Autor Tópico: Política nacional  (Lida 106541 vezes)

Offline Philipp

  • Tribuna Presidencial
  • *****
  • Mensagens: 23.923
  • Desde: Jan 2015
Re: Política nacional
24/Fev/19, 16:48 • #96086
“O potencial matrimonial reside, precisamente, no amparo e na necessidade de segurança. A mulher gosta de se sentir útil, de ser a retaguarda e de criar a estabilidade familiar, para que o marido possa ser profissionalmente bem sucedido. Esse sucesso é também o seu sucesso! Por norma, não se incomoda em ter menos rendimentos que o marido, até pelo contrário. Gosta, sim, que seja este a obtê-los, sendo para si um motivo de orgulho. Porquê? Porque lhe confere a sensação de protecção e de segurança. Demonstra-lhe que, apesar poder ter uma carreira mais condicionada, pelo facto de assumir o papel de esposa e mãe, a mulher conta com esse suporte e apoio do marido, para que nada falte. Por outro lado, aprecia a ideia de “ter casado bem”, como se fosse este também um ponto de honra.”

Joana Bento Rodrigues do CDS no Observador (onde havia de ser).

Cheguei a esta pérola através do Luís Aguiar Conraria a quem agradeço ter-me recordado que tudo isto existe.

PS: O Pedro Marques Lopes publicou isto.

Online sirmister

  • Tribuna Presidencial
  • *****
  • Mensagens: 39.719
  • Desde: Mar 2008
  • Membro do Mês Abril/2019
Re: Política nacional
24/Fev/19, 17:05 • #38056
Joana Bento Rodrigues do CDS no Observador (onde havia de ser).

Cheguei a esta pérola através do Luís Aguiar Conraria a quem agradeço ter-me recordado que tudo isto existe.

PS: O Pedro Marques Lopes publicou isto.

Ninguem acredita nessa desculpa, mais vale admitires que és um leitor assíduo do observador...

Online sirmister

  • Tribuna Presidencial
  • *****
  • Mensagens: 39.719
  • Desde: Mar 2008
  • Membro do Mês Abril/2019
Re: Política nacional
24/Fev/19, 17:08 • #34025
Citar
Os movimentos feministas deviam inquietar-se com questões fundamentais, em especial as relacionadas com a vida laboral e a sua conciliação com o que é a natureza da mulher e as suas reais preocupações

A mulher dita feminista – a que integra as “tribos”, a que se deslumbra com as capas de revistas, a que se diz emancipada, a que não precisa de relações estáveis, a que não quer engravidar para não deformar o corpo nem perder oportunidades profissionais, a que frequentemente foge da elegância no vestir e no estar – optou por se objectificar, pretendendo ser apenas fonte de desejo em relações casuais, rejeitando todo o seu potencial feminino, matrimonial e maternal.

São estas três últimas, as características mais belas da mulher!

O potencial feminino refere-se a tudo o que, por norma, caracteriza a mulher. Gosta de se arranjar e de se sentir bonita. Gosta de ter a casa arrumada e bem decorada. Gosta de ver ordem à sua volta. Gosta de cuidar e receber e assume, amiúde, muitas das tarefas domésticas, com toda a sua alma, porque considera ser essa, também, a sua função.

O potencial matrimonial reside, precisamente, no amparo e na necessidade de segurança. A mulher gosta de se sentir útil, de ser a retaguarda e de criar a estabilidade familiar, para que o marido possa ser profissionalmente bem sucedido. Esse sucesso é também o seu sucesso! Por norma, não se incomoda em ter menos rendimentos que o marido, até pelo contrário. Gosta, sim, que seja este a obtê-los, sendo para si um motivo de orgulho. Porquê? Porque lhe confere a sensação de protecção e de segurança. Demonstra-lhe que, apesar poder ter uma carreira mais condicionada, pelo facto de assumir o papel de esposa e mãe, a mulher conta com esse suporte e apoio do marido, para que nada falte. Por outro lado, aprecia a ideia de “ter casado bem”, como se fosse este também um ponto de honra. Naturalmente que o contrário não pode ser visto como menos meritório, em particular quando as oportunidades não são equivalentes. Assim, o casal, enquanto um só e actuando em uníssono, pode optar pela inversão destes papéis, que em nada diminuiu qualquer dos elementos, desde que movidos por objectivos comuns e focados no Amor.

O potencial da maternidade é algo biológico! A mulher é provida de um encanto, de uma ternura, que só se encontra na sua relação com os filhos. Ela é o porto de abrigo das crianças. Na maternidade, a mulher sente-se verdadeiramente realizada, pois percebe o que é o verdadeiro e incondicional Amor! Não espanta, pois, que não possa demitir-se dessa função e que a maternidade seja, por norma, um fortíssimo apelo, ainda que subconsciente. Mesmo quando não é mãe, a mulher é a “melhor tia do mundo”, a “melhor madrinha do mundo”. Nela reside a arte do cuidar e do mimar.

O feminismo, que lutou pela igualdade de direitos, pela possibilidade de a mulher poder votar, estudar e trabalhar fora de casa, deter iguais direitos laborais em relação ao homem, está longe de ser representado nos movimentos da atualidade. Pois, embora fazendo parte da natureza da mulher ser esposa e mãe, a “mulher moderna” revela também a necessidade de se completar com um papel social e de cidadania, que vê concretizado no trabalho e, se bem-sucedido, tanto melhor! Gosta de ver reconhecido o seu esforço e mérito profissionais, mas sabe também que poderá ter de fazer escolhas para cumprir com os restantes papéis.

Quantas mulheres estarão dispostas a abdicar da maternidade e de um casamento feliz, em nome de uma carreira de sucesso? Dificilmente poderão estar em pé de igualdade com o homem, que mais facilmente dedica horas extra ao trabalho, abdicando do tempo em Família, em nome da progressão laboral e, está claro, daquilo que é um apelo mais masculino, o do sucesso laboral. É isto discriminação? Não, são escolhas!

A sabedoria popular bem o diz: “Não se pode ter tudo”! Não espanta, assim, que haja menos mulheres em cargos políticos e em posições de poder. A mulher escolhe-o naturalmente, ao dedicar menos tempo que o homem às causas partidárias e ao estudo da História e da actualidade, enquanto conhecimento necessário para defender e representar uma Nação.

É certo que é mais difícil ascender profissionalmente num meio masculino, consequência inevitável desta dinâmica social, mas que na sociedade ocidental tanto se tem esbatido nas últimas décadas, em resultado do esforço de muitas mulheres que mostraram, na prática, o que conseguem fazer e alcançar, com a sua enorme inteligência social e emocional. Prova disso é a representatividade feminina no ensino superior no nosso País, na medicina e na advocacia, que já ultrapassa de forma preocupante a masculina!

Por isso, os movimentos feministas deveriam inquietar-se, sim, com questões fundamentais, particularmente as relacionadas com a vida laboral e a sua conciliação com o que é a natureza da mulher e as suas reais preocupações. Contudo, o activismo feminista actual não procura satisfazer o que as mulheres precisam, mas apenas o que pretende uma poderosíssima minoria de mulheres. Este activismo tornou-se, inclusivamente, desprestigiante para a mulher. Priva-a da possibilidade de ascensão social e profissional pelo mérito. Retira-lhe a doçura e candura. Nega-lhe o papel fundamental do matrimónio e da maternidade. Objectifica a mulher, enquanto presa para sexo fácil e espaço de diversão. Promove paradas onde se expõe o corpo de forma grosseira e agreste à visão. Claramente, não representa a “mulher comum”!

A mulher é um ser belíssimo e extraordinário, que já provou conseguir alcançar sonhos e objectivos, sem necessidade de leis movidas por comiseração. A mulher não precisa de quotas obrigatórias para poder aceder à participação na vida política.

Por tudo isso, declaro-me anti-feminista e contra a nova Lei da Paridade!


Citar
DRA. JOANA BENTO RODRIGUES
FACULDADE DE MEDICINA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA
NOTAS BIOGRÁFICAS
Joana Bento Rodrigues licenciou-se em Medicina em 2007 pela Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra (FMUC), fez o internato de Ortopedia no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra e é especialista de Ortopedia desde 2016.  No primeiro ano e meio desempenhou funções de especialista na instituição de formação, passando a fazer parte da equipa da Unidade Hospitalar de Coimbra IdealMed em Outubro de 2017, onde coordena o departamento de sinistralidade.

É pós-graduada em Avaliação do Dano Corporal pelo Instituto Nacional de Medicina Legal,  em Medicina do Desporto pela FMUC e em Investigação Cínica pela Harvard Medical School (online). Neste último, pelo seu excelente desempenho, foi convidada para monitora do curso nos dois anos seguintes. Em 2014 foi admitida no Programa de Doutoramento em Ciências da Saúde (FMUC), pretendendo dedicar os estudos na área das terapêuticas biológicas.

Participou em vários cursos, congressos, jornadas e simpósios de âmbito nacional e internacional e apresentou diversos trabalhos como autora e co-autora em Portugal e no estrangeiro.

Revela particular interesse pela patologia de Ombro e Cotovelo, o que tem motivado formações várias e um estágio num centro de referência, em 2015, junto do conceituado cirurgião Prof. Doutor Ofer Levy, na Reading Shoulder Unit, em Inglaterra.



Offline cccmonteiro

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 3.937
  • Desde: Jun 2014
    • Facebook
Re: Política nacional
24/Fev/19, 17:17 • #81070
É especialista em dor de cotovelo. É isso? Explica todo o artigo que escreveu.

Offline JMPedroto

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 3.266
  • Desde: Nov 2017
Re: Política nacional
25/Fev/19, 23:09 • #30068



não estou a postar isto como apoiante da direita... mas gosto deste vídeo porque explica bem a hipocrisia da esquerda e o atestado de burrice que o pcp e o bloco dão aos seus eleitores
« Última modificação: 25/Fev/19, 23:10 por JMPedroto »

Offline Philipp

  • Tribuna Presidencial
  • *****
  • Mensagens: 23.923
  • Desde: Jan 2015
Re: Política nacional
25/Fev/19, 23:16 • #65036



não estou a postar isto como apoiante da direita... mas gosto deste vídeo porque explica bem a hipocrisia da esquerda e o atestado de burrice que o pcp e o bloco dão aos seus eleitores

Pois, Telmo Correia. Esse fascista realmente tem muita moral para falar de hipocrisia. Um tipo que anda semanalmente na BTV a atacar o FC Porto e serve como peão do traficante de droga no parlamento.

Para quem é de esquerda é um louvor ser atacado por esse escroque.

Offline JMPedroto

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 3.266
  • Desde: Nov 2017
Re: Política nacional
25/Fev/19, 23:21 • #32098
Pois, Telmo Correia. Esse fascista realmente tem muita moral para falar de hipocrisia. Um tipo que anda semanalmente na BTV a atacar o FC Porto e serve como peão do traficante de droga no parlamento.

Para quem é de esquerda é um louvor ser atacado por esse escroque.

nem estou a defender o telmo, mas retratou bem o que é a esquerda..hipocrisa em estado puro... são muito "amigo dos trabalhadores" mas na hora da verdade votam a favor do orçamento de estado que suga mais os trabalhadores em impostos directos e indirectos e dá benefícios aos malvados capitalistas com ligações aos governantes

Offline Philipp

  • Tribuna Presidencial
  • *****
  • Mensagens: 23.923
  • Desde: Jan 2015
Re: Política nacional
25/Fev/19, 23:25 • #81062
nem estou a defender o telmo, mas retratou bem o que é a esquerda..hipocrisa em estado puro... são muito "amigo dos trabalhadores" mas na hora da verdade votam a favor do orçamento de estado que suga mais os trabalhadores em impostos directos e indirectos e dá benefícios aos malvados capitalistas com ligações aos governantes

Retratou bem? Ele esteve no governo que mais dinheiro sugou aos trabalhadores no pós-Salazarismo. Mas para ele deve ter sido um motivo de orgulho ter estado tão próximo das politicas de Salazar.

Desde a saída do Passos Coelho tem havido quase sempre crescimento em Portugal. E nas sondagens a esquerda continua destacada. Isso é que deve doer à extrema-direita.

Offline JMPedroto

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 3.266
  • Desde: Nov 2017
Re: Política nacional
26/Fev/19, 00:45 • #29012

Desde a saída do Passos Coelho tem havido quase sempre crescimento em Portugal.


Nunca esperei ver-te a elogiar o Passos Coelho desta forma, afinal tenho alguma esperança em ti

Offline David Copperfield

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 3.106
  • Desde: Mai 2008
Re: Política nacional
26/Fev/19, 00:51 • #97051
Pois, Telmo Correia. Esse fascista realmente tem muita moral para falar de hipocrisia. Um tipo que anda semanalmente na BTV a atacar o FC Porto e serve como peão do traficante de droga no parlamento.

Para quem é de esquerda é um louvor ser atacado por esse escroque.

O Telmo Correia é um escroque que por acaso está no cds...mais uma vez um dos quer que a vida dele corra...em todas as bancadas e partidos há disto. Esquerda e direita podem ser valores para nós...mas não são para a maioria dos políticos pôs 25 de Abril. Com honrosas excepções o que eles querem é tacho...
Eu prefiro os sérios e patriotas não centralistas....desde  Sá Carneiro, Cunhal, Eanes que não conheço nenhum.

Online sirmister

  • Tribuna Presidencial
  • *****
  • Mensagens: 39.719
  • Desde: Mar 2008
  • Membro do Mês Abril/2019
Re: Política nacional
26/Fev/19, 01:04 • #50039
O Telmo Correia é um escroque que por acaso está no cds...mais uma vez um dos quer que a vida dele corra...em todas as bancadas e partidos há disto. Esquerda e direita podem ser valores para nós...mas não são para a maioria dos políticos pôs 25 de Abril. Com honrosas excepções o que eles querem é tacho...
Eu prefiro os sérios e patriotas não centralistas....desde  Sá Carneiro, Cunhal, Eanes que não conheço nenhum.

O problema é esse, Portugal sendo dominado  2 partidos como o PSD e o PS parecidos na essencia ou seja ao centro, tinha tudo para dar certo, porque dava para ir alterando com uns puxões de orelhas aqui e ali,  mas a corrupção minou tudo ao longo dos anos... e depois veio o Passos Coelho destruir o PSD e deixou tudo ainda pior..

Offline JMPedroto

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 3.266
  • Desde: Nov 2017
Re: Política nacional
26/Fev/19, 01:07 • #51026
e depois veio o Passos Coelho destruir o PSD e deixou tudo ainda pior..

destruir é discutível... apenas não esteve para fazer muitos favores... o passos coelho ainda há-de voltar à política... quem está mesmo a destruir o psd é o rui rio...um autêntico camarada do costa, colegas no grupo bildeberg

Offline David Copperfield

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 3.106
  • Desde: Mai 2008
Re: Política nacional
26/Fev/19, 01:13 • #97082

Nunca esperei ver-te a elogiar o Passos Coelho desta forma, afinal tenho alguma esperança em ti


Sobre o Philip quando caminhamos por caminho que não dominamos é complicado... factos:

1- o crescimento iniciou se ainda no governo do Passos e essencialmente por via das exportações e turismo( dados os atentados no Egipto, Turquia e Tunisia)
2- Passos teve de corrigir e cortar a eito pois em especial o governo anterior mas tb os anteriores a esse levaram o país a pedir assistência internacional que nos impôs austeridade. Os défices recalculados chegaram a atingir 11% em alguns anos de Sócrates.
3- A crise do subprime americana dá o mote para a crise internacional que atinge essêncialmente as economias mais frágeis e endividadas...a dívida pública portuguesa andava e anda na casa dos 125% do PIB e a agravar-se pois os défices orçamentais eram enormes... Portugal teve de provar aos credores que se conseguia corrigir os défices e a médio prazo reduzir a dívida pública.
No caso português tivemos vários casos de falência de bancos gravíssimos que explicam muito do que estamos a pagar e iremos pagar no futuro...


4- o governo Ps consegue isso sim a proeza de conseguir transformar 2 partidos da extrema esquerda em moderados e garantir governabilidade.
( assim apesar da retórica diria que em Portugal não há nem extrema esquerda nem extrema direita na prática)
5- Apesar da velha prática socialista de redistribuir rendimentos para fomentar consumo interno( que sabemos que pelo menos em Portugal não funciona como motor continuo de crescimento do PIB), essas mesmas devoluções de rendimentos foram trocadas por aumento de impostos indirectos( que provocam muito mais desigualdades pois não incidem sobre o rendimento). Logo é factual dizermos que a austeridade mantém se...e alias enquanto não crescermos agressivamente e diminuirmos a dívida pública de forma séria o crescimento de poder de compra estará condenado Ac eternum...há que apostar no investimento privado e exportações que substituam importações...não subir os combustíveis que alimentam a economia...
6- o país continua com a dívida pública mais ou menos igual, reduziu o défice quase a zero e muito bem, o desemprego caiu, mas não esquecer que aqui manda a macroeconomia...a economia mundial e europeia está numa fase expansiva e a Euribor num mínimo histórico...foram feitas reformas estruturais? Acho que não.

Na próximo crise mundial caímos ...temo que sim mas espero que não.

Nas próximas eleições espero um governo de gente séria e competente, independente do partido e que tenha a estabilidade de fazer reformas. Não sei se existe gente assim no espectro actual.
« Última modificação: 26/Fev/19, 01:48 por David Copperfield »

Online sirmister

  • Tribuna Presidencial
  • *****
  • Mensagens: 39.719
  • Desde: Mar 2008
  • Membro do Mês Abril/2019
Re: Política nacional
26/Fev/19, 01:18 • #69049
destruir é discutível... apenas não esteve para fazer muitos favores... o passos coelho ainda há-de voltar à política... quem está mesmo a destruir o psd é o rui rio...um autêntico camarada do costa, colegas no grupo bildeberg

Voltar para quê destruir o pouco que resta?... Coelho é um dos piores políticos de sempre, o Rui Rio é fraco e não consegue liderar um partido que ficou fracturado pelo Coelho... O PSD possivelmente vai ter que dar origem a dois partidos, um que siga o seu desígnio na formação um partido social democrata,  e outro que seja mais liberal lederado pelo grupo do Coelho que ainda lá está e que domina o observador.

O PSD é uma especie de sporting.

Offline David Copperfield

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 3.106
  • Desde: Mai 2008
Re: Política nacional
26/Fev/19, 01:24 • #59031
O problema é esse, Portugal sendo dominado  2 partidos como o PSD e o PS parecidos na essencia ou seja ao centro, tinha tudo para dar certo, porque dava para ir alterando com uns puxões de orelhas aqui e ali,  mas a corrupção minou tudo ao longo dos anos... e depois veio o Passos Coelho destruir o PSD e deixou tudo ainda pior..

Caro Sir, por acaso, e correndo o risco de ser queimado na fogueira da inquisição, vou contra a corrente. Mesmo sabendo que Passos é um ultra liberal e eu não.
O Passos que Tecnicamente e em CV não tinha nada de especial...e até tem umas aldabrices com a tecnoforma...foi dos menos maus desde Sa Carneiro...não desgostei de Guterres e da primeira de Cavaco.
Digo um tipo que apanhou com a menino nas mãos e contra tudo e contra todos consegue tomar as medidas mais anti populares de sempre...
Reparem que mesmo dentro do partido todos os escroques como Marcelo, Manuela Ferreira Leite, Marques Mendes, Cavaco tudo contra ele?
Não é rico, não se dá com as elites, não pertence aos barões, nem aos oligarcas...é diferente dos outros.
Dadas as circunstâncias e sem demagogia...acho que tentou fazer o melhor.

Rui Rio é tecnicamente o melhor preparado para ser primeiro ministro, aluno brilhante da Fep em Economia, experiência no parlamento, bem conectado, experiência na câmara do Porto...mas não lhe reconheço carácter por várias razões...diz que defende a social democracia...

Não sei no final se calhar importante seria que fossem sérios e patriotas e não centralistas.

Eu vi Rui Rio a governar o Porto piscando o olho a Lisboa...
« Última modificação: 26/Fev/19, 01:27 por David Copperfield »