Autor Tópico: Covid-19  (Lida 132185 vezes)

Online ixnay

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 3.430
  • Desde: Jul 2006
Covid-19
06/Mar/20, 15:06 • #90028
13 casos confirmados em Portugal. Mais de 100.000 no mundo inteiro.

Informação sobre o vírus:


Cuidados a ter com o Covid-19
Minimizem ao MÁXIMO os contactos com o exterior. O risco individual para grande parte da população é baixo; para os mais velhos é muito mais elevado.

Saiam para trabalhar, ir às compras ou recorrer aos serviços de saúde. Não levem as mãos à boca, olhos ou nariz em qualquer dessas deslocações. Evitem tocar com as mãos em superfícies comuns. Ao chegar a casa, lavar as mãos em primeiro lugar e só depois tocar nas outras superfícies ou realizar qualquer outra atividade.

No trabalho desinfetar as mãos após qualquer interação que assim o exija (ex. quem trabalhar num lar de idosos).

Quem usa portáteis ou telemóveis no trabalho e dá continuidade em casa, ao chegar, desinfetar esses aparelhos meticulosamente com álcool a 70º.

Em caso de sintomas respiratórios ligar a linha de saúde 24. Caso contrário, e SE JUSTIFIFCAR, marcar 112.

Como medida prática ter em casa antipiréticos como paracetamol ou ibuprufeno. A linha de saúde 24 não está preparada para uma pandemia. Os casos menos graves serão tratados em casa. Não tenham dúvidas, que é o que vai acontecer.

Os hospitais serão para quem realmente deles vai precisar. Protejam os vossos pais ou avós.

Não levem a mão à boca, nariz, olhos.
Não tussam ou espirrem para o ar.
Se possível, reduzam ou eliminem o contacto com crianças. Mesmo assintomáticas poderão estar infetadas.
Não vão almoçar ao domingo a casa dos pais ou dos sogros.
Quem tiver sintomas (tosse/ febre) deve imediatamente colocar uma máscara cirúrgica para impedir a disseminação do vírus.
Se não aguentarem mesmo ficar em casa, saiam em espaços abertos, pouco frequentados, por curtos períodos de tempo preferencialmente na natureza, nunca em espaços fechados, ou onde o ar é renovado artificialmente.

Medidas adoptadas pelo Governo Português:
1. Regime excecional em matéria de recursos humanos, que contempla:
(i) suspensão de limites de trabalho extraordinário;
(ii) simplificação da contratação de trabalhadores (para a linha de apoio ao médico, psicólogos, farmacêuticos, técnicos de diagnóstico...);
(iii) mobilidade de trabalhadores;
(iv) contratação de médicos aposentados sem sujeição aos limites de idade.

2. Regime de prevenção para profissionais do setor da saúde diretamente envolvidos no diagnóstico e resposta laboratorial especializada.

3. Regime excecional para aquisição de serviços por parte de órgãos, organismos, serviços e entidades do Ministério da Saúde.

4. Regime excecional de composição das juntas médicas de avaliação das incapacidades das pessoas com deficiência. O Conselho de Ministros aprovou ainda medidas de apoio à proteção social dos trabalhadores e das suas famílias:

5. A atribuição de faltas justificadas para os trabalhadores por conta de outrem e trabalhadores independentes que tenham de ficar em casa a acompanhar os filhos até 12 anos;

6. O apoio financeiro excecional aos trabalhadores por conta de outrem que tenham de ficar em casa a acompanhar os filhos até 12 anos, no valor de 66% da remuneração base (33% a cargo do empregador, 33% a cargo da Segurança Social) - só aplicável a um dos pais, mas podem alternar;

7. O apoio financeiro excecional aos trabalhadores independentes que tenham de ficar em casa a acompanhar os filhos até 12 anos, no valor de 1/3 da remuneração média;

8. o apoio extraordinário à redução da atividade económica de trabalhador independente e diferimento do pagamento de contribuições;

9. A criação de um apoio extraordinário de formação profissional, no valor de 50% da remuneração do trabalhador até ao limite do Salário Mínimo Nacional, acrescida do custo da formação, para as situações dos trabalhadores sem ocupação em atividades produtivas por períodos consideráveis;

10. a garantia de proteção social dos formandos e formadores no decurso das ações de formação, bem como dos beneficiários ocupados em políticas ativas de emprego que se encontrem impedidos de frequentar ações de formação;

11. a equiparação a doença da situação de isolamento profilático durante 14 dias dos trabalhadores por conta de outrem e dos trabalhadores independentes do regime geral de segurança social, motivado por situações de grave risco para a saúde pública decretado pelas entidades que exercem o poder de autoridade de saúde. Com esta alteração, os trabalhadores a quem seja decretada, pela autoridade de saúde, a necessidade de isolamento profilático terão assegurado o pagamento de 100% da remuneração de referência durante o respetivo período;

12. a atribuição de subsídio de doença não está sujeita a período de espera;

13. a atribuição de subsídios de assistência a filho e a neto em caso de isolamento profilático sem dependência de prazo de garantia. O Conselho de Ministros aprovou ainda um conjunto de medidas destinadas a assegurar a mitigação dos impactos económicos, quer do lado do apoio à tesouraria das empresas quer da proteção dos postos de trabalho, nomeadamente através da criação de:

14. linha de crédito de apoio à tesouraria das empresas de 200 milhões €;

15. linha de crédito para microempresas do setor turístico no valor de 60 milhões €;

16. lay off simplificado: Apoio extraordinário à manutenção dos contratos de trabalho em empresa em situação de crise empresarial, no valor de 2/3 da remuneração, assegurando a Segurança Social o pagamento de 70% desse valor, sendo o remanescente suportado pela entidade empregadora;

17. bolsa de formação do IEFP;

18. promoção, no âmbito contributivo, de um regime excecional e temporário de isenção do pagamento de contribuições à Segurança Social durante o período de lay off por parte de entidades empregadoras;

19. medidas de aceleração de pagamentos às empresas pela Administração Pública e atraso no pagamento de impostos, nomeadamente do primeiro pagamento especial por conta para 30 de junho, do modelo 32 de IRC para 31 de julho e o pagamento especial por conta do IRC para 31 de agosto.

20. PT 2020:
i) Pagamento de incentivos no prazo de 30 dias
ii) Prorrogação do prazo de reembolso de créditos concedidos no âmbito do QREN ou do PT 2020.
iii) Elegibilidade de despesas suportadas com eventos internacionais anulados.
incentivo financeiro extraordinário para assegurar a fase de normalização da atividade (até um Salário Mínimo por trabalhador).

21. reforço da capacidade de resposta do IAPMEI e do Turismo de Portugal na assistência ao impacto causado pelo COVID-19.

22. prorrogação de prazos de pagamentos de impostos e outras obrigações declarativas. O CM decidiu ainda tomar diversas medidas de organização e funcionamento dos serviços públicos e outro tipo de estabelecimentos:

23. a suspensão de todas as atividades letivas e não letivas presenciais nas escolas de todos os níveis de ensino a partir da próxima segunda-feira dia 12 de março;

24. a organização dos serviços públicos, nomeadamente o reforço dos serviços digitais, o estabelecimento de limitações de frequência para assegurar possibilidade de manter distância de segurança e a centralização de informação ao cidadão sobre funcionamento presencial de serviços;

25. a aceitação, por parte das autoridades públicas, e para todos os efeitos legais, da exibição de documentos cujo prazo de validade expire durante o período de vigência da presente legislação ou nos 15 dias imediatamente anteriores ou posteriores;

26. a restrição de funcionamento de discotecas e similares;

27. a proibição do desembarque de passageiros de navios de cruzeiro, exceto dos residentes em Portugal;

28. a suspensão de visitas a lares em todo o território nacional;

29. os centros comerciais e supermercados vão estabelecer limitações de frequência para assegurar possibilidade de manter distância de segurança.

30. Finalmente, o MAI e MS vão declarar hoje o estado de alerta em todo o País, colocando os meios de proteção civil e as forças e serviços de segurança em prontidão, o que implica também a dispensa dos bombeiros voluntários dos seus empregos.
« Última modificação: 13/Mar/20, 18:02 por ixnay »

Offline JAEP

  • Tribuna Presidencial
  • *****
  • Mensagens: 9.393
  • Desde: Nov 2016
Re: Covid-19
06/Mar/20, 15:13 • #25061


Muito mais informativo do que os próprios sistemas de informação de saúde neste mundo fora.

Offline Azul Invicto

  • Arquibancada
  • *
  • Mensagens: 267
  • Desde: Fev 2020
Re: Covid-19
06/Mar/20, 15:21 • #17099
façam um mapa regional com o nº de casos para se perceber o desenvolvimento do contágio


Online dragao86

  • Tribuna Presidencial
  • *****
  • Mensagens: 18.616
  • Desde: Out 2014
Re: Covid-19
06/Mar/20, 15:24 • #73066

Offline Azul Invicto

  • Arquibancada
  • *
  • Mensagens: 267
  • Desde: Fev 2020

Offline LR

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 2.722
  • Desde: Jul 2017

Online dragao86

  • Tribuna Presidencial
  • *****
  • Mensagens: 18.616
  • Desde: Out 2014
Re: Covid-19
06/Mar/20, 15:34 • #36026
Não tem informação geográfica actualizada sobre Portugal
Salvo erro nenhum mapa tem ao nível regional - tirando a China.
« Última modificação: 06/Mar/20, 15:34 por dragao86 »

Offline jcmp17

  • Bancada lateral
  • **
  • Mensagens: 605
  • Desde: Jul 2018
Re: Covid-19
06/Mar/20, 15:46 • #97092
Os números que estão a sair cá para fora pelo menos no que diz respeito a Portugal são falsos pelo que se fala pelos bastidores dos hospitais
Há casos confirmados noutros hospitais que não o de São João e o de Lisboa só que não saem cá para fora para não provocar alarmismos

Online ixnay

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 3.430
  • Desde: Jul 2006
Re: Covid-19
06/Mar/20, 17:30 • #61083
De ontem para hoje:
+900 casos em Itália
+1200 no Irão

Offline pedromanuelmorei

  • Arquibancada
  • *
  • Mensagens: 276
  • Desde: Dez 2016
Re: Covid-19
06/Mar/20, 18:07 • #56058
Os números que estão a sair cá para fora pelo menos no que diz respeito a Portugal são falsos pelo que se fala pelos bastidores dos hospitais
Há casos confirmados noutros hospitais que não o de São João e o de Lisboa só que não saem cá para fora para não provocar alarmismos

Tenho amigos que são enfermeiros em alguns hospitais do Norte (Porto e Braga nomeadamente) e que me disseram que existem várias pessoas (10 a 15) já internadas com os sintomas do virus mas cujo diagnóstico só será oficial após os resultados dos exames ( entre hoje e amanhã).

Offline jcmp17

  • Bancada lateral
  • **
  • Mensagens: 605
  • Desde: Jul 2018
Re: Covid-19
06/Mar/20, 18:10 • #32039
Tenho amigos que são enfermeiros em alguns hospitais do Norte (Porto e Braga nomeadamente) e que me disseram que existem várias pessoas (10 a 15) já internadas com os sintomas do virus mas cujo diagnóstico só será oficial após os resultados dos exames ( entre hoje e amanhã).

Verifica se o mesmo em Coimbra aliás os estudantes já viram as aulas canceladas no hospital há estágios interrompidos e não podemos ter qualquer tipo de contacto com doentes daí que seja demasiado fumo para não haver fogo

Das tripas coração!

  • Visitante
Re: Covid-19
06/Mar/20, 18:13 • #28066


Nem sei o que dizer disto...

Offline DECO-10

  • Tribuna Presidencial
  • *****
  • Mensagens: 5.015
  • Desde: Jul 2013
Re: Covid-19
06/Mar/20, 18:21 • #14028
Os números que estão a sair cá para fora pelo menos no que diz respeito a Portugal são falsos pelo que se fala pelos bastidores dos hospitais
Há casos confirmados noutros hospitais que não o de São João e o de Lisboa só que não saem cá para fora para não provocar alarmismos

E aqueles que vão ao centro de saúde ou ás clinicas e que nunca chegam a fazer o teste?
De certeza que vão ser ás resmas deles. RESMAS!

Ou alguém acredita que se for a um medico particular ou post medico pequeno com ranho no nariz e febre, que o mandam para o Hospital para despistar o COVID-19? Pois sim...

Online Devenish

  • Tribuna Presidencial
  • *****
  • Mensagens: 15.125
  • Desde: Out 2006
  • Membro do Mês Março/2019
Re: Covid-19
06/Mar/20, 18:45 • #57092
Estamos ainda no início disto e não me refiro apenas a Portugal mas a todos os Países. A minha esperança reside em quem está a trabalhar em laboratórios de imensos Países e que devem passar 10,14h do dia a estudar o vírus e arranjar uma forma de cura para ele. A vacina será uma situação seguinte após a descoberta da cura. Não há neste momento nenhum ser humano que esteja imune ao vírus, não há cura para ele e os que se curam é produto dos anticorpos que geramos no nosso corpo mais que os medicamentos que nos fornecem quase às cegas a ver se funciona - isto não fui eu que idealizei na minha mente ou que sei porque não sou virulogista mas são afirmações de cientistas que o declararam. Não se trata de uma gripe sazonal como as outras e que desaparece na Primavera e Verão. É altamente contagioso como sabemos e ainda está para se saber porque pessoas curadas voltam a ter o virus ativo e embora não passando por febres, tosse e pneumonia (utilizando linguagem simples) desconhece-se se podem voltar a contagiar alguém - só o saberemos daqui a uns tempos. Isto é altamente alarmante.
Outra situação gravíssima é o que vai acontecer à economia se isto continuar a alastrar e não é preciso fazer desenhos porque quem vem aqui ler sabe quais são os cenários catastróficos disto. A unica boa nova (e estou a ironizar mesmo sendo um ambientalista convicto como devemos ser todos hoje em dia) é a poluição diminuir drásticamente mas como não comemos erva (não daquela "estimulante" para a cabeça) que os herbívoros se alimentam estamos todos fritos.
Eu sem saber nada, não sou nenhum Nostradamus, na passagem do ano recusei a beber um copo de espumante porque nessa hora sentí um frio na espinha e pensei; como será 2020? "cheirou-me" mal na altura e recordo esse 31 de Dezembro de 2019 todos os dias.
A esperança é que os humanos especialistas nessa área nos ajudem e ajudem a eles. Fés doutro tipo não adianta como nunca adiantou nada na vida real. Ou o homem se safa e é a sorte de todos ou então...Rezas podem alimentar a mente em certos momentos mas não curam ninguém.

Offline Raba

  • Tribuna
  • ****
  • Mensagens: 4.209
  • Desde: Jun 2013
Re: Covid-19
06/Mar/20, 18:49 • #48015
O pior que já li e que já me confirmaram é que as pessoas para terem baixa médica devido ao Covid-19 têm de ir ao médico de família.

Ou seja, vão ao hospital, é-lhes dito que têm de ficar de quarentena, e os hospitais mandam-nos para o centro de saúde, doentes, para pedir a baixa médica.

Só pode ser o médico de família ou um delegado de saúde a passar a baixa. Isto não é uma irresponsabilidade completa?