José Maria

joaoalvercafcp

Tribuna Presidencial
13 Março 2012
21,523
0
JOSÉ MARIA RECORDOU “DOBRADINHA” HISTÓRICA DE 1956

Antigo avançado esteve no Museu e lembrou o primeiro golo europeu do FC Porto, que o próprio marcou

José Maria ficará para sempre na história do FC Porto por ter sido o autor do primeiro golo europeu do clube, a 20 de Setembro de 1956, frente ao Athletic Bilbau, mas a sua época de maior sucesso desportivo foi mesmo a anterior, 1955/56. O avançado alinhou em 13 jogos e apontou seis golos na temporada da primeira dobradinha (Campeonato Nacional e a Taça de Portugal) do clube, conseguida sob a orientação técnica do brasileiro Dorival Yustrich. Uma réplica em escala reduzida de um barco rabelo, que homenageia o feito, é o Objeto do Mês de fevereiro, que está em exposição no hall do Museu, e que a antiga glória visitou esta quinta-feira.

"Foi um grande feito, sem dúvida. Não era qualquer equipa que ia à Taça dos Campeões. Para isso era preciso ganhar o Campeonato Nacional e foi isso que fizemos, além de ganharmos a Taça", afirmou José Maria, de 86 anos, ao Porto Canal. Ao longo de oito épocas (1949/50 a 1956/57) com a camisola azul e branca, participou em 184 jogos e marcou 82 golos e, mesmo tendo representado depois Benfica e SC Braga, nunca perdeu a paixão pelo FC Porto, com que contagiou depois a família. "Tenho Lugar anual, ao lado do meu filho, da minha nora e da minha neta. A minha neta tem 28 anos e é sócia há 28. Passado dois ou três dias de ter nascido, arranjei uma foto dela, meti-me no carro e vim às Antas. Disse que queria meter aquela senhora de sócia, mas a funcionária disse que não era senhora, era infantil", recordou, com um sorriso.

Quanto ao jogo frente ao Borussia Dortmund, da segunda mão dos 16 avos de final da Liga Europa, José Maria mostrou-se otimista. "Não será fácil dar a volta, mas pode suceder. Se marcarmos um golo nos primeiros 20 ou 25 minutos pode haver uma reviravolta", adiantou. E bem pode este portista falar de golos europeus e de números, já que continua a mostrar uma memória perfeita dos seus tempos de jogador e do próprio lance do 1-1 frente aos bascos. “Daqui a 500 anos, quando forem ver a história, vai lá estar que o primeiro golo foi meu”, orgulhou-se, em conversa com o www.fcporto.pt, em Outubro de 2014, a propósito do encontro entre os Dragões e o Athletic Bilbau, para a Liga dos Campeões 2014/15. A bola com que marcou esse golo, numa derrota por 2-1, é um dos objetos em destaque nas vitrinas da área temática Azul ao Fundo do Túnel e foi o próprio que a cedeu ao Museu.