Covid-19

Ripas

Binde pá festa, tenho minis.
6 Março 2019
8,597
6,640
Tenho vista para o Dragão.
não consigo usar máscara quando vou correr, tira-me rendimento.
se for correr de manhã cedo, para onde não haja gente, e se encontrar alguém, por acaso, me desviar e manter a distância, devo ser obrigado a usar máscara? não faz sentido.
as zonas cinzentas evitam-se enunciando os espaços onde a máscara seria obrigatória.
Nada disto faz grande sentido nos tempos que correm. O que sei é que a única maneira de ver isto a ser cumprido, é a obrigatoriedade total de usar máscara sempre que se sai da habitação. Straight forward e chico esperto free. Resta saber o espaço temporal em que isto seria regra.

Não sei como funciona noutros países onde esta obrigatoriedade já existe e quais as exceções.
 
  • Like
Reações: Tony_Gomes9
John Wick

John Wick

Tribuna
31 Outubro 2019
3,187
6,087
Conquistas
2
  • Novembro/19
  • Deco
Sou contra o uso obrigatório de máscara ao ar livre. O risco de infecção é significativamente menor, 1 em cada 8000 infecções ocorrem ao ar livre. Estas medidas não vão ter resultado prático. Naturalmente tem que haver sensibilização e recomendação para o uso de máscara ao ar livre em situações onde é impossível ou difícil manter a distância física, de outra forma, não há qualquer tipo de base e suporte científico para este tipo de medidas. Uma coisa são as pessoas que circulam nos centros de grandes cidades onde andam sempre nas ruas grandes aglomerados de pessoas, outra coisa é circular nas ruas de localidades periféricas. Vivemos um período em que é fundamental incentivar as pessoas a cuidarem da sua saúde, no entanto, as medidas adoptadas são sempre no sentido contrário, as de limitar as actividades ao ar livre e incentivar as pessoas a ficar em casa. A importância da vitamina D já está bem estudada. O exercício físico e a alimentação também, mas ninguém se preocupa com isto e em informar as pessoas que alimentos devem consumir, que tipo de alimentação deveriam fazer, etc. Incentivos para a pratica da actividade física, caminhadas, etc. As praias encheram as praias o verão todo, tivemos justiceiros de redes sociais constantemente a colocar imagens das praias cheias com legendas "isto é uma vergonha", "não há civismo", etc. As férias acabaram, as pessoas foram trabalhar, milhões começaram a circular e os transportes públicos começaram gradualmente a encher, as pessoas regressaram aos espaços fechados, escolas, fábricas, escritórios, etc. e os casos começaram a aumentar até atingirmos os números de hoje. Acham mesmo que é pelo que se passa no exterior que o número de infecções aumentou? Depois temos o governo a dizer-nos que não há nenhuma evidência de que os autocarros e os comboios andarem completamente lotados contribuem para o aumento dos casos e a senhor Graça Freitas a dizer que 60% das transmissões ocorrem devido a ajuntamentos familiares... e onde estão os estudos que demonstram isto? A grande maioria dos portugueses não lê os estudos que vão saindo diariamente, mas os transportes públicos estão no topo dos principais vectores de transmissão do vírus. Já informaram os portugueses que, em espaços interiores não ventilados, o vírus permanece durante muito tempo suspenso em aerossóis?

As medidas adoptadas têm que ser coerentes e numa altura como estas, a comunicação tem que ser verdadeira e tem que ser clara, coisa que nunca foi em Portugal, lançando muita confusão nas pessoas.
Vamos ver como vai ficar, no geral, a saúde das pessoas no pós-pandemia.
 

jcmp17

Tribuna
8 Julho 2018
2,604
2,152
Conquistas
4
  • Deco
  • Hulk
  • Campeão Nacional 19/20
  • Taça de Portugal 19/20
"António Costa diz que não podemos chegar ao Natal com os riscos de contaminação que temos neste momento. E que as pessoas vão ter de se reorganizar e celebrar em grupos mais pequenos. “Sabemos que há muitas pessoas que vivem nas cidades e têm raízes noutros locais do país e têm de se deslocar mas têm de se organizar todas para ter reuniões mais pequenas, talvez jantar com uns e almoçar com outros ou como entenderem, não vamos também fazer um decreto a dizer como é que se organiza o Natal”, explica o primeiro-ministro.
“É inimaginável adotarmos no Natal medidas tão drásticas e autoritárias como as que adotámos na Páscoa ao proibir as pessoas de se deslocarem de um concelho para o outro”, garante. Porque “o Natal é um momento excecional de festas e de reunião das famílias”."

Fonte: Observador

Isto faz zero sentido
O homem não diz coisa com coisa então podemos estar todos fodidos mas como é Natal que se foda o vírus também vai festejar o Natal
Oh pah muito bom
 

jcmp17

Tribuna
8 Julho 2018
2,604
2,152
Conquistas
4
  • Deco
  • Hulk
  • Campeão Nacional 19/20
  • Taça de Portugal 19/20
Sou contra o uso obrigatório de máscara ao ar livre. O risco de infecção é significativamente menor, 1 em cada 8000 infecções ocorrem ao ar livre. Estas medidas não vão ter resultado prático. Naturalmente tem que haver sensibilização e recomendação para o uso de máscara ao ar livre em situações onde é impossível ou difícil manter a distância física, de outra forma, não há qualquer tipo de base e suporte científico para este tipo de medidas. Uma coisa são as pessoas que circulam nos centros de grandes cidades onde andam sempre nas ruas grandes aglomerados de pessoas, outra coisa é circular nas ruas de localidades periféricas. Vivemos um período em que é fundamental incentivar as pessoas a cuidarem da sua saúde, no entanto, as medidas adoptadas são sempre no sentido contrário, as de limitar as actividades ao ar livre e incentivar as pessoas a ficar em casa. A importância da vitamina D já está bem estudada. O exercício físico e a alimentação também, mas ninguém se preocupa com isto e em informar as pessoas que alimentos devem consumir, que tipo de alimentação deveriam fazer, etc. Incentivos para a pratica da actividade física, caminhadas, etc. As praias encheram as praias o verão todo, tivemos justiceiros de redes sociais constantemente a colocar imagens das praias cheias com legendas "isto é uma vergonha", "não há civismo", etc. As férias acabaram, as pessoas foram trabalhar, milhões começaram a circular e os transportes públicos começaram gradualmente a encher, as pessoas regressaram aos espaços fechados, escolas, fábricas, escritórios, etc. e os casos começaram a aumentar até atingirmos os números de hoje. Acham mesmo que é pelo que se passa no exterior que o número de infecções aumentou? Depois temos o governo a dizer-nos que não há nenhuma evidência de que os autocarros e os comboios andarem completamente lotados contribuem para o aumento dos casos e a senhor Graça Freitas a dizer que 60% das transmissões ocorrem devido a ajuntamentos familiares... e onde estão os estudos que demonstram isto? A grande maioria dos portugueses não lê os estudos que vão saindo diariamente, mas os transportes públicos estão no topo dos principais vectores de transmissão do vírus. Já informaram os portugueses que, em espaços interiores não ventilados, o vírus permanece durante muito tempo suspenso em aerossóis?

As medidas adoptadas têm que ser coerentes e numa altura como estas, a comunicação tem que ser verdadeira e tem que ser clara, coisa que nunca foi em Portugal, lançando muita confusão nas pessoas.
Vamos ver como vai ficar, no geral, a saúde das pessoas no pós-pandemia.
Já te dei 200 dragões hoje em outro tópico mas obrigas me a continuar a gastar
O problema é que custa imenso manter as pessoas informadas porque a maioria não tem essa preocupação
 
  • Like
Reações: John Wick

Eclipsisboy

JUNTOS COMO IRMÃOS! 💙
25 Maio 2014
12,399
9,307
Conquistas
3
37
Porto
  • Pinto da Costa
  • Campeão Nacional 19/20
  • Taça de Portugal 19/20
E a as portagens também dizem que estiveste pah!
E o software do carro?
Existe alguma coisa mais proto facista do que o cartão de cidadão?! O estado ter todos os dados, sem esforço nenhum?!

Nos EUA isto era caso para um levantamento cívico. Aqui convivemos bem com isto.

Instalem lá a app.

Não sejam putos birrentos. É para o bem de todos.
Vou pela Nacional não pago portagens se não quiser que saibam onde passei.

Tenho um Fiat Pinto. Não tem software que de a minha localização.

Aqui não se trata do estado ter ou não os dados mas sim, tu quereres ou não por exemplo que estas fora de casa quando tu queres dizer que estas em casa. Percebes?

E mais a mais, vou ja dizer aqui... quero que a App se fod@!
 
  • Love
Reações: John Guerrilla

John Wick

Tribuna
31 Outubro 2019
3,187
6,087
Conquistas
2
  • Novembro/19
  • Deco
não consigo usar máscara quando vou correr, tira-me rendimento.
se for correr de manhã cedo, para onde não haja gente, e se encontrar alguém, por acaso, me desviar e manter a distância, devo ser obrigado a usar máscara? não faz sentido.
as zonas cinzentas evitam-se enunciando os espaços onde a máscara seria obrigatória.
Não pode ser obrigatório o uso de máscara a quem faz desporto. Teria consequências terríveis para a saúde.
 

Eclipsisboy

JUNTOS COMO IRMÃOS! 💙
25 Maio 2014
12,399
9,307
Conquistas
3
37
Porto
  • Pinto da Costa
  • Campeão Nacional 19/20
  • Taça de Portugal 19/20
"António Costa diz que não podemos chegar ao Natal com os riscos de contaminação que temos neste momento. E que as pessoas vão ter de se reorganizar e celebrar em grupos mais pequenos. “Sabemos que há muitas pessoas que vivem nas cidades e têm raízes noutros locais do país e têm de se deslocar mas têm de se organizar todas para ter reuniões mais pequenas, talvez jantar com uns e almoçar com outros ou como entenderem, não vamos também fazer um decreto a dizer como é que se organiza o Natal”, explica o primeiro-ministro.
“É inimaginável adotarmos no Natal medidas tão drásticas e autoritárias como as que adotámos na Páscoa ao proibir as pessoas de se deslocarem de um concelho para o outro”, garante. Porque “o Natal é um momento excecional de festas e de reunião das famílias”."

Fonte: Observador

Isto faz zero sentido
O homem não diz coisa com coisa então podemos estar todos fodidos mas como é Natal que se foda o vírus também vai festejar o Natal
Oh pah muito bom
Outro iluminado..!

Nunca mais se queixem de não sermos pioneiros em nada!

Temos o selfies e o primeiro, depois de 2020 anos, virem eles mudar o Natal!

Somos ou não pioneiros??
 

SUPERMLY

Bancada central
14 Setembro 2017
2,160
1,096
Sou contra o uso obrigatório de máscara ao ar livre. O risco de infecção é significativamente menor, 1 em cada 8000 infecções ocorrem ao ar livre. Estas medidas não vão ter resultado prático. Naturalmente tem que haver sensibilização e recomendação para o uso de máscara ao ar livre em situações onde é impossível ou difícil manter a distância física, de outra forma, não há qualquer tipo de base e suporte científico para este tipo de medidas. Uma coisa são as pessoas que circulam nos centros de grandes cidades onde andam sempre nas ruas grandes aglomerados de pessoas, outra coisa é circular nas ruas de localidades periféricas. Vivemos um período em que é fundamental incentivar as pessoas a cuidarem da sua saúde, no entanto, as medidas adoptadas são sempre no sentido contrário, as de limitar as actividades ao ar livre e incentivar as pessoas a ficar em casa. A importância da vitamina D já está bem estudada. O exercício físico e a alimentação também, mas ninguém se preocupa com isto e em informar as pessoas que alimentos devem consumir, que tipo de alimentação deveriam fazer, etc. Incentivos para a pratica da actividade física, caminhadas, etc. As praias encheram as praias o verão todo, tivemos justiceiros de redes sociais constantemente a colocar imagens das praias cheias com legendas "isto é uma vergonha", "não há civismo", etc. As férias acabaram, as pessoas foram trabalhar, milhões começaram a circular e os transportes públicos começaram gradualmente a encher, as pessoas regressaram aos espaços fechados, escolas, fábricas, escritórios, etc. e os casos começaram a aumentar até atingirmos os números de hoje. Acham mesmo que é pelo que se passa no exterior que o número de infecções aumentou? Depois temos o governo a dizer-nos que não há nenhuma evidência de que os autocarros e os comboios andarem completamente lotados contribuem para o aumento dos casos e a senhor Graça Freitas a dizer que 60% das transmissões ocorrem devido a ajuntamentos familiares... e onde estão os estudos que demonstram isto? A grande maioria dos portugueses não lê os estudos que vão saindo diariamente, mas os transportes públicos estão no topo dos principais vectores de transmissão do vírus. Já informaram os portugueses que, em espaços interiores não ventilados, o vírus permanece durante muito tempo suspenso em aerossóis?

As medidas adoptadas têm que ser coerentes e numa altura como estas, a comunicação tem que ser verdadeira e tem que ser clara, coisa que nunca foi em Portugal, lançando muita confusão nas pessoas.
Vamos ver como vai ficar, no geral, a saúde das pessoas no pós-pandemia.
Obviamente que é possivel que 60% das infecções sejam de caracter familiar....basta terem identificado a cadeia de transmissão.
Uma pessoa infectada na rua pode infectar 3 ou 4 em ambiente familiar devido ao contacto mais proximo durante mais tempo.

Claro que o risco nos transportes publicos ou em espaços fechados é superior do que ao ar livre mas o grande risco de infecção é em casa.

Queres um exemplo?Sabes quais os locais de maior incidencia infecção em termos de percentagem?
Lares e o que acontece nos lares?Pessoas muito juntas durante muito tempo
 

Eclipsisboy

JUNTOS COMO IRMÃOS! 💙
25 Maio 2014
12,399
9,307
Conquistas
3
37
Porto
  • Pinto da Costa
  • Campeão Nacional 19/20
  • Taça de Portugal 19/20
Não pode ser obrigatório o uso de máscara a quem faz desporto. Teria consequências terríveis para a saúde.
Ouvi hoje no telejornal que para pessoas com deficiência, problemas mentais, e que a atividade não seja compatíve, que o uso de máscara não será obrigatório!

Devo calcular que atividade física esteja incluída.
 

bertobrb

Tribuna
25 Maio 2019
2,999
4,484
Conquistas
3
  • Sérgio Conceição
  • Taça de Portugal 19/20
  • Campeão Nacional 19/20
Não pode ser obrigatório o uso de máscara a quem faz desporto. Teria consequências terríveis para a saúde.
quem faz desporto não o consegue fazer de máscara.
a andar a pé sinto-me mais ofegante, porque não entra tanto ar em cada inspiração, não imagino a usar quando estiver a correr.
mas penso que em espanha é obrigatório.
 

SUPERMLY

Bancada central
14 Setembro 2017
2,160
1,096
A mascara na rua será obrigatoria em locais quando se verifique a inobservancia de 2m de distancia de segurança

Obviamente que anda a correr num parque se tiver sozinho e sem ninguem por perto não vai utilizar mascara
 
  • Like
Reações: Sakamoto

bertobrb

Tribuna
25 Maio 2019
2,999
4,484
Conquistas
3
  • Sérgio Conceição
  • Taça de Portugal 19/20
  • Campeão Nacional 19/20
A mascara na rua será obrigatoria em locais quando se verifique a inobservancia de 2m de distancia de segurança

Obviamente que anda a correr num parque se tiver sozinho e sem ninguem por perto não vai utilizar mascara
mas garantir o cumprimento não será fácil
 

John Wick

Tribuna
31 Outubro 2019
3,187
6,087
Conquistas
2
  • Novembro/19
  • Deco
Obviamente que é possivel que 60% das infecções sejam de caracter familiar....basta terem identificado a cadeia de transmissão.
Uma pessoa infectada na rua pode infectar 3 ou 4 em ambiente familiar devido ao contacto mais proximo durante mais tempo.

Claro que o risco nos transportes publicos ou em espaços fechados é superior do que ao ar livre mas o grande risco de infecção é em casa.

Queres um exemplo?Sabes quais os locais de maior incidencia infecção em termos de percentagem?
Lares e o que acontece nos lares?Pessoas muito juntas durante muito tempo
Não tenho a menor dúvida que alguns dos casos tenham acontecido devido a ajuntamentos familiares para festas e coisas do género, outra coisa são infecções resultantes da convivência do agregado familiar na mesma casa. É completamente impossível que 60% dos casos tenham ocorrido por causa disto. Isto não passa de verborreia, até porque como é óbvio, as cadeias de transmissão não são todas identificadas, nem na altura em que tínhamos 300/400 casos diários, quanto mais agora. Já existem diversos estudos em diversos países sobre isto, a esmagadora maioria das infecções ocorrem em transportes públicos e locais de trabalho, e depois transmitidas aos restantes membros do agregado familiar nas respectivas casas.