Taça intercontinental

Jim

Bancada lateral
24 Julho 2006
644
3
´passam hoje e amanhâ, 4 e 21 anos respectivamente, sobre as gloriosas jornadas em terras do sol nascente!!
parabéns a todos os campeões de Yokohama e Tóquio. Obrigado
 

bwdragon

Tribuna
24 Março 2008
3,246
51
Lisboa
Estive agora mesmo a rever as imagens do jogo de 2004.

Essa Taça Intercontinental foi arrancada a ferros... foi sofrer do 1º ao último minuto!
Tudo corria mal: as bolas nos ferros, as defesas impossíveis, a saída do Baia, o incompetente do árbitro, os otários dos japoneses a torcer pelos Colombianos, etc.
Mas o que interessa é que ganhamos, com aquele penaltie marcado cheio de convicção pelo grande P.Emanuel!!!

Fiquei um pouco nostálgico ao ver J. Costa, V. Baia, Maniche, Costinha, Quaresma, Fabiano, Diego, Carlos Alberto, Derlei, McCharty... e ainda havia Bosingwa, Pepe, R. Costa, Seitaridis, etc.
Que grande plantel nós tinhamos, mas infelizmente os resultados não estiveram ao nível da qualidade e potencial desta equipa!
 
F

fcporto87

Guest
Olha que os japoneses estavam a torcer por nós, até deram entrevistas com japoneses com camisolas do FCP, quanto ao jogo, foi uma roubalheira, 2 golos do McCarthy mal anulados por fora de jogo não existente, 3 ou 4 bolas nos postes, mas no fim acabou tudo em bem...
 

Kelvin87

Tribuna Presidencial
7 Maio 2007
21,952
362
Bate coração, foi sofrer, curiosamente o melhor jogador tecnicamente deles, que veio depois em Janeiro para o mallorca foi o que falhou o penalti, ainda bem, podíamos ter goleado e depois tivemos quase a perder nos penaltis, a de tóquio foi diferente, tinha 7 anos mas lembro-me como se fosse hoje, todo o pessoal em casa, a sofrer, quando o Madjer marcou o 2-1 acordámos a rua toda, acabou o jogo foi uma alegria.
PARABÉNS E UM OBRIGADO A TODOS AQUELES QUE ESTIVERAM ENVOLVIDOS NESTAS CONQUISTAS.
 
D

Deco_10

Guest
A Taça Intercontinental de 13 de Dezembro de 1987 diz-me muito mais do que a 2004.

Aquele jogo da neve é um autentico hino à capacidade de sacrifício e sofrimento.
 
H

hast

Guest
Quando o FC Porto conquistou a Taça Intercontinental, em 1987, houve uma pessoa em particular [Dr. Domingos Gomes] que chorou, mas não foi só de alegria. Foi também pela resistência que o treinador de então, o Ivic, ofereceu aos métodos propostos para preparar a equipa para a \"profunda diferença horária\" que iria enfrentar nesse jogo. O médico chegou a falar com especialistas da aeronáutica, mas o cabeçudo do jugoslavo não se convencia com aqueles treinos de madrugada, às seis, sete da manhã. Teve uma reacção de profunda agressividade para com a equipa clínica do clube, e só o esclarecimento e a maneira de estar ímpar de Teles Roxo e do presidente impediu que as consequências não fosse piores.
 

Mustaine

Tribuna Presidencial
18 Junho 2007
12,195
67
Porto
Lembro-me muito bem da de 2004. Devia ter mais que um despertador para evitar perder aquele momento, mas quase nem dormi à espera do jogo. Sofri muito, não merecíamos ir a penaltys pois fomos muito melhores e a única equipa que quis vencer. Felizmente acabou em bem, mais uma grande alegria.
 
T

Timofte 2-3

Guest
No primeiro tinha 10 anos e sofri pela noite fora...depois fui acordar o meu pai para celebrarmos a vitória juntos :)

Neste 2º jogo, tínhamos uma equipa muito melhor que a deles, nem deram luta e depois íamos perdendo, sofri menos mas senti uma grande alegria ao ser campeão do mundo pela 2ª vez.
 

madjer87

Tribuna Presidencial
18 Julho 2006
11,817
0
51
Porto
Vi estes 2 maravilhosos momentos .Aliás, unicos em Portugal.

Eu vi,alguns viram outros fizeram de conta.....

Já fui 2 vezes Campeão do Mundo de Clubes.Sou um priviligiado.

Em Portugal...SÓ o FC Porto é Campeão Mundial...!!!
 

fcporto56

Tribuna Presidencial
26 Julho 2006
7,173
0
Sacramento
Nesse jogo houve mais um grande golpe tactico do PdC.E que o Penarol era considerado uma equipa muito mais rapida do que o FCPorto.Quando a tempestade apareceu todos os responsaveies queriam adiar o jogo para o dia seguinte.Isto e, todos os responsaveis menos um.Pinto da Costa insistiu em que o jogo deveria ser realizado e que as regras eram para serem cumpridas.
 

jsm

Tribuna
29 Abril 2007
3,318
4
a uefa era importante até o porto te-la conquistado. a intercontinental designava o clube campeão mundial até o porto a ter ganho. agora depois do triunfo do porto na liga dos campeões esta competição também passou a ser de segunda. glória ao benfica campeão do sistema solar no seculo xxx.
 

jsm

Tribuna
29 Abril 2007
3,318
4
na madrugada em que o porto foi pela primeira vez campeão do mundo, lembrei-me sobretudo das nossas glórias que subiram ao olimpo dos imortais, como o siska, o pinga, a o acacio mesquita, o valdemar da mota, o araujo, o soares dos reis o correia dias, o barrigana...
 
H

hast

Guest
Yokohama, meu amor

Efeméride. \"Aquele olhar\" de Pedro Emanuel. Faz hoje cinco anos, o F. C. Porto sagrou-se bicampeão mundial.

Yokohama, 12 de Dezembro de 2004. O F. C. Porto sagra-se pela segunda vez campeão mundial de clubes. Cinco anos depois, a efeméride recorda o suspense dos penáltis e \"aquele olhar\" de Pedro Emanuel.

Naquela tensão toda, à partida para o 18.º penálti, aquele olhar foi um ansiolítico para o Dragão. E os portistas começaram logo a festejar, porque quem fitava o destino daquela forma não podia falhar e só podia ser feliz, como foi. Pedro Emanuel abstraiu-se do mundo, fitou os olhos na baliza e chutou para a derrota do Once Caldas e para a vitória do F. C. Porto na Taça Intercontinental de 2004.

Parece que foi captado ontem, aquele grande plano das pupilas do \"capitão\" do F. C. Porto, momentos antes da confirmação do triunfo em Yokohama. Mas faz hoje rigorosamente cinco anos que o clube do Dragão se sagrou, pela segunda vez, campeão mundial de clubes, um feito de que nenhum outro clube português se pode gabar e que apenas outros dez emblemas do continente puderam festejar.

Foi a 12 de Dezembro de 2004, no último ano em que o troféu foi discutido directamente, num só jogo, entre os campeões da Europa e da América do Sul, antes do advento do Mundial de Clubes.

\"Por isso mesmo, por a Taça Intercontinental ter sido disputada nesse formato pela última vez, a nossa vitória teve ainda mais simbolismo. E ganhar como ganhámos foi ainda mais emblemático\", recorda \"A Voz [de comando]\", como lhe chamava Mourinho.

O agora treinador dos sub-17 do F. C. Porto guarda aquele momento nos arquivos DVD, mas tem ainda presentes na memória todas as incidências da partida com a equipa colombiana. \"Foi um jogo difícil, muito disputado. Nós fomos sempre melhores, mas tivemos muito azar. Enviámos bolas à trave, anularam-nos um golo, o Vítor Baía sentiu-se mal e teve de ser substituído\", relembra Pedro Emanuel.

Na acumulação de infortúnios de jogo, a taça teve de ser disputada aos penáltis. E foi então, já depois de Maniche ter falhado e de os colombianos ter desperdiçado dois tiros, que surgiu a crença de Pedro Emanuel. \"Sabíamos que o guarda-redes do Once Caldas era especialista a defender penáltis. Mas, quando chegou a minha vez, estava convicto de que ia marcar, até porque tinha de repor a verdade que o jogo não proporcionou. Depois, foi uma imensa festa, que jamais esquecerei\", recorda o ex-defesa central.

Mas Yokohama não foi mais do que a conclusão perfeita de dois anos de ouro, carregados de troféus internacionais: foi a Taça UEFA, foi a a Liga dos Campeões, foi a Taça Intercontinental. \"Foram épocas inesquecíveis, com uma equipa excepcional\", recorda Emanuel.
«JN»
 
M

MrDocteur

Guest
Cinco anos depois Derlei lembra Yokohama: «Foi o ponto máximo»
Última Taça Intercontinental da história mora no Dragão

Depois de Sevilha e Gelsenkirchen tinha chegado a altura de o F.C. Porto conquistar Yokohama, no Japão, no duelo com os colombianos do Once Caldas pela última Taça Intercontinental da história. E, depois de 120 minutos sem golos, mas com várias bolas no ferro e golos mal anulados, os «dragões de Yokohama» venceram nos penalties e levantaram o troféu pela segunda vez na sua história. Completam-se hoje cinco anos sobre a conquista e no F.C. Porto muito mudou. Da equipa que subiu ao topo do mundo já só resta Nuno.

O MaisFutebol chegou à fala com Derlei, que esteve no onze inicial do F.C. Porto nesse encontro, para lembrar a conquista que foi o «fecho de um ciclo». «Foi um jogo muito difícil. Claro que as vitórias nos penalties são sempre uma lotaria, mas eu estava confiante, fomos para o Japão com um sentimento de vitória. Pelo que tínhamos feito antes e pelo que jogamos nesse jogo acho que o título foi totalmente merecido», afirmou.

E a conquista, algumas vezes olvidada em detrimento de outras, não o é pelo avançado. «Ganhar a Intercontinental é o ponto máximo a que um clube pode chegar, até porque para se poder disputar este troféu tem que se passar pela Liga dos Campeões, que eu considero o campeonato mais competitivo do mundo», lembrou, acrescentando a diferença na forma de ver o troféu entre os dois continentes: «Na Europa não se valoriza tanto a Intercontinental, mas aqui no Brasil é vista como o título mais importante que se pode atingir num clube, afinal quem ganha é o campeão do Mundo».

O olhar de Pedro Emanuel, uma imagem para a história

De Sevilha é costume lembrar-se os golos de Derlei. De Gelsenkirchen a superioridade demonstrada pelos Dragões. Do Japão há algo que marcou quem viu: o olhar conquistador de Pedro Emanuel, no segundo antes de marcar o penalty decisivo.

«Aquele olhar que ficou para a história foi, talvez, a forma de ele extravasar tudo o que tinha passado. O Pedro veio para o F.C. Porto depois de ser campeão no Boavista e certamente que esperava ser titular. Mas depois, com a ascensão do Ricardo Carvalho e, claro, com o Jorge Costa, acabou por ficar de fora em muitos jogos. Ele estava muito concentrado, sabia que estava tudo nas mãos dele mas é um grande jogador e os grandes jogadores lidam bem com a pressão», referiu Derlei.

O avançado, para quem a final mais marcante foi a da Liga dos Campeões por ser «a prova mais importante da Europa», lembrou que a sua passagem pelo F.C. Porto foi «coroada de sucesso do primeiro ao último dia».

Esta conquista foi também a última de um clube português no panorama internacional, algo que Derlei acredita que mude em breve. «É possível ganhar algo já esta temporada. Há três equipas portuguesas com hipóteses de o conseguir. Porque não regressar já às vitórias internacionais?»

Onde andam os «dragões de Yokohama»?

Vítor Baía (Director das Relações Externas do F.C. Porto); Nuno, 103 min (F.C. Porto)
Jorge Costa (Treinador do Olhanense)
Pedro Emanuel (Treinador dos sub-17 do F.C. Porto)
Ricardo Costa (Wolfsburgo)
Seitaridis (Panathinaikos)
Costinha (Atalanta)
Maniche (Colónia)
Diego (Juventus)
Derlei (Vitória da Baía); Carlos Alberto, 69 min (Vasco da Gama)
Luís Fabiano (Sevilha); Ricardo Quaresma, 78 min (Inter de Milão)
McCarthy (Blackburn Rovers)

Não Utilizados: Bosingwa (Chelsea), Areias (sem clube), César Peixoto (Benfica) e Hélder Postiga (Sporting)


in maisfutebol.iol.pt
 

madjer87

Tribuna Presidencial
18 Julho 2006
11,817
0
51
Porto
Há 5 Anos

http://www.youtube.com/watch?v=Q8p-g7F3_MM

http://www.youtube.com/watch?v=jZgFx3cUXgY


Há 22 Anos (Não dormi e fui jogar pelo Juniores do Leixões sem dormir....)

http://www.youtube.com/watch?v=Uf7DfNMU-pI

http://www.youtube.com/watch?v=0AvSzkwkuH8

ORGULHO !UNICOS em portugal!!!!