Tomislav Ivic

G

GTM

Guest
Lembro-me bem do jogo de Roterdão, onde estacionamos autenticamente o autocarro. Mas ok, aí deu resultado e deu-nos o apuramento para a participação na nossa 2ª liga dos campeões. Agora, noutras alturas, as tácticas defensivas do Ivic eram absurdas. Lembro-me de na 3ª jornada da epoca 93/94, em casa com o Famalicão, empatamos 0-0 e jogamos com 3 defesas centrais ! E na 5ª jornada voltamos a repetir a dose com o setúbal. Nesse jogo, com 0-0, a poucos minutos do fim, tivemos a sorte do Yekini falhar um golo completamente isolado e logo a seguir quase em cima dos 90 minutos, marcamos dois golos de rajada. Na liga dos campeões, fomos a San siro e perdemos 3-0 com o Milan, num jogo, que nem uma oportunidade de golo, criamos.
 

Ferjo

Tribuna
18 Julho 2006
4,839
0
Perth Australia
Ferjo disse:
O Ivic, foi um dos sapos que tive que engolir como adepto do FC Porto. Depois de ter sido despedido no final da epoca de 87/88, esperava tudo menos que ele voltasse a ser contratado pelo nosso Presidente 6 anos depois.

Enfim ha\' outros que tive que engolir, este e\' um dos piores, esta\' certamente no meu Top5.
 
G

GTM

Guest
Nunca percebi a antipatia gerada pela 1ª passagem do Ivic. Em 87/88, ganhamos quase tudo o que havia para ganhar, incluindo duas competições internacionais. Há pouco tempo atrás, um amigo meu dizia-me que das recordações que tinha dessa época, era a de que, vencíamos os jogos pela margem minima, com exibições sofríveis. Não é verdade. Vencemos na 1ª jornada o Belenenses por 7-1, fomos a Vila do Conde dar 7-0. Ganhamos por 5-0, ao Rio Ave (em casa), Salgueiros e Elvas. Ganhamos por 3-0 ao Benfica e ficamos a 15 pontos deles, numa altura em que a vitória valia 2 pontos. Ganhamos os jogos todos em casa, o que só foi repetido mais tarde, pelo Mourinho.
 

joaoalvercafcp

Tribuna Presidencial
13 Março 2012
21,523
0
O “MAGO” QUE CONQUISTOU O MAIS VALIOSO “POKER” DA HISTÓRIA DOS DRAGÕES

?Tomislav Ivic juntou Supertaça Europeia, Taça Intercontinental, Campeonato e Taça de Portugal na mesma época

?Em dia de recuperação das memórias da Supertaça Europeia conquistada em 1988, é impensável não recordar o técnico que comandava os Dragões nessa inesquecível noite em que Sousa sentenciou a vitória que Rui Barros havia prenunciado cerca de dois meses antes. Tomislav Ivic estava no banco da equipa que havia conquistado a Taça dos Campeões Europeus na temporada anterior e conseguiu elevar a fasquia e subir ao Olimpo azul e branco.

O técnico croata ensinou os portistas a enraizar a ideia de que nada se herda com facilidade e fez de 1988 um ano para relembrar com igual vigor. Uma Taça Intercontinental, a inédita Supertaça Europeia e uma "dobradinha" são o seu legado no FC Porto, conquistando-se assim um “poker” ainda mais valioso do que o que André Villas-Boas conquistaria em 2011: um troféu mundial, outro europeu e dois nacionais, compreendendo Campeonato e Taça de Portugal. Para a história fica a memória de um técnico exímio na leitura táctica - daí alguns ex-jogadores recordarem-no como "mago" - e que retirava o máximo partido dos atletas.

É dele a única Supertaça Europeia do currículo do FC Porto. Foi, de resto, um dos troféus que acrescentou ao seu percurso, que terminou com conquistas em sete países, sem nunca chegar ao brilho que atingiu no Porto. Foi, de facto, um treinador de inéditos: para além da Supertaça Europeia, que os Dragões nunca tinham conquistado, venceu também, em Tóquio, uma das duas únicas Taças Intercontinentais que existem em Portugal, ambas garantidas pelo FC Porto. O croata morreu em Julho de 2011, sete anos depois de abandonar aquele que seria o seu último clube: o Al-Ittihad, da Arábia Saudita.