Nuno Espírito Santo

Dias_21

Tribuna Presidencial
17 Janeiro 2018
12,428
13,925
Conquistas
5
Maia
  • Alfredo Quintana
Para mim será sempre um treinador de equipas de meio da tabela e sem grandes ambições.
Nada contra que até gosto do NES e respeito-o. Mas é o que é. Não é para todos.
 

Edgar Siska

Tribuna Presidencial
9 Julho 2016
15,689
24,650
Conquistas
3
37
Ao pé da praia
  • Maio/21
  • Campeão Nacional 19/20
  • Taça de Portugal 19/20
Pois, mas se não fosse o auge das missas e dos padres, tinha sido campeão em 2016/17. Essa é que é essa.
Essa é que é essa.

Estive ontem a rever todos os jogos dessa época nossos e dos orcs, para análise.
Além da curiosidade de em cerca de 80% dos jogos jogarmos sempre depois deles, as perdas de pontos com maiores roubos aconteceram sempre quando eles também tinham perdido pontos e quando essa perda significava a ultrapassagem, principalmente no último terço do campeonato, revi jogos dos quais nem me lembrava do escândalo. Só com o Estoril nos dois jogos os orcs deviam ter perdido pelo menos quatro pontos e eu não me lembrava destes jogos, com o Feirense deviam ter perdido dois (num jogo onde tiveram uma mija enorme além do roubo). Rio Ave nos arcos mais 2 pontos (penalti sobre o Rafa Soares), Moreirense onde deviam ter ficado a jogar com 10 desde a meia hora além do golo em falta (2 pontos ou 3), Chaves na Luz, um verdadeiro banho de bola do chaves mas perde 3-1 com um golo em falta tão escandalosa que o tipo que a marca o barbudo grego mal festeja do tipo "ya golito", uma grande penalidade por assinalar sobre Perdigão, um golo mal anulado ao chaves (a bola a vir de Nelson Semedo que ampara uma tentativa de remate, domina mal e perde a bola) e terceiro golo dos bois a nascer de falta clara no meio campo, em suma uma inversão de resultado ao nível do que aconteceria anos mais tarde em Vila do Conde ou em S.M. da Feira, jogos da lista dos mais escandalosos do futebol português.
Penalti inventado, um mergulho bárbaro e mal ensaiado num empate 3-3 com o Boavista (1 ponto ganho indevidamente). Jogo com os lagartos no salão de festas onde o zarolho transporta a bola com as mãos na área e o lance dá golo do boifica + mão de Nelson Semedo claríssima + 3 pontos,
E isto são apenas jogos dos cornos (nem estou a falar dos pontos roubados ao Porto sequer) . Só aqui estão entre 15 a 17 pontos a mais.

Da nossa parte temos a haver pelo menos 1 ponto em Alvalade (o primeiro golo é muito duvidoso mas o segundo é um escândalo a mão do Ruiz), em Tondela temos 2 pontos a haver por penaltis sobre o André Silva e Boly e ainda um lance em que o Adrian segue isolado para a baliza e o árbitro interrompe para marcar falta a favor do Porto. Em Setúbal ficam a dever mais 2 pontos e 2 penaltis, uma mão clara do André Claro e um pontapé no Otávio, no clássico com os cornudos no Dragão, além da burrice do Herrera ficam a dever ao FC Porto um golo ou penalti (há escolha do freguês pois o grego dá mão que depois ressalta na mão do Felipe) e um penalti do Lindelof sobre o André Silva (e assim mais 2 pontos voam), em casa com o Setúbal ficam 3 penaltis no bolso, um empurrão escandaloso do B. Varela ao Brahimi, e 2 placagens aos André Silva na área (mais 2 pontos a voar), o famoso jogo de Braga onde valeu tudo, desde socos do Baiano a entradas a matar do Cartabia (2 vermelhos por mostrar) a mais um par de penaltis, uma mochila ao André Silva (literalmente um gajo às costas) e outro um biqueiro no Tiquinho. Depois a célebre expulsão por "palavras impercetíveis em francês". 2 pontos.
Feirense em casa, 2 penaltis, um sobre Otávio e outro sobre Marcano. 2 pontos. Madeira, bem perto do fim uma manápula do Raúl Silva, mais um para a lista e mais 2 pontos.
Total 15 pontos a menos

Dizer que o FC Porto foi favorecido num jogo apenas, em Paços de Ferreira somou um ponto num empate a zeros. Ficou um penalti por assinalar a favor dos Pacenses - 1 ponto.

Conclusões, falamos de um campeonato aldrabado num valor entre 29 a 31 pontos. Para ficarmos numa média, aldrabado em 30 pontos....30 pontos amigos.

NES é um treinador muito na veia de um Victor Fernández, algo manso e politicamente correcto, um espirito que não casou com um clube que estava a ser vilipendiado e espoliado (que o é constantemente neste país) e que precisa de uma atitude mais beligerante, mais proactiva. Taticamente algo conservador, que montou no entanto uma boa base defensiva, a equipa era muito consistente atrás, quando jogava bem era capaz de dar cabo do adversário, nos jogos mais chatos no entanto faltava o rasgo e risco que um treinador mais desinibido e com outra garra, à Porto teria (isto prova-se nos muitos empates embora a maioria deles tivesse origem em roubos descarados).
Deveria ter sido campeão até com relativo conforto, tal como Lopetegui (este um treinador por vezes algo vilipendiado mas taticamente superior) assim como o Sérgio Conceição deveria de ter celebrado pelo menos um tri-campeonato.

Não desejo nada de mal ao NES, penso que ele se dará melhor em clubes como o Wolves era, um clube de meio da tabela, para especular mais com o jogo, dar consistência atrás e surpreender na frente com ataques rápidos e esticões na alas (foi o primeiro a introduzir isso cá no burgo, agora copiado pelo mago Amorim que afinal é 0%original como o seu professor favorito o Pardal Jesus).
Assim, clubes como um Newcastle, um Crystal Palace, um Aston Villa, um Valência actual (onde já passou), um Espanyol, ou a Serie A que está taticamente na sua zona de conforto.
É do Mendes, não vai ter dificuldades.