na temporada de 1938/39.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 29 de Novembro de 1936 no Campo Augusto Leça, onde os portistas derrotaram o Académico do Porto por 3-2, num jogo a contar para a 8ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1936/37.
Logo na sua primeira temporada ao serviço do F.C. Porto conquistou o Campeonato de Portugal. O F.C. Porto foi a Coimbra vencer o Sporting C.P. na final por 3-2.
Em 1939/40 sagrou-se Campeão Nacional.
Venceu também o Campeonato do Porto por nove vezes.
Jogou sempre com a camisola dos Dragões até à temporada de 1946/47, quando terminou a carreira de futebolista. Foram 10 temporadas com 7 Títulos conquistados.
Representou também a Selecção Nacional numa partida contra a Espanha em 1945.
Depois de deixar o futebol abraçou a carreira de médico e mais tarde, em 1964, foi Presidente da Câmara de Vila Pouca de Aguiar. Como prova de reconhecimento pelo seu trabalho em prol da vila do Distrito de Vila Real, tem o seu nome no Pavilhão Gimnodesportivo Municipal.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
9 Campeonatos do Porto


Gomes de Sousa


Gomes de Sousa foi um futebolista que representou o Futebol Clube do Porto nos finais da década de vinte e inícios da década de trinta do século passado.
Jogando a médio, Gomes de Sousa ingressou nos Dragões em 1928/29.
Estreou-se com a camisola azul e branca no dia 20 de Janeiro de 1929 quando no Campo do Ameal os portistas receberam e venceram o Boavista F.C. por 7-0, numa partida a contar para a 3ª jornada do Campeonato do Porto de 1928/29.
Gomes de Sousa vestiu a camisola azul e branca durante cinco temporadas e em todas elas conquistou o Campeonato do Porto e em 1931/32 ajudou os portistas a vencerem o Campeonato de Portugal, quando no Campo do Arnado, em Coimbra o F.C. Porto venceu o C.F. Belenenses por 2-1, depois de no primeiro encontro ter-se registado um empate de 4-4 após prolongamento.
Mas não foram só as conquistas em jogos oficiais a marcar a carreira de Gomes de Sousa no F.C. Porto, já que também teve partidas de carácter particular que foram marcantes, como em Janeiro de 1930, quando os espanhóis do R.C. Celta de Vigo saíram do Campo da Constituição vergados por uns 6-2, já no ano seguinte e também em Janeiro, foi o R.C. Deportivo Coruña a regressar a Espanha depois de uma pesada derrota por 6-0. Em Julho de 1931, no Estádio do Lima, o F.C. Porto vence o C.R. Vasco da Gama por 2-1, no que foi a primeira vitória de um clube português sobre uma equipa brasileira.
No final da temporada de 1932/33, Gomes de Sousa deixou o F.C. Porto.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
5 Campeonatos do Porto


Guilhermino de Melo Sárria


Guilhermino de Melo Sárria nasceu em Viana do Castelo no ano de 1914.
Ingressou no Futebol Clube do Porto no início da temporada de 1939/40 para fazer parte do plantel comandado por Mihaly Siska.
A estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 12 de Novembro de 1939 no Campo da Constituição, numa partida a contar para o Campeonato do Porto, quando os portistas receberam e venceram o Académico F.C. por 1-0 com o golo a ser apontado por Sárria.
No final dessa mesma época sagrou-se Campeão Nacional, foi assim um dos muitos jogadores que ficaram na história do F.C. Porto pela vitória no terceiro Campeonato Nacional conquistado. Sárria, que jogava a defesa ainda contribuiu com um golo para o triunfo do Título Nacional, foi no jogo da 4ª jornada quando a Académica de Coimbra recebeu e foi derrotada pelos portistas por 2-0, Sárria foi o autor do segundo golo.
Sárria que vestiu a camisola azul e branca durante seis temporadas conquistou ainda por quatro vezes o Campeonato do Porto (1940/41, 1942/43, 1943/44 e 1944/45).
No final da temporada de 1944/45 deixou o F.C. Porto.
Nas seis épocas em que esteve nos Dragões, disputou 69 partidas e apontou 2 golos.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
4 Campeonatos do Porto


Hernâni

Era médio e jogou no FC Porto na temporada de 1936/37.


Jerónimo Faria


Jerónimo de Sousa Faria, primo de Acácio Mesquita e também de Carlos Mesquita, foi um dos mais importantes jogadores do Futebol Clube do Porto na década de 30.
Ingressou nos Dragões na temporada de 1927/28 e estreou-se no dia 22 de Abril de 1928, quando os portistas visitaram o Sport Progresso num jogo a contar para a 7ª jornada do Campeonato do Porto que terminou com a vitória do F.C. Porto por 6-2.
Em 1931/32 Conquistou o Campeonato de Portugal ao derrotar o C.F. Belenenses por 2-1 no segundo jogo da final realizada no campo do Arnado em Coimbra. No primeiro encontro as duas equipas terminaram empatadas 4-4.
Defesa de excelente qualidade, foi um dos pilares na formação portista que conquistou na temporada de 1934/35 o Campeonato Nacional sob o comando técnico de Joseph Zsabo.
Na época de 1936/37 e de novo em Coimbra, voltou a ganhar o Campeonato de Portugal depois dos portistas vencerem o Sporting C.P. por 3-2.
Em 1938/39 e 1939/40 sagrou-se Bi-Campeão Nacional.
Conquistou ainda o Campeonato do Porto por doze vezes.
Durante os treze anos em que esteve ao serviço dos Dragões como jogador, Jeronimo Faria viveu grandes momentos e grandes jogos de futebol. Em Janeiro de 1930 os espanhóis do R.C. Celta de Vigo sairam derrotados do Campo da constituição por 6-2. Um ano mais tarde foi o R.C. Deportivo de La Coruña que saiu vergado também do Campo da Constituição por um resultado de 6-0. Em Julho de 1931 os brasileiros do C.R. Vasco da Gama perderam por 2-1 no Estádio do Lima, essa foi a primeira vitória de um clube português sobre uma equipa brasileira. Já em Maio de 1933 foi a vez do S.L. Benfica regressar a casa com uma pessada derrota por 8-0, um jogo a contar para os quartos-de-final do Campeonato de Portugal de 1932/33. Em Julho de 1935, no Campo do Ameal o campeão espanhol Real Betis foi derrotado por 4-2. No dia 22 de Março de 1936 o Sporting C.P. levou na bagagem 10 golos com que os portistas os despacharam para a Capital.
Depois de deixar o futebol, foi dirigente do F.C. Porto.

Palmarés
3 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
2 Campeonato de Portugal
13 Campeonatos do Porto


Jerónimo Pereira

Defesa que defendeu as cores do FC Porto entre 1927 e 1929 e mais tarde em 1932/1933 e 1934/1935


João Costa


João Costa foi um futebolista que jogou no Futebol Clube do Porto no início dos anos trinta do século passado.
Apesar de ter jogado nas equipas de reservas durante os anos vinte, onde ajudou a vencer os Campeonatos Regionais em 1923/24 e 1924/25, João Costa integrou o plantel principal dos Dragões na temporada de 1931/32.
A sua estreia com a camisola do F.C. Porto aconteceu no dia 29 de Maio de 1932 no Estádio Municipal do Funchal quando os portistas visitaram o C.S. Marítimo, num jogo que contou para a 1ª mão dos quartos de final do Campeonato de Portugal de 1931/32 e que terminou empatado 0-0.
João Costa, conquistou nessa época de 1931/32 o Campeonato de Portugal e também o Campeonato do Porto.
Mas não foi só no futebol que João Costa serviu o F.C. Porto. Praticou natação, polo aquático e atletismo onde foi Campeão Nacional de saltos.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
1 Campeonato do Porto


João Lopes Martins


João Lopes Martins é considerado o atleta mais eclético e completo da história do Futebol Clube do Porto.
Entre as décadas de 20 e 40, jogou nas equipas de futebol, basquetebol, andebol, râguebi, hóquei, ainda participou nos campeonatos de natação e atletismo e também chegou a jogar ténis, sempre com a camisola do F.C. Porto.
Começou a jogar futebol ainda nos infantis e chegou à equipa principal na época de 1927/28.
Estreou-se na equipa principal dos Dragões no dia 19 de Março de 1933 no Campo da Constituição onde o F.C. Porto derrotou o Académico do Porto por 8-1, numa partida a contar para a 2ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1932/33.
Jogou quatro temporadas e conquistou o Campeonato do Porto por quatro vezes.
No basquetebol foi internacional, depois treinador e mais tarde assumiu os comandos da secção da modalidade no clube.
No andebol de 11, sagrou-se tetra-campeão nacional entre as temporadas de 1938/39 e 1941/42.
Em atletismo sagrou-se campeão regional na modalidade de salto à vara.
No Rugby conquistou o Campeonato Regional da temporada de 1932/33.
Esteve presente na inauguração do Estádio das Antas, no dia 28 de maio de 1952, com o ex-atleta Mota Freitas e o porta-estandarte e antigo futebolista e atleta olímpico Waldemar Mota.
Foi considerado o atleta numero 1 do Futebol Clube do Porto.
Faleceu aos 85 anos quando era o sócio numero 6 do clube.

Palmarés
4 Campeonatos do Porto


João Nova


João Vicente da Nova nasceu no dia 1 de Abril de 1907 na Póvoa de Varzim.
Vestiu a camisola do Futebol Clube do Porto desde a temporada de 1933/34 a 1936/37.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 12 de Novembro de 1933 no Campo do Bessa onde os portistas empataram com o Leça F.C. para a 1ª jornada do Campeonato do Porto da temporada de 1933/34.
Durante as quatro épocas que representou os Dragões, vindo do vizinho Boavista F.C., João Nova Conquistou o Campeonato Nacional 1ª Divisão em 1934/35 e o Campeonato de Portugal na temporada de 1936/37, assim como o Campeonato do Porto por quatro ocasiões.
Marcou ainda presença em vitórias memoráveis do F.C. Porto. Tais como em Janeiro de 1934 contra o Atlético de Madrid em que os espanhois foram batidos por 4-1. Já em Julho de 1935 na recepção do campeão espanhol, Real Betis que regressou a Sevilha com um resultado de 4-2. A nível interno, o maior destaque foi para a derrota imposta ao Sporting C.P. em Março de 1936, por 10-1.
João Nova representou também a Selecção Nacional numa partida realizada em Espanha contra a Selecção local. O resultado foi uma derrota pesada para os portugueses por 0-9.

Palmarés
1 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
4 Campeonatos do Porto


José Lóio (Romão)


José Lóio, conhecido por Romão, foi um guarda-redes que nasceu em Chaves.
Começou por jogar futebol no C.A. Flaviense, depois mudou-se para o A.D. Sanjoanense onde jogou durante três temporadas.
No início da época de 1935/36 ingressou no Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 8 de Dezembro de 1935 no Estádio do Bessa, onde os portistas visitaram e venceram o S.C. Salgueiros por 7-1 (um resultado nada digno para o clube de Paranhos no dia do seu aniversário). O jogo contou para a 9ª jornada do Campeonato do Porto, prova que os azuis e brancos conquistaram e assim Romão sagrou-se Campeão do Porto.
Na temporada seguinte Romão repete a conquista do Campeonato do Porto e ajuda a vencer o Campeonato de Portugal, com os portistas a derrotar o Sporting C.P. por 3-2 na final disputada em Coimbra no Campo do Arnado.
Romão, como ficou conhecido por a sua mãe espanhola se chamar Ramona, esteve ao serviço do F.C. Porto durante duas épocas. Disputou 30 jogos oficiais e conquistou 3 títulos.
Em 1937/38 rumou ao Académico F.C., onde esteve dois anos. Em 1939/40 ingressou no G.D. Joane e mais tarde passou pelo F.C. Tirsense.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
2 Campeonatos do Porto


Júlio Dias

Jogou no FC Porto entre 1928 e 1933 e era médio..


Lopes Carneiro


Armando Lopes Carneiro nasceu no dia 14 de junho de 1913.
Ingressou no Futebol Clube do Porto na época de 1930/31 e vestiu a camisola azul e branca até à temporada de 1940/41.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 7 de Dezembro de 1930 no Campo da Constituição quando os portistas receberam e venceram o C.D. Candal por 6-2, numa partida a contar para a 4ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1930/31.
Logo na sua segunda época pelos Dragões, Lopes Carneiro conquistou o Campeonato de Portugal. Na final o F.C. Porto defrontou o C.F. Belenenses, depois de no primeiro encontro ter-se registado um empate 4-4 os portistas venceram a finalíssima por 2-1.
Em 1934/35 foi a vitória no Campeonato da 1ª Divisão, que se realizava pela primeira vez.
Nova conquista do Campeonato de Portugal em 1936/37, desta vez sobre o Sporting C.P. na final disputada em Coimbra. Lopes Carneiro foi o autor do primeiro golo da partida e ficou imortalizado numa foto onde beija a bola com um policia a festejar o golo.
Na temporada de 1938/39, Lopes Carneiro voltou a conquistar o Campeonato Nacional, titulo que viria a repetir na temporada seguinte.
Conquistou ainda o Campeonato do Porto por nove vezes.
Pelo meio viveu grandes momentos e grandes vitórias. Como o triunfo por 8-0 sobre o S.L. Benfica na primeira-mão dos quartos de final do Campeonato de Portugal de 1933 e onde apontou o 4º golo da partida.
Ou os 10-1 aplicados ao Sporting C.P. no campeonato de 1935/36, com Lopes Carneiro a marcar mais um golo.
Foram assim onze anos marcados 15 Titulos conquistados, 175 partidas oficiais e 69 golos apontados.

Palmarés
3 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão
2 Campeonatos de Portugal
10 Campeonatos do Porto


Magalhães
Médio português que representou o FC Porto em 1938/39


Norman Hall




Pedro Themudo


Pedro Themudo nasceu no dia nasceu no dia 21 de outubro de 1907.
Filho de um tenente-coronel da Cavalaria (Afonso da Silveira Brandão Freire Themudo), Pedro Themudo também seguiu a carreira militar onde chegou a oficial do exército.
A sua carreira de futebolista, ao serviço do Futebol Clube do Porto, durou dez temporadas, entre 1924/25 até 1933/34.
A estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 4 de Janeiro de 1925, numa partida a contar para a 4ª jornada do Campeonato do Porto onde os portistas defrontaram e venceram o Sport Progresso por 3-2.
Pedro Themudo conquistou os Campeonatos de Portugal de 1924/25 e 1931/32 e também dez Campeonatos do Porto.
Themudo que era um defesa esquerdo, representou ainda a Selecção Nacional. Foi apenas numa partida, contra a Itália num jogo particular no dia 1 de Dezembro de 1929 em Milão, tendo os italianos vencido por 6-1.

Palmarés
2 Campeonatos de Portugal
10 Campeonatos do Porto


Pereira da Silva


Joaquim Pereira da Silva nasceu no dia 6 de Junho de 1918 em Oliveira de Azeméis.
Após uma passagem pelos juniores do Futebol Clube do Porto, ascendeu ao plantel principal dos Dragões na temporada de 1939/40.
A estreia com a camisola azul e branca teve lugar em Matosinhos, no Campo de Santana, onde os Dragões empatarm 1-1 com o Leixões S.C. numa partida a contar para 4ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1939/40.
Representou os portistas em duas épocas (1939/40 e 1940/41). Logo no primeiro ano ajudou a conquistar o Campeonato Nacional, onde foi um dos jogadores mais utilizados pelo treinador Mihaly Siska.
Na segunda época conquistou o Campeonato do Porto.
Jogando a defesa, lugar onde fazia parceria com Vitor Guilhar, Pereira da Silva disputou 59 partidas oficiais e conquistou 2 Títulos nas duas temporadas em que vestiu a camisola azul e branca.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato do Porto


Pinga


Artur de Sousa (Pinga), nasceu no dia 30 de Setembro de 1909 no Funchal.
Começou a sua carreira ao serviço do C. S. Marítimo e não demorou a despertar a cobiça dos dirigentes do Futebol Clube do Porto, onde chegou nos finais do ano de 1930. A sua contratação pelo clube azul e branco esteve envolta em alguma polémica, tendo mesmo os dirigentes do clube maritimista acusado o F.C. Porto de falsificação de documentos.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 8 de Novembro de 1931 no Campo da Constituição onde os portistas venceram o Boavista F.C. por 10-2, num jogo a contar para a 1ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1931/32, e onde Pinga se estreou também nos golos ao marcar o quinto tento dos portistas.
Pinga desde cedo começou a cativar os adeptos portistas já que era dono de uma técnica invejável, tinha um fantástico domínio de bola e era um jogador completo porque tanto atacava como ajudava a defender.
Formava o grande meio-campo do Futebol Clube do Porto nos anos 30 juntamente com Acácio Mesquita e Valdemar Mota, que ficaram conhecidos como: “os três diabos do meio-dia”. O nome apareceu depois de na época do natal de 1933 o F.C. Porto ter disputado 2 jogos, o primeiro contra uma Selecção de Budapeste em que os portistas venceram por 7-4. Uma semana mais tarde foi a vez de realizar novo jogo mas desta vez contra uma das equipas mais poderosas da altura, o First de Viena. O jogo foi ao meio-dia, e o F.C. Porto venceu por 3-0. Sobre isso, Pinga disse o que pensava antes da sua despedida como futebolista: “Nós os três... Aquilo é que era jogar... Que desculpem a vaidade, mas parece-me que nunca mais se arranjam três rapazes da bola tão intimamente ligados a acertar na borracha. Se até nós, às vezes, nem sabíamos como aquilo era...”.
Foi durante muitos anos considerado como o melhor jogador português de futebol, e tinha uma grande importância para a Selecção de Portugal onde se estreou no dia 30 de Novembro de 1930 para defrontar a Selecção da Espanha. Pinga vestiu por 19 vezes a camisola das Quinas e apontou 7 golos.
Em Julho de 1946 foi a festa da despedida de Pinga com a realização de um jogo contra uma Selecção que era formada por jogadores do Sporting C.P., C.F. Belenenses, Académica de Coimbra e S.L. Benfica. Quando deixou o terreno de jogo do Estádio do Lima, estava emocionado e com lágrimas nos olhos por toda aquela multidão também emocionada, lhe estar a acenar com lenços e a gritar o seu nome.
Depois da despedida, Pinga tornou-se treinador e iniciou o percurso no Tirsense onde viveu mais um momento de glória quando a sua equipa eliminou o Sporting C.P. da Taça de Portugal. Regressou ao Futebol Clube do Porto para ser treinador adjunto e mais tarde tomou conta dos mais jovens para ensinar aquilo que tão bem tinha feito enquanto futebolista.
Pinga esteve 15 anos ao serviço do F.C. Porto, disputou 331 partidas oficiais e marcou 314 golos.
Faleceu em 1963. Esta sepultado no mausoléu do Futebol Clube do Porto no cemitério de Agramonte.

Palmarés
5 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
13 Campeonatos do Porto
3 Campeonatos do Funchal


Pocas


Manuel dos Anjos (Pocas), nasceu no dia 18 de Março de 1914 em Chaves.
Ingressou no Futebol Clube do Porto no início da temporada de 1935/36 e vestiu a camisola dos Dragões durante mais de dez anos.
A sua estreia aconteceu no dia 3 de Novembro de 1935 no Estádio do Lima onde o F.C. Porto recebeu e venceu o S.C. Salgueiros por 5-0, numa partida a contar para a 4ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1935/36.
A primeira época ao serviço do F.C. Porto ficou desde logo marcada pela vitória sobre o Real Betis de Sevilha, campeão espanhol em título, por 4-2 com os golos portistas a serem apontados por António Santos, Pinga (2) e Carlos Nunes.
Na temporada seguinte, Pocas conquistou o Campeonato de Portugal depois da vitória sobre o Sporting C.P. por 3-2 no Campo do Arnado, em Coimbra.
Em 1938/39 venceu o novo Campeonato da 1ª Divisão, título que voltou a conquistar na temporada seguinte.
Venceu o Campeonato do Porto por nove vezes.
Outras vitórias que ficaram para a história enquanto fazia parte do plantel portista aconteceram em Março de 1936 quando o Sporting C.P. saiu do Campo do Ameal com uma derrota por 10-1. Já em Maio de 1939 os portistas viajaram até a Galiza e venceram o R.C. Celta de Vigo por 5-1.
Outro facto marcante na sua carreira, aconteceu no dia 31 de Janeiro de 1943. Na partida da 4ª jornada do Campeonato Nacional o F.C. Porto recebeu o S.C. Olhanense no Campo da Constituição, Pocas substituiu o seu colega da equipa Valongo na baliza dos Dragões, depois do guarda-redes portista ter perdido os sentidos num choque com o atacante algarvio logo aos dois minutos de jogo. O resultado da partida foi 3-2 favorável ao F.C. Porto, que jogou 88 minutos com 10 elementos e um guarda-redes improvisado.
Foram 12 anos dedicados ao F.C. Porto com 290 partidas oficiais realizadas e 13 Títulos conquistados.
Pocas representou também a Selecção Nacional, foi suplente utilizado, numa partida contra a Espanha no dia 16 de Março de 1941.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
10 Campeonatos do Porto


Raul Castro



Raul Augusto de Castro nasceu no dia 20 de Maio de 1908.
Foi no Futebol Clube do Porto que começou a jogar futebol de primeira categoria.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 26 de Outubro de 1930 no Campo do Ameal, onde os portistas receberam e venceram o S.C. Salgueiros por 3-2, num jogo a contar para a 1ª jornada do Campeonato do Porto de 1930/31.
No que diz respeito aos golos, a primeira vez que marcou foi na 3ª jornada desse mesmo campeonato, na recepção ao Leixões S.C. que perdeu por 6-0 no Estádio do Lima. Raul Castro apontou o segundo e sexto golo dos azuis e brancos.
Raul Castro, que era sobrinho de Francisco Castro, esteve ao serviço do F.C. Porto durante 7 temporadas, onde disputou 81 jogos oficiais, marcou 22 golos e conquistou 9 títulos.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
2 Campeonatos de Portugal
6 Campeonatos do Porto


Reboredo



Francisco Reboredo Mosquera nasceu no dia 14 de Setembro de 1914 em Buenos Aires, Argentina.
Chegou a Portugal em Março de 1937 para ingressar no Futebol Clube do Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 7 de Março de 1937 no Campo do Ameal onde os portistas receberam e venceram o S.L. Benfica por 2-1, numa partida a contar para a 7ª jornada do Campeonato da I Liga de 1936/37.
Ainda nessa temporada ajudou a conquistar o Campeonato de Portugal ao vencer na final o Sporting C.P. por 3-2, um jogo disputado em Coimbra no Campo do Arnado no dia 4 de Julho de 1937.
Na temporada de 1938/39 os Dragões foram os vencedores do primeiro Campeonato Nacional da 1ª Divisão, com Reboredo a ser uma das figuras da equipa orientada por Siska.
Com a camisola dos Dragões ainda venceu três Campeonatos do Porto.
Ao serviço do F.C. Porto, Reboredo jogou durante 3 épocas, tendo conquistado 5 Títulos, disputou 58 partidas oficiais e marcou 46 golos.
Em 1939/40 mudou-se para Espanha para ingressar no R.C. Deportivo da Coruña, clube que representou durante cinco temporadas até terminar a carreira de futebolista em 1948.
Seguiu mais tarde a carreira de treinador e voltou ao F.C. Porto onde foi durante vários anos o responsável pelos juvenis. Assumiu o comando técnico da equipa principal portista em 1949/50 nos últimos quatro jogos da época. Em 1959/60 orientou os Dragões nas duas partidas do campeonato. Na temporada seguinte foi de novo chamada pela direcção portista para treinar a equipa a partir de Março. Em 1961/62 mais uma vez foi o treinador do F.C. Porto de Janeiro até ao final da temporada.
Na época de 1963/64 foi treinar o V. Setúbal para depois rumar a Alvalade onde fez parte da equipa técnica que levou o Sporting C.P. à vitória na Taça dos Clubes Vencedores das Taças.

Palmarés
1 Campeonato Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
3 Campeonatos do Porto


Rosado


Manuel Pereira da Silva (conhecido como Rosado), foi um guarda-redes que representou o Futebol Clube do Porto entre os anos de 1937 e 1940.
Foi na temporada de 1937/38 que ingressou nos Dragões.
A sua estreia na defesa da baliza dos azuis e brancos aconteceu em Matosinhos, no Campo de Santana no dia 22 de Maio de 1938, onde os portistas visitaram e venceram o Leixões S.C. por 8-1, num jogo que contou para a 2ª mão da 1ª eliminatória do Campeonato de Portugal de 1937/38.
Na época seguinte Rosado disputou seis jogos oficiais, contra os 24 do outro guardião portista, Soares dos Reis. Ainda assim conquistou o Campeonato Nacional e venceu o Campeonato do Porto.
Em 1939/40 praticamente dividiu a titularidade na baliza com Soares dos Reis (9 jogos) e Bela Andrasik (15 jogos), Rosado ficou-se pelas 11 partidas disputadas o que lhe possibilitou voltar a sagrar-se Campeão Nacional.
Rosado deixou o F.C. Porto no final da temporada de 1939/40. Nas três épocas em que esteve ao serviço dos Dragões disputou 18 jogos oficiais e conquistou 4 Títulos.
Logo de seguida ingressou no S.C. Campomaiorense e em 1942/43 regressou à cidade do Porto mas para vestir a camisola do S.C. Salgueiros, onde jogou durante seis temporadas, tendo terminado a sua carreira de futebolista no final da época de 1947/48.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato do Porto


Sacadura


Fernando Vitor de Sousa Sacadura nasceu no dia 11 de Novembro de 1916 em Sá da Bandeira, Angola.
Ingressou no Futebol Clube do Porto no início da temporada de 1936/37.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 22 de Novembro de 1936 no Campo do Bessa, onde os portistas venceram o Leça F.C. por 5-1, numa partida a contar para a 7ª jornada do Campeonato do Porto da temporada de 1936/37.
Sacadura integrou o plantel do F.C. Porto quando os portistas eram treinados pelo austríaco François Gutkas e começou por vencer o Campeonato de Portugal de 1936/37, assim como o Campeonato do Porto.
Em 1937/38 voltou a vencer o Campeonato do Porto.
Na temporada de 1938/39 sagrou-se Campeão Nacional e repetiu a conquista do Campeonato do Porto.
Em 1939/40 voltou a ganhar o Campeonato Nacional.
Em 1940/41 e 1942/43 repetiu a conquista do Campeonato do Porto.
Sacadura viveu também vitórias importantes. Em Maio de 1939 os portistas foram a Vigo vencer a formação do R.C. Celta de Vigo por 5-1. Apenas dois meses mais tarde, o F.C. Porto recebeu a visita do Deportivo Alavés que saiu do Campo da Constituição com uma pesada derrota de 5-2.
No final da época de 1942/43, Sacadura deixa os portistas.
Foram sete temporadas que valeram oito títulos e onde disputou 83 partidas oficiais.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
5 Campeonatos do Porto


Sárria


Guilhermino de Melo Sárria nasceu em Viana do Castelo no ano de 1914.
Ingressou no Futebol Clube do Porto no início da temporada de 1939/40 para fazer parte do plantel comandado por Mihaly Siska.
A estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 12 de Novembro de 1939 no Campo da Constituição, numa partida a contar para o Campeonato do Porto, quando os portistas receberam e venceram o Académico F.C. por 1-0 com o golo a ser apontado por Sárria.
No final dessa mesma época sagrou-se Campeão Nacional, foi assim um dos muitos jogadores que ficaram na história do F.C. Porto pela vitória no terceiro Campeonato Nacional conquistado. Sárria, que jogava a defesa ainda contribuiu com um golo para o triunfo do Título Nacional, foi no jogo da 4ª jornada quando a Académica de Coimbra recebeu e foi derrotada pelos portistas por 2-0, Sárria foi o autor do segundo golo.
Sárria que vestiu a camisola azul e branca durante seis temporadas conquistou ainda por quatro vezes o Campeonato do Porto (1940/41, 1942/43, 1943/44 e 1944/45).
No final da temporada de 1944/45 deixou o F.C. Porto.
Nas seis épocas em que esteve nos Dragões, disputou 69 partidas e apontou 2 golos.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
4 Campeonatos do Porto


Siska




Soares dos Reis



Manuel Soares dos Reis nasceu no dia 11 de Março de 1910 em Penafiel.
Começou a jogar futebol no pequeno clube da sua terra, o Egas Moniz F.C., mais tarde, entre os anos de 1926 e 1927 passou a defender a baliza do Sport Club Penafiel, isto até mudar de ares e passar a vestir a camisola do Leça F.C. ainda no mesmo ano de 1927. Na temporada de 1931/32 e por força de ser obrigado a cumprir o serviço militar obrigatório em Lisboa, aceitou jogar no C.F. Belenenses, clube onde conquistou o Campeonato de Lisboa. Na época de seguinte e já regressado ao Norte de Portugal, Soares dos Reis foi contratado pelo Boavista F.C.
No inicio da temporada de 1933/34 foi contratado pelo Futebol Clube do Porto.
A estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 12 de Novembro de 1933 no Campo do Bessa onde os portistas e o Leça F.C. empataram 1-1, numa partida a contar para a 1ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1933/34.
Foi o primeiro guarda-redes internacional do Futebol Clube do Porto.
Dono da baliza dos Dragões durante sete temporadas, desde 1933/34 a 1939/40.
Venceu por seis vezes o Campeonato do Porto e fez parte do plantel portista que venceu o primeiro Campeonato da I Liga em 1934/35 e foi ainda Campeão de Portugal em 1936/37 e Campeão Nacional em 1938/39.
Em 1986, quando já contava com 76 anos, contou: “A maior parte dos jogadores não aparecia aos treinos. Uns porque trabalhavam, outros porque se alimentavam mal e não podiam esbanjar as energias que guardavam para os jogos oficiais”.
“Para mim era terrível jogar fora de casa. O publico estava junto de nós e tratava-nos do piorio. Tínhamos de jogar em duas frentes, defendendo os remates dos avançados e os do público. E os destes eram, muitas vezes, bem mais dolorosos”.
“O lugar de guarda-redes foi sempre ingrato. Depois dele, só há a baliza, o golo. Uma coisa posso dizer: não havia «frangos» nem «chapéus». O guarda-redes saia mais da baliza do que sai hoje. Eu era decidido: ou ia ou não ia”.
Foi ainda o primeiro guarda-redes português a defender um penalti em jogos oficiais de provas nacionais, quando no dia 20 de Janeiro de 1935 parou o remate do seu antigo companheiro Bernardo que alinhava no C.F. Belenenses e assim foi preponderante para o jogo que terminou com um empate 1-1 entre os portistas e os azuis de Belém.
Soares dos Reis nas sete épocas em que esteve ao serviço do F.C. Porto conquistou 10 Títulos e disputou 128 jogos oficiais.
Depois de deixar o futebol ainda continuou ligado ao F.C. Porto nos Corpos Directivos.
Faleceu no dia 15 de Abril de 1990 e encontra-se sepultado no Mausoléu do F.C. Porto no cemitério de Agramonte

Palmarés
3 Campeonatos Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
6 Campeonatos do Porto
1 Campeonato de Lisboa



Sousa

Avançado que jogou no FC Porto na época de 1930/31, 1931/32 e 1932/33.


Szabo



Joseph Szabo nasceu no dia 11 de Maio de 1896 em Gonyo na Hungria.
Começou a jogar futebol com 14 anos no clube da sua terra o Gyor. Aos 20 anos mudou-se para o Ferencvaros T.C. até que no ano de 1926 foi emprestado ao Szonbately. A Equipa hungara viajou até Portugal tendo feito escala na ilha da Madeira. O C.D. Nacional fez-lhe uma proposta para se transferir para o clube madeirense, Szabo aceitou a proposta e fez uma época no C.D. Nacional para depois se mudar para o Marítimo S.C. onde esteve outra temporada.
Integrou a Selecção da Madeira que venceu a sua congénere do Porto por 5-1 e foi um dos melhores jogadores em campo.
Em 1928/29 o Futebol Clube do Porto contratou-o para treinador.
Esteve ao serviço dos Dragões durante sete temporadas e meia. Nas épocas de 1930/31, 1931/32 e 1932/33 acumulou a função de treinador com a de jogador.
A sua estreia como treinador aconteceu no dia 18 de Novembro de 1928 no Estádio do Lima onde os portistas defrontaram o Leixões S.C. na 1ª jornada do Campeonato do Porto de 1928/29, uma partida que os matosinhenses venceram mas que não impediu de o F.C. Porto se sagrar Campeão Regional.
Como jogador Szabo teve a sua estreia no dia 8 de Fevereiro de 1931 no Campo da Constituição onde os portistas jogaram como visitante perante o S.C. Salgueiros, um jogo que os salgueiristas ganharam por 3-0, mas ainda assim foi o F.C. Porto a vencer o Campeonato Regional.
Ao serviço dos Dragões Szabo venceu um Campeonato de Portugal, um Campeonato Nacional e oito Campeonatos do Porto.
Em Fevereiro de 1936 e já depois de levar os portistas a mais uma conquista do Campeonato do Porto de 1935/36, deixou o F.C. Porto.
Além dos títulos que venceu, também comandou os Dragões em várias vitórias em jogos particulares históricos. Em Janeiro de 1930 o F.C. Porto recebeu e venceu o R.C. Celta de Vigo por 6-2 no Campo da Constituição. Também em Janeiro mas de 1931 foi a vez do R.C. Deportivo da Coruña deixar o Campo da Constituição vergado por uma goleada de 6-0. Em Julho do mesmo ano de 1931 os Dragões receberam e venceram por 2-1 o C.R. Vasco da Gama, o que foi a primeira vitória de um clube portugues sobre uma equipa brasileira. Em Maio de 1933 o S.L. Benfica regressou a Lisboa depois de ter encaixado 8 golos sem resposta, num jogo que contou para os quartos-de-final do Campeonato de Portugal de 1932/33. No ano seguinte os austríacos do First Viena F.C. viajaram até portugal para realizar alguns jogos tendo vencido todos os que disputaram em Lisboa contra o S.L. Benfica, Sporting C.P. e C.F. Belenenses, depois defrontaram o F.C. Porto no Campo do Ameal e foram derrotados por 3-0. Ainda nesse ano de 1931, outra equipa espanhola caiu aos pés dos portistas, o Atlético de Madrid perdeu por 4-1.
Joseph Szabo acabou por rumar ao S.C. Braga tendo passado depois pelo Sporting C.P. clube pelo qual venceu a Taça de Portugal por três vezes, o Campeonato de Portugal por uma vez e o Campeonato Nacional por três vezes.
Regressou ao Futebol Clube do Porto em 1945/46 tendo conquistado por mais duas vezes o Campeonato do Porto. Saiu no final da época de 1946/47.
Seguiu-se o S.C. Olhanense, Portimonense S.C., Oriental, S.C. Braga, Atlético C.P., Sporting C.P., Caldas S.C., Leixões S.C., S.C. União Torreense, F.C. Barreirense, até que em 1965/66 terminou a sua carreira de treinador quando era técnico da Selecção de Angola.
Já naturalizado português desde 1955, ficou para sempre uma das suas frases: “no futebol o sucesso faz-se com 10 por cento de génio e 90 por cento de transpiração”.
Joseph Szabo é ainda actualmente o treinador portista com o maior numero de títulos conquistados.
Faleceu no dia 17 de Março de 1973.

Palmarés como jogador
1 Campeonato de Portugal
3 Campeonatos do Porto

Palmarés como treinador
4 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
2 Campeonato de Portugal
3 Taças de Portugal
10 Campeonatos do Porto


Vianinha


Marins Alves de Araújo Viana (Vianinha), nasceu no dia 10 de Maio de 1909 no Rio de Janeiro, Brasil.
Foi o primeiro jogador brasileiro a ser contratado pelo Futebol Clube do Porto em 1936/37, que o resgatou ao Sporting C.P. a troco de 7 contos pela sua carta de desobrigação, recebendo 14 contos de "luvas" e um ordenado de 1500 escudos.
Chegou a Portugal em 1935/36 para ingressar nos leões de Alvalade onde conquistou o Campeonato de Portugal. Nessa temporada e num jogo a contar para o campeonato, disputado no Campo do Amial, contra o F.C. Porto, viu a sua equipa ser completamente esmagada por uns incríveis 10 golos dos portistas contra apenas 1 dos leões.
Na temporada seguinte, Vianinha ingressou no F.C. Porto.
A sua estreia com a camisola dos Dragões aconteceu no dia 14 de Março de 1937 no Campo do Ameal onde os portistas venceram o Carcavelinhos F.C. por 4-2, num jogo a contar para a 8ª jornada do Campeonato da I Liga da época de 1936/37.
Ainda nessa temporada de 1936/37, Vianinha repetiu a vitória no Campeonato de Portugal depois de derrotar a sua anterior equipa por 3-2 em Coimbra no Campo do Arnado.
Conquistou ainda o Campeonato do Porto por duas vezes.
Vianinha foi assim o primeiro jogador brasileiro contratado pelos Dragões mas já antes, Ambrósio Gama, também brasileiro e residente em Portugal, representou o F.C. Porto em quatro partidas oficiais.
Nas duas temporadas que Vianinha representou o F.C. Porto conquistou 3 Títulos e disputou 41 partidas oficiais.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
2 Campeonatos do Porto


Vitor Guilhar


Vitor Augusto da Veiga Guilhar nasceu no dia 12 de outubro de 1913 em São Tomé e Príncipe.
Depois de uma passagem pelo Boavista F.C. ingressou no F.C. Porto na temporada de 1936/37.
A estreia com a camisola azul e branca aconteceu no dia 31 de Janeiro de 1937 no Campo do Ameal onde os Dragões empataram a dois com o Sporting C.P., numa partida a contar para a 3ª jornada do Campeonato do Porto da época de 1936/37.
Guilhar esteve ao serviço dos Dragões durante doze temporadas tendo vencido um Campeonato de Portugal, dois Campeonatos Nacionais, nove Campeonatos do Porto e uma Taça Associação de Futebol do Porto.
Defesa de elevada estatura, participou em 264 partidas oficiais e apontou 11 golos, nos 12 Títulos conquistados.
Guilhar vestiu ainda a camisola da Seleção Nacional em duas partidas, ambas contra a Seleção da Espanha no ano de 1941.

Palmarés
2 Campeonatos Nacionais 1ª Divisão (Portugal)
1 Campeonato de Portugal
9 Campeonatos do Porto


Vitorino



Vitorino foi um futebolista que passou pelo Futebol Clube do Porto entre o final da década de trinta e início de quarenta do século passado.
Foi no dia 1 de Dezembro de 1937 que vestiu pela primeira vez a camisola dos Dragões, quando no Campo do Bessa o F.C. Porto visitou e venceu o Boavista F.C. Por 7-1, numa partida que valeu para a 6ª jornada do Campeonato Regional do Porto da temporada de 1937/38.
Nessa época, Vitorino ajudou o F.C. Porto a conquistar o 20º título de Campeão Regional do Porto consecutivo, com os portistas a vencerem os dez jogos que faziam parte do campeonato e com um saldo de 62 golos marcados e apenas 5 sofridos.
Na temporada de 1938/39, Vitorino não disputou nenhum jogo, voltou na temporada seguinte mas realizou apenas dois jogos oficiais que contaram para o Campeonato do Porto, um campeonato que os portistas não venceram. Venceram sim o Campeonato Nacional, no entanto Vitorino não participou na campanha triunfal.
Vitorino esteve ao serviço do F.C. Porto durante duas temporadas. Disputou 7 jogos oficiais e conquistou 1 título. Foi o bastante para deixar o seu nome gravado no livro dos Campeões da história do F.C. Porto.

Palmarés
1 Campeonato do Porto


Zeca



José Dias Ferreira, conhecido por Zeca, foi um futebolista que passou pelo Futebol Clube do Porto no final da década de 30 e década de 40.
Ingressou nos Dragões na temporada de 1939/40.
A sua estreia com a camisola do F.C. Porto aconteceu no dia 22 de Outubro de 1939 no Campo da Constituição quando os portistas receberam e venceram o Leça F.C. por 3-1, num jogo a contar para a 3ª jornada do Campeonato do Porto da temporada de 1939/40.
Nessa época de 1939/40 o F.C. Porto sagrou-se Campeão Nacional, no entanto Zeca não alinhou em nenhuma partida do campeonato e assim não teve o seu nome entre os campeões.
Zeca representou o F.C. Porto durante sete temporadas, pelo meio esteve ao serviço do Boavista F.C. na época de 1944/45. Com a camisola azul e branca, Zeca conquistou por 5 vezes o Campeonato do Porto, tendo disputado 38 jogos e marcado 1 golo.
O seu único golo que apontou quanto futebolista do F.C. Porto foi no jogo da 11ª jornada do Campeonato Nacional de 1946/47 na recepção ao F.C. Famalicão, a partida terminou empatada 3-3 e Zeca marcou o terceiro golo dos portistas aos 51 minutos de jogo, fazendo na altura o resultado de 3-1.
Ainda durante essa época de 1946/47 regressou ao Boavista F.C. onde jogou durante mais algum tempo.

Palmarés
5 Campeonatos do Porto


Zeferino Duarte




Zeferino Duarte, futebolista que jogava a médio e que representou o Futebol Clube do Porto na década de 30 de século passado.
A estreia pelos Dragões teve lugar no Campo do Ameal onde o F.C. Porto recebeu e venceu o Sport Progresso por 8-0, no dia 30 de Outubro de 1932, numa partida a contar para o Campeonato do Porto de 1932/33.
Zeferino Duarte representou os portistas por três temporadas, tendo disputado 13 partidas oficiais e apontado 1 golo que foi no jogo da 8ª jornada do Campeonato do Porto de 1933/34, quando os Dragões foram ao Estádio do Lima derrotar o C.D. Candal por 7-1.
Ajudou a conquistar o Campeonato do Porto por três vezes e venceu o Campeonato Nacional na época de 1934/35, o que foi o primeiro campeonato a nível nacional realizado em Portugal.
Mas para além dos títulos conquistados, Zeferino Duarte viveu ainda grandes momentos com a camisola azul e branca, como aconteceu no dia 28 de Maio de 1933 quando foi um dos titulares da equipa que derrotou o S.L. Benfica por 8-0 no jogo da 1ª mão dos Quartos-de-final do Campeonato de Portugal de 1932/33.
Zeferino Duarte marcou presença ainda em várias partidas de carácter particular contra clubes estrangeiros. Em Julho de 1933 esteve na vitória sobre o R.C. Deportivo Coruña por 3-2 no Campo do Ameal, já em Janeiro de 1934 viu o First Viena a sair derrotado por 3-0 do Campo do Ameal depois de os austríacos terem vencido o C.F. Belenenses, Sporting C.P. e o S.L. Benfica, ainda em Janeiro de 1934 esteve presente no triunfo contra o Club Atlético de Madrid por 4-1 e para finalizar o ano de 1934 da melhor maneira, foi a vez dos húngaros do Upjest deixarem o Estádio do Lima com uma derrota por 2-1.
No final da temporada de 1934/35 deixou o F.C. Porto.

Palmarés
1 Campeonato Nacional 1ª Divisão (Portugal)
3 Campeonatos do Porto


Waldemar Mota


Waldemar Mota da Fonseca nasceu no dia 18 de Março de 1906.
Foi médio/extremo direito de elevada qualidade que representou o Futebol Clube do Porto nas décadas de 20 e 30.
Foi o primeiro atleta do F.C. Porto a participar nos Jogos Olímpicos, nomeadamente os Jogo Olímpicos de Amesterdão de 1928, em representação de Portugal e marcou o primeiro golo da Selecção Nacional contra o Chile nessa competição.
Vestiu a camisola da Selecção Nacional por 21 vezes e em uma dessas vezes marcou 3 golos contra a Selecção de Itália, um jogo que Portugal venceu por 4-1.
No Futebol Clube do Porto desde os iniciados, Waldemar Mota já como sénior, fez parte da equipa treinada por Joseph Szabo que durante as épocas de: 1927/28 e 1937/38, venceu um Campeonato Nacional, dois Campeonato de Portugal e onze Campeonatos do Porto.
Formou juntamente com Pinga e Acácio Mesquita o célebre meio-campo da equipa portista que ficou apelidado de “os três diabos do meio-dia” depois do F.C. Porto ter vencido em alturas do natal de 1933 o First de Viena e uma Selecção da Budapeste, jogos que foram realizados por volta do meio-dia.
Depois de abandonar o futebol, Waldemar Mota ficou ligado ao comércio. Possuía uma mercearia fina que tinha clientela seleccionada, o estabelecimento ficava próxima da entrada do Mercado do Bolhão e era frequentada pela burguesia da cidade do Porto.
Faleceu em Abril de 1966. Encontra-se sepultado no cemitério do Bonfim no Porto.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
2 Campeonato Nacional da 1ª Divisão (Portugal)
11 Campeonatos do Porto
 
Última edição:

jorgcastro

Bancada lateral
19 Agosto 2016
523
490
Jogadores do FC Porto - Década de 1930


Ângelo Silva


Ângelo Pinto da Silva nasceu no dia 5 de Maio de 1919 em Belém no estado de Pará no Brasil.
Jogando a avançado, ingressou no Futebol Clube do Porto no início da época de 1936/37.
Estreou-se com a camisola azul e branca no dia 11 de Outubro de 1936 no jogo da 1ª jornada do Campeonato do Porto em que os Dragões receberam no Campo da Constituição o Boavista F.C., com Ângelo Silva a marcar um dos dois golos da vitória por 2-1.
Ao serviço do F.C. Porto esteve duas temporadas em que participou em 20 jogos, tendo apontado 31 golos.
Apesar de fazer parte do plantel portista que venceu o Campeonato de Portugal da época de 1936/37, não foi utilizado em nenhum dos jogos dessa competição. Mas teve participação activa nas conquistas dos Campeonatos do Porto de 1936/37 e 1937/38.
Ângelo Silva deixou o F.C. Porto no final da temporada de 1937/38.

Palmarés
2 Campeonatos do Porto
Creio que este rapaz faleceu ainda na década de 30, depois de deixar o FCP para jogar numa equipa do sul!



Ernesto Santos


Ernesto Santos foi um defesa que jogou no Futebol Clube do Porto nas temporadas de 1935/36 e 1936/37.
A estreia ao serviço dos portistas aconteceu no dia 31 de Maio de 1936, quando o F.C. Porto recebeu e venceu o S.C. Braga por 11-0 numa partida a contar para a 2ª mão da 1ª eliminatória do Campeonato de Portugal da época de 1935/36.
Sagrou-se Campeão de Portugal na época de 1936/37, depois dos Dragões vencerem na final, disputada em Coimbra no Campo do Arnado no dia 4 de Julho de 1937, o Sporting C.P. por 3-2.
Conquistou ainda o Campeonato do Porto nas duas épocas em que vestiu a camisola dos Dragões.
Para além do título de Campeão de Portugal, Ernesto Santos viveu grandes vitórias com a camisola azul e branca do F.C. Porto. Tal como aconteceu no dia 15 de Dezembro de 1935, quando os portistas defrontaram e venceram por 10-0 o Leixões S.C. numa partida a contar para o Campeonato do Porto. Outro resultado de destaque foi no dia 22 de Março de 1936 em que o Sporting C.P. foi copiosamente derrotado por 10-1 no campo do Ameal.

Palmarés
1 Campeonato de Portugal
2 Campeonatos do Porto
Uma das histórias mais curiosas pós-FCP.
Ernesto dos Santos tornou-se treinador na década de 40, no Brasil e esteve ligado à formação na carreira de treinador, no Brasil.
Nunca foi um treinador de sucesso, mas foi o observador da seleção de 1958, tendo mesmo passado o ano anterior ao mundial, na Europa, a observar as seleções Europeias.
Acabou professor catedrático da Universidade do Rio de Janeiro e figura muito respeitada na vertente académica do treino.
 
  • Like
Reações: paul93